sexta-feira, 3 de abril de 2009

Casa de ferreiro...espeto de pau...

O nosso pateta do meio-ambiente, o mr bean feijó é um exemplo...de sinal inverso, é claro...

O seu sítio recebia uma gorda mesada para receber, dos órgãos de fiscalização ambiental, como fiel depositário, os animais aprendidos que estivessem mantidos na posse de infratores da lei ambiental... 

Não sabemos hoje se o "contrato" ainda vigora, mas se for o caso, será um "grande exemplo de probidade" ter um vínculo dessa natureza com a pmcg, enquanto ele, parte interessada, é uma dos intragrantes da mesma administração que lhe paga por essa prestação de serviço...

A despeito dessa dúvida, resta outra:

A faixa de margem dos rios não são áreas permanente de proteção ambiental, e ali não são vedadas as construções de qualquer tipo...? 
Pois é, não é que o pequeno zoológico do ex-deputado situa-se nessa área...

Dizem os antigos que o exemplo não é uma maneira de ensinar, é a única...Tanto os bons, quanto os maus...bons exemplos=boas ações; maus exemplos=más ações...!

7 comentários:

Anônimo disse...

Pensei que só eu o achava parecido com mister Ben!!!Rsrsrs

Anônimo disse...

Esse povo não tem jeito mesmo. Será que é tão difícil pra esse pessoal ser honesto? O que eles tem contra esta característica? Sede pelo poder? Pelo dinheiro? Ah, a efemeridade...

Neto disse...

lamentável

Anônimo disse...

Gostaria de saber como ficou a situação dos tercerizados que não foram aproveitados pela nossa marionete eleita

Anônimo disse...

Gostaria de saber como ficou a situação dos tercerizados que não foram aproveitados pela nossa marionete eleita

Armandão:. disse...

Boa Xacal !
Mas em se falando de margem de rio o que vc me diria da enorme quantidade de lixo derramada em toda a extensão do Paraíba no trecho urbano, e, do mundaréu de casas irregulares na aldeia , na ilha do cunha, na coroa, no matadouro, e do esgoto despejado no rio , e na descarga tóxica da Purac sinteses,do lixaréu das barracas do terminal urbano no centro da cidade, da sujeirada e dos mendigos à margem , frente do asilo da Lapa, do lixão feito a margem na Tira gosto,do lodo das Usinas que já vem chegando. Não vou atacar gratuitamente a um ou outro qualquer que esteja instalado a beira do rio, mas especialmente neste caso: A Cézar o que é de Cézar meu irmão !

Xacal disse...

Armando, meu caro...

Com certeza há muito mais desastres ambientais cotidianos, mas veja que cada um em sua essência é diferente, e assume proporções diferentes:

o despejo de esgoto sanitário domiciliar pelas populações de baixa renda é um problema de ausência de políticas públicas de habitação e saneamento...não creio que ninguém more nessas localidades e nessas condições por vontade própria...

o caso das indústrias é gravíssimo, e aqui mais uma vez o poder público se ausenta, e de certa forma, se torna cúmplice com os crimes cometidos, na medida da sua omissão...

já o caso do secretário do meio-ambiente, o ciclo se fecha, e assume contornos gravíssimos, uma vez que além de não fiscalizar as empresas, não proporcionar políticas públicas que tratem a coleta de resíduos, em interação com outras secretarias, o órgão em questão(meio-ambiente)ainda serve como plataforma para sustentação de um empreendimento privado do secretário, que está ilegalmente instalado em área proibida por lei
AMBIENTAL...

A césar o que é de césar...portanto, é preciso avaliar cada caso, e agir de acordo com suas peculiaridades...