terça-feira, 12 de maio de 2009

Para descontrair...

Esse aí eu copiei, descaradamente, do blog da Jane Nunes(estouprocurandooquefazer.blogspot.com)...

TERÇA-FEIRA, 12 DE MAIO DE 2009

Sem stress...

O nosso comentárista Vater Füder( ele é alemão e não perdeu o trema, me pede desculpa por dizer uns palavrões e com isso segundo ele baixar o nível... Depende Vate, depende mesmo.Em sua homenagem , publico agora um texto atribuido ao Millor mas nãO É DELE em seu Blog o escritor já disse não ser o autor, bom então a autoria é desconhecida , o que não tira a sua "significância"


O nível de stress de uma pessoa é inversamente proporcional a
quantidade de "foda-se!" que ela fala.

Existe algo mais libertário do que o conceito do "foda-se!"? 
O "foda-se!" aumenta minha auto-estima, me torna uma pessoa melhor.
Reorganiza as coisas. Me liberta.
"Não quer sair comigo? Então foda-se!".
"Vai querer decidir essa merda sozinho(a)mesmo? 
Então foda-se!"

O direito ao "foda-se!" deveria estar assegurado na Constituição Federal.
Os palavrões não nasceram por acaso.
São recursos extremamente válidos e criativos para prover nosso 
vocabulário de expressões que traduzem com a maior fidelidade nossos
mais fortes e genuínos sentimentos.

É o povo fazendo sua língua. Como o Latim Vulgar, será esse Português
Vulgar que vingará plenamente um dia. "Pra caralho", por exemplo. 
Qual expressão traduz melhor a idéia de muita quantidade do que "pra caralho"?
"Pra caralho" tende ao infinito, é quase uma expressão matemática.

A Via-Láctea tem estrelas pra caralho, o Sol é quente pra caralho, o 
universo é antigo pra caralho,eu gosto de cerveja pra caralho, entende? No gênero do "Pra caralho", 
mas,no caso, expressando a mais absoluta negação, está o famoso "Nem fodendo!"

O "Não, não e não!" e tampouco e nada eficaz e já sem nenhuma 
credibilidade 
"Não, absolutamente não!" o substituem. O "Nem fodendo!" é
irretorquível, e liquida o assunto.Te libera, com a consciência 
tranqüila, para outras atividades de maior interesse em sua vida.

Aquele filho pentelho de 19 anos te atormenta pedindo o carro
pra ir surfar no litoral? Não perca tempo nem paciência. Solte logo um definitivo 


"Marquinhos, presta atenção, filho querido, NEM FODENDO!".
O impertinente se manca na hora e vai pro Shopping se encontrar com 
a turma numa boa e você fecha os olhos e volta a curtir o CD do
Toquinho.

Por sua vez, o "porra nenhuma!" atendeu tão plenamente as
situações onde nosso ego exigia não só a definição de uma negação, mas 
também o justo escárnio contra descarados blefes, que hoje é totalmente impossível
imaginar que possamos viver sem ele em nosso cotidiano profissional.

Como comentar a gravata daquele chefe idiota senão com um "é PHD
porra nenhuma!" ou "ele redigiu aquele relatório sozinho pora nenhuma!". 
O "porra nenhuma", como vocês podem ver, nos provê sensações de
incrível bem-estar interior.

É como se estivéssemos fazendo a tardia e justa denúncia 
pública de um canalha. São dessa mesma gênese os clássicos "aspone", chepone",
"repone" e mais recentemente o "prepone " = presidente de porra nenhuma.

Há outros palavrões igualmente clássicos. Pense na sonoridade 
de um "Puta que o pariu", ou seu correto "Pu-ta-que-o-pa-riu!!!", falados
assim cadenciadamente, sílaba por sílaba.
Diante de uma notícia irritante qualquer um "puta-que-o-pariu!" 
dito assim te coloca outra vez em seu eixo. Seus neurônios têm o devido
tempo e clima para se reorganizar e sacar a atitude que lhe permitirá dar um
merecido troco ou o safar de maiores dores de cabeça.

E o que dizer de nosso famoso "vai tomar no cu!"? 
E sua maravilhosa e reforçadora derivação "vai tomar no olho
do seu cu!".

Você já imaginou o bem que alguém faz a si próprio e aos
seus quando, passado o limite do suportável, se dirige ao canalha de seu 
interlocutor e solta: "Chega! Vai tomar no olho do seu cu!".

Pronto, você retomou as rédeas de sua vida, sua auto-estima.
Desabotoa a camisa e saia à rua, vento batendo na face, olhar firme,
cabeça erguida, um delicioso sorriso de vitória e renovado amor- íntimo nos
lábios.

E seria tremendamente injusto não registrar aqui a expressão
de maior poder de definição do Português Vulgar: "Fodeu!". E sua 
derivação mais avassaladora ainda: "Fodeu de vez!".

Você conhece definição mais exata, pungente e arrasadora para
uma situação que atingiu o grau máximo imaginável de ameaçadora
complicação?

Expressão, inclusive, que uma vez proferida insere seu autor em
todo um providencial contexto interior de alerta e auto-defesa.

Algo assim como quando você está dirigindo bêbado, sem
documentos do carro e sem carteira de habilitação e ouve uma sirene de polícia 
atrás de você mandando você parar:
O que você fala? "Fodeu de vez!".

Liberdade, igualdade, fraternidade e foda-se!!!

14 comentários:

Tetê disse...

Xacal!!!

Boa!!!
agora está justificado,
é porque não estou p(h)odendo mesmo!!!


KKKKKKKKKKKKKKK

Anônimo disse...

A netinha virou pra mim e disse;"quando o Vasco perde meu pai fala "puta que pariu"! Ele fala chingo! É feio,não é, Vó!

Anônimo disse...

Só para tirar uma duvida esta Jane é a que foi secretária de Mocaiber “macabro"?

Anônimo disse...

Ou entao...

"Pai, o Botafogo vai ganhar do Flamengo ??"

R: NEM FODENDO !!

Anônimo disse...

Esse texto é do Arnaldo Jabour

Vate Füder disse...

Anônimo(a) do dia 12 de Maio de 2009 19:57

Vai te fuder!

Xacal disse...

Não, comentarista das 19:57...Essa Jane é aquela, esposa do tarzan, que adora comer cú de curioso como você...!

Meu caro...você já fez essa provocação aqui, e não colou...agora toma uma traulitada, e vê se aprende...

A Jane fez si parte do pior governo da história desse município...Isso é fato...Se ela se acumpliciou a práticas criminosas: só ela pode te responder...

Isso não impede de considerá-la inteligente, e bem-humorada...

O problema é que entre os imbecis da lapa, que aliás repetem todos os dias os erros que condenavam no governo anterior, há muito poucos(ou nenhum)quadros com essas qualidades...é só imbecilidade, manipulação e subserviência...

Nossas críticas ao telhado de vidro, e aos que fizeram parte desse desastre são públicas e notórias...

Agora a vez de apanhar é de vocês...

Anônimo disse...

Seria você xacal um curioso?

Jane Nunes disse...

Uma honra para mim que vc tenha tb aproveitado o texto, fique sempre à vontade, o rebento é nosso e vc se prontificou a ajudar a "criar".

Jane Nunes disse...

Respondo a vc Xacal, porque o idiota ai não merece. É lógico que jamais fiz parte de qualquer esquema sujo não só nos últimos 9 meses do Governo de Alexandre Mocaiber portanto após a Operação Telhado de Vidro, como tb nos Governo de Garotinho, Sergio Mendes,Garotinho de novo e Arnaldo Vianna. Uma das herdeiras sim de patrimômio significativo em terras, uma usina falida(São Pedro Paraiso)em Itaperuna , vila de casas etc pertencentes ao meu pai e adquiridas com o suor de seu trabalho e ajuda de seu pai, muito antes de 1989,bens registrados em cartório em nome de meus pais. Porém a maior herança de quero e já adquri de meus avós e meus pais é minha honestidade e caráter. Também de meu pai herdei a coragem de dar porrada e mandar tomar no cu qualquer filho da puta que me desrespeite! Então ao idiota me permita Xacal; só devo dizer:Vai dar o cu ao capeta!

Rose David disse...

O legal de tudo, Jane Nunes, ao mandar essas pessoas tomarem no cu, é saber que elas vão mesmo. São bem mandadas e obedecem à risca. Já se acostumaram a isso.

Anônimo disse...

Jane ,
Quem tem medo de cagar não come!(quer ser governo,quer ter blog...)segura essa!

Jane disse...

Com certeza anonimo das 14:54 não sou eu quem tem o que temer!

Tramem disse...

Manda esse sujeito dá o cu ao capeta!