segunda-feira, 16 de março de 2009

Os caminhos da democracia...


Um dia histórico para El Salvador, país latinoamericano da região central do continente...
Após anos e anos de guerra civil e de intervenções externas dos "mercenários" estadunidenses, destruição econômica e flagelo social, transcorreu sem nenhum incidente a eleição presidencial no país, onde saiu vencedor Mauricio Funes, pela Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional, antiga organização guerrilheira, que após a deposição das armas, se incorporou a vida institucional...

Em seu primeiro discurso, Funes tratou de elogiar a postura do exército salvadorenho, e declarou que deseja uma política externa independente, com integração entre todos os paíse s latinoamericanos, e boas relaçãos com os EEUU, onde atualmente trabalham cerca de 2.5milhão de salvadorenhos...

Acompanhado de antigos líderes guerrilheiros, o presidente eleito deixou claro que não pretende alinhar automaticamente a nenhum bloco ou país, em uma resposta clara setores da extrema-direita que passaram toda a campanha tentando associar Funes a Hugo Chávez e Evo Morales, bem como diziam que a vitória de Funes seria a "entrega" do país ao comunismo internacional(que argumento demodé, não acham?)...

De qualquer forma, ou sob qualquer ângulo que se olhe, não há como não festejar a vitória da tolerância e convivência ao invés da violência política e das armas...

Nas palavras de Maurício Funes:

"Esta noche debe tener el mismo sentimiento de esperanza y reconciliación que hizo posible los acuerdos de paz. Hoy hemos firmado un nuevo acuerdo de paz, de reconciliación del país consigo mismo. Por esta razón, invito desde este momento a las diferentes fuerzas sociales y políticas a que construyamos juntos el futuro. No me cabe ninguna duda que este día ha triunfado la ciudadanía que creyó en la esperanza y venció el miedo".

Fonte:El País. 

Nenhum comentário: