sexta-feira, 20 de março de 2009

Filhotes da míriam leitão... ou os arautos do caos...!

Ninguém imagina diminuir os efeitos da crise econômica mundial, e talvez seja até correto afirmar que se trata de um evento daqueles que demarcam o fim e início de eras históricas, assim como foi a de 1929...

Por outro lado, não se esperaria de um presidente que espalhasse pânico entre seus cidadãos...O papel da oposição, em um regime democrático é sempre combater o discurso da situação...O que se espera, no entanto, da mídia é responsabilidade em apurar os fatos, e realizar análises sensatas, mesmo que ideologicamente alinhadas com setores conservadores...

Não é o caso do jornal o(r)di(n)ário, que hoje em sua primeira página eletrônica repercute os "efeitos catastróficos" da crise econômica mundial: duas lojas fechadas e um supermercado, que eles insistem em chamar de hipermercado...A chamada causou repercussão no blog do Roberto Moraes(post:Forçando a barra) e do Gustavo Alejandro Oviedo(post: Esquizofrenia diária) ...

Bom, qualquer "economista da praça do homem em pé" sabe que lojas abrem e fecham no centro da cidade desde os tempos em que éramos uma vila...
Lojas mais tradicionais já cerraram suas portas em outras épocas, e nem havia crises dessa magnitude...
Outros "economistas da praça do homem em pé", mais bem informados que o jornalista de coleira(filhote de míriam leitão), saberiam também que o Lupa Supermercado já esteve em dificuldades por duas ou três ocasiões, a mais recente em meados da década de 90, quando suas prateleiras eram preenchidas com caixas vazias para ocultar a falta de produtos...
Nessa época a empresa conseguiu uma renegociação de suas dívidas com seu principal fornecedor e credor, o Grupo Zamboni de Além Paraíba, e assim pode retornar ao mercado, mas nunca com a força de antes...

O que estranhamos é que o mesmo jornal(ou será panfleto...?)grita aos sete ventos a chegada do "tsunami" econômico ao pântano goitacá,  enquanto  a coluna painel diário festeja o desembarque de novos vultosos investimentos externos, atraídos, de acordo com o jornal de coleira, pela capacidade da prefeita-marionete...O blog caidoemcampos.blogspot.com(Gustavo Oviedo) denuncia essa dualidade absurda:

"Em alta

Mesmo com a crise internacional, o Norte Fluminense está na rota dos investimentos.

(...)

Lamentável que lojas tradicionais do comércio de Campos não estejam suportando os efeitos da crise internacional. Esta semana, pelo menos três fecharam as portas."

É a esquizofrenia-canalha: de um lado os patetas da comunicação da lapa atribuem todos os males aos adversários(Lula), e por outro comemoram os bons momentos como resultado da ação dos seus "donos da lapa"...
Como se a economia funcionasse em compartimentos estanques: um Federal, que eles dizem ir mal, e outro municipal, que eles dizem ir às mil maravilhas...
Pobres beócios...

Não é irônico que os órgãos de comunicação de coleira dos napoleões da lapa adotem o mesmo estilo do PIG(Partido da Imprensa Golpista) que eles dizem ser o seu principal perseguidor...?

Mas enfim, estamos ou não em crise...? 
Claro que sim, e os efeitos ainda poderão atingir de forma mais violenta nossa economia...Mas que fique claro: alarmismo não é solução para crise, muito ao contrário...A imprensa contribuirá muito ao país se retratar os fatos como eles são, e não como ela torce para que sejam...
Há indicadores muito mais confiáveis para serem monitorados do que fechamentos de lojas sem nenhuma relevância ou peso em nosso cenário macroeconômico...

Leia outro texto que destacamos desse jornal, e tire você mesmo suas conclusões...De início, é bom que se diga que o empresário entrevistado só menciona erros gerenciais como a causa dom encerramento de suas atividades...A crise como causa é uma suposição do jornalista...

Jualmir Delfino

"A crise financeira mundial, que o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), chegou a afirmar que teria efeito de uma marola na economia nacional, abate empresas de Campos e da região com força de um tsunami. Várias empresas estão operando no vermelho e até as tradicionais, consolidadas no município há 25, 40 anos, fecharam as portas. Ontem, o tradicional Supermercado Lupa, pioneiro no Centro da cidade, encerrou as atividades, demitindo cerca de 20 funcionários, todos com renda acima de um salário mínimo. 

O dono do Lupa, o empresário Expedito Coleto, há 25 anos no local, relata que a receita do estabelecimento começou a ser afetada desde outubro. Indagado sobre o motivo do fechamento, ele enumerou vários fatores, além da crise financeira mundial. “Estou pagando hoje um ônus porque tentei, até onde pude, preservar meus funcionários, que eram parceiros do dia-a-dia, amigos da empresa. Em outubro, quando tive de fazer uma lista para cortar custos, percebi que qualquer um que demitisse, estaria fazendo injustiça. Tenho compromissos a pagar, mas eles são minha prioridade”, ressaltou Expedito, que para cumprir compromissos com fornecedores contou que colocou à venda um imóvel de sua propriedade.

O fechamento do Lupa, na esquina das ruas 21 de Abril e Andradas, pegou muitos clientes de surpresa na manhã de ontem. “Por qual motivo está fechado? Será que mudaram para outro lugar maior?”, indagou uma cliente. A aposentada Yolanda Gouvêa, 72 anos, não acreditou na notícia dada por um morador do Centro. “É claro que o senhor está brincando! O Lupa existe há muito tempo e tem uma clientela fiel, como eu”, disse ainda incrédula com a notícia a idosa, há mais de 10 anos cliente do supermercado."

7 comentários:

Anônimo disse...

Lula tem razão... a relação brasileira com a economia americana não é tão estreita quanto a q países como a França, a China etc mantêm com os Estados Unidos. Por isso o Brasil jamais será afetado na mesma proporção.
Lula cada vez mais popular deve deixar Garotinho furioso!
hauihauihauihauihaui

Sérgio Provisano disse...

A reportagem que li em sua versão impressa nas primeiras horas da manhã, faz tempestade num copo d'água.

Tenta convencer aos leitores, como se fôssemos um bando de débeis mentais, que o fechamento desses estabelecimentos comercial ocorreu por conta exclusiva da crise mundial que se instalou a partir do meado do ano de 2008.

Tal ilação sequer foi recheada com dados estátisticos que por mais pífios que fossem, poderiam dar um aspecto de seriedade à matéria.

A falta de dados também foi evidente na matéria de capa da edição do dia 18 de março de 2009 (quarta-feira) sobre as ambulâncias abandonadas, onde não se registra o endereço onde as mesmas foram "encontradas"; o nome da oficina onde supostamente as ambulâncias foram colocadas para conserto; se houve ou não um boletim de ocorrência para apurar o "sumiço" das mesmas e vamos por aí a fora.

Matérias com tanto grau de superficialidade só servem para constatar um fato: a editoria do jornal não está preocupada com o conteúdo jornalístico das matérias veiculadas no jornal e em conseqüência disso, seu número de leitores tende a cair, juntamente com sua credibilidade.

Xacal disse...

o o(r)di(n)ário não quer leitores, quer eleitores...

Sérgio Provisano disse...

Crueldade sua Xacal e olha que eu, tolamente, achava que para um jornal diário, o que valia era conquistar leitores.

Me enganei redondamente.

Anônimo disse...

O que esperar de um jornal de merda feito por um bando de amadores (sim, por o que fazem não é coisa de profissional) e cujo dono é uma bosta?

Anônimo disse...

“Eu tenho, por exemplo, a curiosidade de saber quem foi o gênio que, certo dia, soprou a dica nos ouvidos da oposição brasileira: “Vamos dizer que o Lula só está indo bem porque é um cara de sorte, porque, diferentemente do Fernando Henrique, não teve que enfrentar nenhuma crise internacional”. Consultem os arquivos da imprensa para constatar a profusão de vezes em que tucanos e democratas disseram isso.

Bem, o mundo vive a mais aguda crise financeira desde 1929 e há uma chance de o Brasil, assim como outros emergentes, sofrer relativamente menos do que seria habitual. Se isso acontecer, o presidente da República poderá utilizar doravante como bumerangue contra a oposição todo o trabalho de propaganda feito por ela própria. “Enfrentei a crise mundial mais grave dos últimos oitenta anos, e mesmo assim fiz mais do que vocês jamais fizeram.” Alguém duvida de que Lula tem esse discurso engatilhado? No lugar dele, você agiria diferentemente?”

Alon

Anônimo disse...

O presidente Lula está certíssimo.
Apela aos empresários para que não recuem nas suas decisões de novos investimentos, e procura adotar medidas para garantir um nível adequado de liquidez na economia. Tentou ampliar a oferta de crédito, reduzindo o recolhimento dos depósitos compulsórios; ativou as instituições financeiras públicas para a ampliação de linhas de crédito às empresas; procura criar condições legais para intervenções estatizantes ágeis de bancos públicos, no setor bancário e de construção, caso haja necessidades emergenciais; e manifesta a importância em manter os investimentos públicos.

Tem gente que torce contra. E tem gente que quer ver o Brasil ir para o brejo - principalmente quem no passado recente mandou e manteve a nossa cidade e nosso estado no brejo por vários anos!