quinta-feira, 9 de abril de 2009

Razão e crítica...

O blog do professor Maycon Bezerra de Almeida traz hoje uma importante reflexão...O texto publicado por ele, Do virtual ao real, é uma síntese do desafio que, de certa forma, tem ocupado uma boa parte do debate travado entre bolgueiros, e que detêm militância política:

Os limites da blogosfera, enquanto instância de mobilização para uma intervenção no cotidiano presencial, e sua importância de catalisar o debate político, não como concorrente dos entes formais (partidos, sindicatos, associações, etc), mas sempre de forma complementar...

É possível que a blogosfera campista se transforme em instrumento de aglutinação das forças que desejam uma Campos dos G. diferente do que experimentamos há 20 anos...?

A experiência recente do Chega de Palhaçada revelou certos aspectos dessa polêmica, e para quem deseja uma análise mais simplista, por interesse de esvaziar o tema, ou por incapacidade de enxergar os fatos, o movimento foi ineficaz pela pouca influência que a rede de blogs têm na vida dos cidadãos campistas..quer dizer: para esses, pouca gente reunida já basta para decretar uma sentença de falibilidade da mobilização.

É parte da verdade, mas não toda...

O cacife da blogosfera é limitado a uma parcela pequena de nossa sociedade, disso não restam dúvidas, embora esses números apresentem forte e inevitável tendência a mudança, uma vez que as classes C e D chegam com força na grande rede, e o veículo de escolha desses setores são as comunidades sociais(orkut, entre os jovens) seguidas de perto(muito perto) pelos blogs(entre os adultos homens)...
Se assim não fosse, nada explicaria o desespero dos milicianos da lapa em tentar recuperar espaço a qualquer custo, que já dão quase por perdido...

Mas para quem se lembra, o Chega de Palhaçada repercutiu na vida política da cidade de outra maneira, uma vez que o aparato de mídia tradicional(o rádio, por exemplo)tentou sufocar o evento(o primeiro deles), inclusive, com a montagem de um "circo de horrores", em cima de um trio elétrico, com a reunião de várias "aberrações" da política local, que gritavam a plenos alto-falantes seus mantras da lapa...

Ou seja, a rede "provocou" uma reação dos militantes políticos adversários, prova de que o apelo da rede de blogs calou-lhes fundo...

No entanto, o movimento não foi capaz de produzir uma participação política orgânica, que ampliasse os limites da rede...

Mas desde o início, havia a preocupação, depois comprovada, de alguns setores, de que a "agenda" proposta(no estilo Cansei...!)não produziria nada além do que uma ação pontual e genérica, sem um liame que costurasse uma plataforma poítica definida e dirigida a combater os setores políticos contra os quais se insurgia...

Agora, a blogosfera se imiscui em outra seara, e de certa forma, repercute e provoca(dentro dos seus limites, é claro)a discussão sobre temas relacionados a Educação, e sua gestão pública, mobilização da categoria e Escola e democracia...

Seria arrogância propor que a blogosfera tenha exclusividade ou primazia na condução de um processo que não é dela...
Por outro lado, desconhecer que a mobilidade e instantaneidade da blogosfera em apresentar as demandas de certa parcela da comunidade, e articular esses interesses em rede, é menosprezar uma importante ferramenta...

O SEPE tem trabalhado bem essa possibilidade, e creio que já passa da hora do Sindicato adotar a blogosfera de forma sistêmica, com a criação de um espaço próprio, ainda que mantenham seus laços de afinidade com os outros blogs...

Tal providência ainda evitaria o erro de que os blogueiros identificados com sua luta possam ser confundidos como interlocutores oficiais do sindicato nos seus blogs pessoais...
E quem sabe, evitar também, o atraso na divulgação de suas notícias, bem como a dependência de espaços e a conveniência de outros blogs, que demonstram boa vontade, mas, certas ocasiões têm impedimentos por vários motivos...

As chances de sucesso dessa nova experiência de interação entre blogosfera e vida política institucional são grandes, uma vez que a pauta dessa vez está agregada a um movimento definido e direcionado, ao contrário da dispersão do Chega de Palhaçada...

O SEPE pode ser o embrião, e laboratório para a fusão entre a rede de blogs e o movimento social organizado, e quiçá, os partidos políticos...

8 comentários:

Sérgio Provisano disse...

Um fato consumado é que a ação dos blogs incomoda ao status quo dominante, assim como um direto no plexo solar seguido de um cruzado de esquerda, mais outro de direita, arrematado por um uppercut no queixo.

Tetê disse...

xacal... eu que o diga!!!!

Anônimo disse...

xacal,fui humilhada na prefeitura por a senhora Dinalva sec da Prefeita,vou lhe dar uma coça na porta da Prefeitura oque vc acha disso?

Jéssica Carvalho disse...

É verdade e como encomoda!
Concordo com Provisano que o diga a reitoria do IFF.

Anônimo disse...

prof. Maycon, zzzzzzzzzzzz...

Maurício Quitete disse...

Os políticos campistas viram que os blogueiros têm influência sim na política.
O problema é a hipocrisia dos capangas políticos, que apesar de menos sagaz acaba atrapalhando o mundo do Blog com calúnias e desleixos às boas pessoas.
Felizmente a taxa de crescimento dos verdadeiros blogueiros é maior que a dos capangas eleitorais.
Abraços!

Anônimo disse...

Quer exemplo prático maior do simples correr risco de ter seu poderio ameaçado que ler diariamente naquele jornaleco chamado O Diário a mesma coisa quanto a blogs e posts anônimos.
Da lapa saíram e para a lapa voltarão...

Professora Hilda Helena disse...

Amado Xacal:

Se tem uma coisa na qual acredito é o fato da blogosfera campista ser um instrumento capaz de experimentarmos a delícia de uma planície diferente!!!

Temos percebido essa aglutinação acontecendo e necessidades emergenciais surgindo como o fato
do SEPE reoganizar essa experiência na rede ...

Lutaremos para que o SEPE consiga experimentar e tornar possível essa fusão entre a rede de blogs e se firme como um movimento social organizado na representação dos profissionais de Educação!!!!

Um forte abraço!!!