terça-feira, 3 de março de 2009

Mais e mais mentira...o de sempre...

Está lá no jornal ordinário de hoje, em sua versão eletrônica(???), seção política...

"A duplicação do trecho da morte da BR-101, entre Campos e Macaé, além do novo contorno no município campista, sairá do papel. A prefeita Rosinha Garotinho e o secretário estadual de Transporte, Júlio Lopes, querem lançar a pedra fundamental da obra este ano.(...)"

Veja a primeira afirmação de sentido vago e duvidoso...Será um acidente ou será proposital...Não creio que o sofrível jornalista de coleira seja capaz de tanto, mas o efeito é esse: claro que a obra sairá do papel...o problema é quando...
O jornalista de coleira quer nos fazer acreditar que será por intervenção da prefeita-marionete, mas se contradiz com a publicação da própria reportagem que fez...Um acinte...Se está em fase de negociação, com remessa de proposta, nada nos autoriza a ratificar o desfecho pretendido, a não ser a "torcida" e subserviência do jornal e do jornalista de coleira...

"(...)As propostas de alterações no projeto de concessão à Autopista Fluminense serão encaminhados a Brasília por Lopes. (...)"

Na reportagem não há prazo estipulado e, depois, a matéria menciona que a obra será, possivelmente, paga com dinheiro do contribuinte(BNDES)ou usuário(majoração de tarifas)...

"(...)Para ter recursos a fim de antecipar as obras, a tarifa do pedágio será majorada daqui a dois anos, em torno de R$ 0,80. A pedido de Rosinha, o diretor superintendente da Autopista, Alberto Gallo, cedeu e o valor será diluído em quatro parcelas de R$ 0,20. A prefeita Rosinha, após ter conseguido que a Autopista faça a diluição do acréscimo de R$ 0,80 em quatro ou cinco parcelas, demonstrou querer pressa nas definições para alterar o cronograma original. “Enquanto discutimos se fazemos ou não a antecipação da obra, se esperamos chegar 2021, ou aceitamos pagar um pouco mais no pedágio, ou se o BNDES vai liberar os recursos para antecipar as obras, até que comece a cobrança um pouco maior do pedágio, outras pessoas podem estar sendo vítimas agora o trecho entre Campos e Macaé”, alertou Rosinha.(...)"

Nada no texto comprova a chamada que fez... é típico..."estelionato jornalístico" de décima-quinta categoria....É muita manipulação com desinformação...E uma boa dose de "chantagem emocional" com o drama alheio...

Vamos lá:
Concordemos ou não com as concessões das rodovias(estaduais e federais), todos sabemos que não há "almoço grátis", ou seja, qualquer melhoria ou antecipação do cronograma das obras previstas em contrato, ou oneração dos compromissos e contrapartidas assinaladas, sairá do nosso bolso: ou através do dinheiro público que subsidiará essas mudanças ou de forma direta, com o aumento da tarifa...

Os "despachantes", o secretário de transportes estadual e a prefeita-marionete, querem porque querem capitalizar politicamente um feito sobre o qual não dedicarão um centavo, ou um único recurso dos órgão que controlam...É a famosa "aba do chapéu"...
Falam em "pedra fundamental"...Mas como...?

Pelo jeito, a vergonha dessa gente é que foi lançada com uma "pedra" amarrada no pescoço, no leito de algum rio...


PS: De pedágio caro esse pessoal entende...Pergunte aos usuários da Via Lagos, um dos mais caros pedágio do Brasil

3 comentários:

Francisco Porto Resende disse...

Sempre fui contra privatizações de um modo geral, me rendi a da telefonia e tenho que me render a BR101, não pela qualidade da rodovia que muito ainda deixa a desejar, mas ainda antes do início da cobrança do pedágio hipertenso que sou passei mal na estrada e fui atendido por uma equipe que não usa roupa branca, mas chefiada por uma jovem enfermeira competente e educada que me medicou, numa ambulância do tipo UTI com um ar condicionado maravilhoso, relaxei e fui convidado a descansar mais um pouco num daqueles containner que imaginei ser de um desconforto infernal, mas para minha surpresa era um local confortável e com um ar condicionado maravilhoso!!! Bom se tivesse pagando o pedágio no treço inteiro daria o que? uns 11 12 reais? Bom meu palno de saúde me consome muito mais e não tenho um atendimento assim na emergência . claro que vou continuar cobrando as melhorias, a duplicação, mas não poderia de registrar esse fato que pelo que me falaram já é rotina na BR 101 desde o ano passado. O que vier de melhoris virá pelo pagamento do pedágio sem necessidade de intervenção desses demagogos ou vão utilizar nosso dinheiro para serem parceiros da iniciativa privada? Pago o pedágio !

Tramem disse...

Essa Roseta é especialista em parceria caracu, ela entra com a cara e o parceiro com o restante, qualé minha senhora vai consertar as estradas vicinais.

Lobo disse...

Caro Xacal, sou leitor assíduo de seu blog e tenho uma reclamação a fazer: Chamar o ordinário de jornal, não condiz com o seu conhecimento de nosso idioma. Veja o que nos ensina o Aurélio:
Jornal : [Do it. giornale.]
Substantivo masculino. Jorn.
1.Periódico (4), ger. de folhas soltas encasadas, no qual se publicam notícias, entrevistas, comentários, anúncios, informações úteis para o público, etc.; gazeta.

Sendo assim...