segunda-feira, 20 de abril de 2009

Marcha lenta...

A incrível performance de pilotos de escuderias consideradas médias na F1, nos autoriza a pensar que algo se moveu nessa estrutura gigantesca que é o Campeonato Mundial de Pilotos da principal categoria automobilística mundial...

As poderosas escuderias, no início desse ano, mantiveram uma fórmula de campeonato que privilegia a "regularidade", possibilitada pelas estruturas de um negócio que relegou pilotos a um segundo, ou terceiro plano, substituindo seus talentos por traquitanas eletrônicas, hidráulicas e aerodinâmicas, e que tornaram corridas de carro um monótono e previsível circular de carros em circuitos feitos para sufocar qualquer emoção ou ultrapassagem...
Desta feita, o resultado seria quase sempre preisível e o "jogo" se resumia entre duas equipes: Ferrari e McLaren...

Mais eis que a inventividade humana, associada a uma necessidade do "esporte" em se reinventar para reciclar e aumentar seu público, criaram outra traquitana, que me esqueci o nome, mas que pelo visto não é das mais caras, logo, acessível a maioria delas...

Ruiu por terra, por enquanto, todo o peso dos milhões de dólares(hoje mais escassos, devido a crise mundial), uma vez que esse "pequeno ajuste" nivelou carros médios ao supercarros das equipes grandes...

Nos parece que as equipes médias são mais capazes de adaptar projetos de seus carros a essas mudanças, do que as grandes, com suas estruturas e interesses enormes, onde as conseqüências de um passo são sempre cuidadosamente tramadas, e portanto, às vezes chegam além do tempo de um esporte onde velocidade é tudo, tanto dentro, quanto fora das pistas...

De certa forma, assistimos hoje, uma melhor definição das capacidades dos pilotos: 
Vettel, Button, etc, parecem reconquistar a possibilidade de brilhar, enquanto Barrichello, mesmo a bordo de uma máquina muito superior, e pela qual vivia choramingando, só confirma sua vocação pelo ostracismo coadjuvante...Um verdadeiro ponto morto...

2 comentários:

Anônimo disse...

Ainda é cedo, nada está definido. Agora podemos ver a capacidade de pilotar de Massa e acredito nele para isso... e também acredito que Barrichelo pode, ainda, surpreender.

Xacal disse...

Concordo...Nesse cenário, pilotos como Massa, Vettel, dentre outros tendem ao destaque...

Quanto ao Rubinho, sua próprias palavras já o definem, e confirmam as minhas: surpresa vem daquilo de onde não se espera muita coisa...

um abraço...