segunda-feira, 30 de março de 2009

My way, or the highway...

Essa é uma expressão estadunidense, para a qual não há tradução literal, mas que diz mais ou menos assim: é do meu jeito, ou não tem jeito...

O jornal El País publica hoje, em sua página eletrônica, mais uma lição que deveria ser aprendida por todos nós, aqui na cozinha da América...

Lá, nos EEUU, o presidente Barak Obama exigiu a saída do CEO da GM, Rick Wagoner, como pré-condição para aprovar a alocação de recursos do plano de recuperação da economia naquela empresa...

Imagimem tal medida sendo imposta aqui por nossos governantes, a exigir contrapartidas e mudanas de gestão nas empresas que desejem ter acesso a dinheiro público...

Seria um deus-nos-acuda nas redações do pig, as forças armadas ficariam alvoroçadas, e marchas pela família, com deus e pela propriedade seriam, de novo, organizadas...

Os editoriais bradariam o domínio do revanchismo, o perigo para democracia, e quem sabe, uma caça do homem branco, de olhos azuis, contribuinte e classe média...

Enquanto isso, nas democracias mais estáveis, onde o capitalismo chegou a níveis mais desenvolvidos, onde as populações gozam de melhores índices sócio-econômicos, os governantes impõem a força dos mandatos que receberam das urnas...


4 comentários:

claudiokezen disse...

É verdade, Xacal. Isolados aqui na periferia, odiamos com toda razão, a política externa do Uncle Sam.

O que não temos a mínima idéia, é da ampla infra estrutura social daquele país, que diga-se à bem da verdade, é inferior a de muitos países europeus, Japão, Austrália e Canadá, apenas para citar alguns países, mas ainda assim impensável para os nossos padrões mequetrefes.

Casos ligados à administração da coisa pública também costumam ter um desfecho diferente do que se passa por aqui. Em 2001, por exemplo, o estado da California experimentou pela primeira vez em sua história o evento conhecido por nós como "pico de luz", para estarrecimento geral. Imediatamente, uma audiência pública foi solicitada pelo órgão correspondente ao nosso Ministério Público. Com a presença de experts em gerenciamento de energia pública ficou comprovado a falta de planejamento do órgão estadual responsável pela compra, produção e distribuição de energia elétrica naquele estado. Em pouco mais de uma semana, o sujeito correspondente ao nosso secretário estadual de energia foi defenestrado de seu cargo junto com toda a sua diretoria.

A ironia em tudo isso, é que eu acompanhava nos sites tupiniquins, e em conversas telefônicas com a família os desdobramentos do apagão do FH, na esperança que um ministro, um diretor, um superintendente, um encarregado, QUALQUER UM responsável por aquela calamidade fosse afastado.

Roberto Moraes disse...

Grande Xacal,
Mais uma excelente observação. Falam dos governos (acabei de ouvir um monte de asneiras do Jabor na CBN nesta linha) e poupam gente incompetente que gostam de verbas públicas.
Estátuas de keynes deveriam ser erguidas mundo afora.
Abs,
Roberto Moraes

Ana Paula Motta disse...

Aqui a "elite" se sente "ultrajada" quando seus pares são presos e usam algemas, imagina uma medida dessas.
Bradam nas redes de TV quando a PF faz uma operação que atinge os colarinhos brancos e chamam de "abuso".

Anônimo disse...

REITOR DA UENF COM CABRAL....

A informação carece de comprovação, mas segundo fontes do blog, o reitor da UENF vai estar reunido nesta quarta-feira no Rio de Janeiro com o Governador Sérgio Cabral. Assunto: a questão da Fenorte. Segundo fontes, ela poderá ser acampada pela UENF.

Vamos aguardar......



Rate this:Be the first to rate!
?Postado por Cláudio Andrade às 09:46 0 comentários
Assunto: Notícias