quinta-feira, 5 de março de 2009

Palpites e palpites...

Um jornal tem todo o direito de expressar sua opinião, e defender os interesses daqueles que melhor lhe aprouver...Isso é democrático...

O problema do jornal, e da mídia em geral, é coroar sua opinião(palpite)com a aura da verdade absoluta, enquanto desqualifica a opinião dos seus interlocutores...

Foi o que fez a coluna do patrão, na folha de embrulhar peixe de hoje...Uma descortesia, e no mínimo, um desrespeito a representatividade do mandato conferida ao parlamentar que critica...Não há dúvidas que nas instâncias de funcionamento da democracia, em determinadas situações, a fala de um parlamentar eleito é muito mais legítima a de qualquer jornalista...Ninguém elegeu a folha de embrulhar peixe para falar em nome dos setores envolvidos na questão da abertura dos supermercados aos domingos...

É verdade que João Peixoto não está entre os parlamentares preferidos da TRolHa, muito ao contrário...Mas cada coisa no seu lugar...

Outro aspecto tenebroso da nota foi a comparação rasa que o "colonista" faz, equiparando situações totalmente distintas...

Leia a nota...

Palpite infeliz
Em um município onde os palpiteiros estão em alta, vale sugerir ao deputado estadual João Peixoto, há anos representante político dos rodoviários, projeto que proíba os taxistas a trabalharem aos domingos. Já que quer tanto o fechamento dos supermercados nestes dias, o que o impede de pedir direito idêntico para os representantes da classe que o prestigia com votos nas urnas?

Ora, motoristas de táxi são autônomos, em sua maioria, o que de início já afasta as peculiaridades de relações trabalhistas patrão x empregado do setor supermercadista, onde o lado hipossuficiente(comerciário) sempre é coagido a "aceitar" condições desvantajosas ou indesejadas, a título de manter seu emprego...

Esse é o caso clássico dos patrões supermercadistas que pretendem subtrair a folga dominical dos comerciários...

Não se trata de um conceito simplista como quer fazer crer o patrão da folha de embrulhar peixe...
Não podemos submeter toda a lógica que envolve a relação trabalhista a necessidade do lucro dos empresários...
Mesmo em tempos de crise, pois nesses momentos, justamente, é que aumentam as pressões para suprimir direitos, sob o peso da chantagem da oferta maior de mão-de-obra em razão da demanda menor...
As partes não tem condições iguais de "negociação", portanto é razoável que os instrumentos para celebração de acordos levem em conta esse desequilíbrio, como: compensação financeiras ou folgas maiores, garantia(estabilidade)de emprego por prazo determinado(enquanto vigorar o acordo), verbas indenizatórias(lanche, almoço, passagens, etc) satisfatórias, etc, etc...

Se a folha de embrulhar peixe deseja defender os interesses dos patrões, e vá lá, até dos consumidores que desejam fazer suas comprar aos domingos, tudo bem...!
O que não aceitamos é que utilizem manipulação e desinformação para tanto...!
Aliás, como de costume...!

Em tempo: as entidades de classe de patrões e empregados podem falar e negociar o assunto...Parlamentares também, podem e devem fazer projetos de leis sobre esse e quaisquer assuntos...Jornais e mídia em geral devem ficar adstritos às notícias e palpites, e só...!
Sem desqualificar a legitimidade dos que a têm...

17 comentários:

Anônimo disse...

Excelente comentário! Eu tenho acompanhado as notas do citado jornal; sabemos que os interesses dos supermercados são enormes. Porém, os funcionários não querem trabalhar aos domingos(dia em que toda a família se reúne).

O João Peixoto, nesse assunto, somente nesse assunto, merece apoio e elogios.

O que a sociedade espera de seus representantes políticos?
Qua ao se elegerem, lutem pelas categorias que são mais sacrificadas.

Parabéns, nesse caso, João Peixoto.

Parabéns À TroLhA pela postagem.

Anônimo disse...

Aposto que os trabalhadores de supermercados não importam de trabalhar aos domingos,desde que , ganhem horas extra,folgas proporcionais aos dias trabalhados ,etc... resumo, seus direitos trabalhista, o que não é o caso,são explorados, portanto se existe mesmo o projeto, que todos os problemas da categoria sejam debatidos via sindicato dos empregados e o patronal.

Amaro "O Bicho Cão" disse...

Lá vem a velha história da representação sindical, parece até que não sabe o comentarista que a maioria dos sindicatos só existem no papel e para administrarem (gastarem) o dinheirinho do Imposto Sindical.

Amaro "O Bicho Cão"

Tramem disse...

Xacal sem querer defender o veiculo de comunicação mas sim as regras básicas do jornalismo se o assunto fosse abordado em uma matéria estaria ferindo a ética mas em colunas e artigos funciona como os blogs é a opinião de quem assina, se ocorrer em alguma ilegalidade o colunista responde judicialmente , assim como editorial representa o pensamento da empresa. Acho que desta vez vc fez tempestade em copo d`agua e por defunto muito barato.

Anônimo disse...

Xacal, pela pela primeira vez discordo de vc e concordo com o comentário do Tramem.

Xacal disse...

Caro Tramem...

Leia bem o post...lá eu escrevi que defendia esse direito a opinião...ele é sagrado na democracia...

O que denunciei foi chamar a iniciativa de projeto de lei de um deputado eleito, portanto com mandato legítimo para falar em nome dos cidadãos, nesse caso comerciários, de mero "palpite" e da simplificação rasa de comparar a questão dos comerciários com a dos taxistas, em uma grosseira provocação com o deputado, e sua base eleitoral...

Concorde-se ou não com a prática política do deputado, não esqueçamos que ele foi eleito...

Outra questão que abordamos foi a manipulação descarada, mesmo quando se trata de "opinião"...
Não há nessa "opinião" todos os aspectos que envolvem o problema, mas ainda assim, o "colonista" argumenta como se o fechamento dos supermercados fosse uma aberração, quando sabemos que é justamente o contrário...

Repito: jornais e mídia em geral podem e devem opinar...mas não podem desqualificar a opinião ou iniciativas legítimas alheias, a não ser que apresentem fatos e provas para tanto...

Um abraço...

Tramem disse...

concordaria com vc companheiro se a eleição desse tipo de politico fosse diferente... Mas o debate é sempre saudavel, grato pelo espaço!

Anônimo disse...

Aluisio e Diva sempre foram escravocratas, comeram no tacho do que há de pior em Campos (Evaldo Inojosa et caterna), os filhos também não fogem a regra, aprenderam bem a lição, tanto Aluisinho como Cristiano são dois coroneizinhos de merda. Continuam submetendo os empregados a um salário vagabundo, enquanto enchem a cara de uisque numa noite, despesa que deve chegar ao salário que seus servos recebem num mês. Os caras não tem vale-refeição, plano de saúde, nada. E eles estão ricos com o dinheiro público que receberam em grande quantidade na época Arnaldo/Mocaiber. Cadeia neles. Êta cidadezinha infeliz e provinciana.

Anônimo disse...

Sertão do Fiofó - As notícias do cu do mundo
"Esta é uma obra de fricção e qualquer semelhança com a realidade é mera putaria de quem escreveu." sertaodofiofo@yahoo.com.br

Xacal, isso te lembra alguma coisa ?

Se os demais amigos quiserem saber, visitem : Sertão do Fiofó - As notícias do cu do mundo e tenham certeza que qualquer semelhança não é mera coincidência

Valeu !!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Os trabalhadores de supermercado se importam sim em trabalhar nos domingos. Não são humanas as condições às quias são submetidos, fora as humilhações constantes que partem de seus superiores. O descanso aos domingos deve ser respeitado.

Anônimo disse...

Ate onde eu sei, a lei preve uma folga semanal. Nao tem nada dizendo que tem que ser domingo.

O patrao que decide o dia da folga.

Alem do mais, so no Brasil que as coisas nao abrem domingo.

Sadock disse...

nada mais justo

Palpite Infeliz
Noel Rosa
Composição: Noel Rosa / Araci de Almeida

Quem é você que não sabe o que diz?
Meu Deus do Céu, que palpite infeliz!
Salve Estácio, Salgueiro, Mangueira,
Oswaldo Cruz e Matriz
Que sempre souberam muito bem
Que a Vila Não quer abafar ninguém,
Só quer mostrar que faz samba também

Fazer poema lá na Vila é um brinquedo
Ao som do samba dança até o arvoredo
Eu já chamei você pra ver
Você não viu porque não quis
Quem é você que não sabe o que diz?

A Vila é uma cidade independente
Que tira samba mas não quer tirar patente
Pra que ligar a quem não sabe
Aonde tem o seu nariz?
Quem é você que não sabe o que diz?

DouG disse...

Concordo totalmente.

Anônimo disse...

Candidato caô caô

Caô, caô a justiça chegou ...

Ele subiu o morro sem gravata
dizendo que gostava da raça, foi lá
na tendinha, bebeu cachaça e até
bagulho fumou

Foi no meu barracão, e lá
usou lata de goiabada como prato
eu logo percebi é mais um candidato

As próximas eleições
As próximas eleições
As próximas eleições

Fez questão de beber água da chuva
foi lá na macumba e pediu ajuda
bateu a cabeça no gongá
"deu azar"...
A entidade que estava incorporada disse:
- Esse político é safado cuidado na hora de votar !
também disse ...

- Meu irmão se liga no que eu vou lhe dizer
hoje ele pede seu voto, amanhã manda a polícia lhe bater ...
- Meu irmão se liga no que eu vou lhe dizer
hoje ele pede seu voto, amanhã manda a polícia lhe prender ...

hoje ele pede seu voto, amanhã manda a policia lhe bater ...
eu falei prá você, "viu"?

Falado por Bezerra da Silva:

Esse político é safadão hein !!!

Nesse país que se divide
em quem tem e quem não tem,
sempre o sacrifício cai no braço operário
Eu olho para um lado, eu olho para o outro
vejo desemprego e vejo quem manda no jogo
E você vem, vem, pede mais de mim
diz que tudo mudou e agora vai ter fim,
mas eu sei quem você é e ainda confio em mim
Esse jogo é muito sujo mas eu não desisto assim ...

Você me deve ... Ah ah ah ah !!!
Malandro é malandro e mané é mané !!!
Você me deve ....
Você me deve seu banana prata !!!

Anônimo disse...

crise, desemprego, cidade hiperdependente dos royalties, e se fala em fechar os superm. aos domingos, engraçado que essa mesma turma vai ao Rio e volta maravilhado com as lojas, restaurantes de lá, mas aqui não pode não, pois só podem ganhar os de sempre, que aliás são superruim

Xacal disse...

Bom, deixemos claro alguns senões...

Em nenhum lugar do texto, e eu desafio que mostrem o contrário, defendemos que patrões e empregados não possam chegar a um acordo sobre o trabalho dominical...

Existem alguns que lêem e não entendem, outros seuqer lêem, e outros entendem, mas usam de sua burrice aliada a má-fé...

O que falamos aqui, e vamos repetir, é que pretender que esse "acordo" ocorra em um ambiente onde patrões e empregados tenham as condições de negociação é piada...e de mau gosto...

Logo, diante da postura quase sempre predatória dos nossos valorosos capitalistas que ainda habitam o século XIX(com sua mentalidade), faz-se necessária e intervenção do Estado-Juiz, e o Estado-Legislador para aproximar do equilíbrio essa relação que já nasce desigual e desfavorável aos empregados, SEMPRE...!

Quando houver nessa merda de cidade, e nessa merda de comércio patrões que aposentem suas chibatas, e os troncos, quem sabe aí defendamos a "livre-negociação"...

Por enquanto, liberdade aqui só para a raposa engolir as galinhas, quando se trata da relação patrão/empregado...

O resto é mero blá-blá-blá de cunho ideologizado que não serve para porra nenhuma, a não ser encher o nosso saco, e ainda ficar falando: pô, xacal, vc não respeita nossa opinão, vc é bobo, feio, e passou a mão na nossa bunda...

arrumem argumentos, cresçam e apareçam para discutir, de resto, recolham-se ao lodo onde rastejam com sua deficiência intelectual...

Xacal disse...

editando: (...)as mesmas condições de negociação é piada(...)