terça-feira, 7 de abril de 2009

Vim, vi e perdi...

Pensando bem, nesse negócio de chamar Adriano de "Imperador", ele acabou acreditando, e vive o papel como nunca...

Pena que ao invés de Julio Caesar, ele queira ser Calígola, ou Nero...

8 comentários:

Anônimo disse...

Quanto ao recurso sobre o resultado da análise da renovação de bolsas de ensino infantil e fundamental, quando sairá o resultado? Será publicado no D.O?

Axl disse...

Não precisa ser Julio Cesasm ao menos fosse "Adriano", que também foi imperador.

Anônimo disse...

vcs são ridículos, revoltados, andam a pé e moram mal.Esse blog é desprezível, raivoso, parcial, injusto e mentiroso.

Anônimo disse...

Xacal, que imbróglio é este no IFF, concernente à indicação de diretor, quando os alunos exigem eleições diretas?
Verifique no URGENTE e passa A trolha.

Anônimo disse...

Frase muito antiga: "Você pode tirar o indivíduo da favela, mas não tira a favela de dentro dele" Palhaçada... O cara ganhando milhões, tendo crise existencial e querendo se curar na favela...Quem precisa, está louco para sair de lá e não consegue!

Anônimo disse...

Bate um "teco" pra ele vai... dá um levante! Enquanto houver esta valorização exacerbada de jogadores de futebol vamos continuar tendo que aturar romarios, robinhos e adrianos. Sem contar os kakas da vida. A culpa é desta gente idiota, ignorante que dá a vida por um joguinho de futebol. Torcer é do ser humano, mas carece de moderação.

Marcio

Mesper disse...

Anônimo disse...

vcs são ridículos, revoltados, andam a pé e moram mal.Esse blog é desprezível, raivoso, parcial, injusto e mentiroso.

8 de Abril de 2009 08:11
Ao Anônimo acima :

Vai Tomar No Centro Do Olho Do Seu CÚ!!! ou melhor, vai ler o diário que dá no mesmo!!!

Provisano disse...

E o Jornal Nacional concedeu um tempo generoso para o "Imperador" expor seus pontos-de-vista e explicar que vai largar o futebol aos 27 anos, pois tudo aconteceu muito rápido em sua vida e, ele não está aguentando a pressão.

Quem não aguenta a pressão é o Povo Brasileiro, com seus problemas estruturais sem soluções à vista.

Adriano, vá te catar!