quinta-feira, 30 de abril de 2009

Na contramão...

O anúncio da falência da Chrysler, montadora estadunidense de automóveis, é mostra de que os efeitos da crise econômica mundial, que tem seu epicentro nos EEUU, está longe terem arrefecido...

Mesmo com todas as tentativas de reescalonamento de sua dívida frente aos credores, e a injeção de recursos governamentais, não houve possibilidade de recuperar um dos símbolos da indústria daquele país...

Desde 1933, não havia uma quebra de uma empresa do setor, que se acostumou a concorrência de outras montadoras em seu mercado interno, mas sempre manteve a primazia para as fábricas nacionais, como demonstração do vigor de seu capitalismo...

O acordo anunciado com a FIAT, montadora italiana, é um duro golpe no orgulho estadunidense, que cede espaço para a desnacionalização do capital de suas maiores empresas...

Por vias transversas, podemos dizer que, finalmente, a globalização "entra" nos EEUU, uma vez que das 500 maiores empresas transnacionais, mais de 80% são estadunidenses, e quem sabe, com a crise, haja uma retração que reequilibre a divisão de riquezas mundiais...

Assim substituiríamos a "americanização" do mundo, por uma verdadeira globalização...!


5 comentários:

Raskolnikov disse...

No capitalismo não existe "verdadeira globalização" mas sim um "falso imperialismo".

Anônimo disse...

continue torcendo, gambá
mas no final os americanos sempre vencem

Anônimo disse...

Bom dia, Xacal.

Parece que o carnaval campista fora de época, não decolou.

Um sintoma disso é que nem a Folha da Manhã, o jornal de embrulhar peixe, e nem O Diário, o jornal ordinário, em suas edições de hoje, fizeram menção qualquer menção ao público presente. Quando um evento é sucesso de público, essa é a primeira coisa a ser citada nas matérias.

Na edição de ontem (30/4), O Diário, na coluna Painel Diário, destacou:

Em alta

O alto investimento em estrutura para o Carnaval fora de época em Campos.
Então conclui-se que foram 2 milhões de reais - só para a estrutura - jogados fora. Sem contar a verba destinada às agremiações carnavalescas.

Enquanto isso as escolas continuam à mingua, faltam medicamentos nos postos e secretaria de Saúde, falta tinta para imprimir contra-cheques de funcionários, os buracos nas ruas aumentam mais, terceirizados são contratados ilegalmente etc. etc.

Pão e circo, que esse povo merece!

Ângelo disse...

Pois é.
O Imperialismo americano, pouco a pouco vai entregando os pontos.

Vamos ver até onde isso chegará.

Abraços e excelente texto.

Anônimo disse...

Nessa história toda, como ficam os Chrysler 300C ? Os proprietários terão que usar peças da Fiat?? Xacal, acho melhor você comprar logo um Fiat Siena.