terça-feira, 19 de maio de 2009

Pensando bem...

"Na planície lamacenta goitacá, não se sabe se boa parte da imprensa precisa de SELA, ou de uma CELA..."

Sir Xacal Arthur XIII, príncipe plebeu da dinastia dos blogovíngios, praticante de hipismo e carcereiro, nas horas vagas...(com a colaboração da hiena feliz)...

4 comentários:

Bruno Buexm disse...

Salve Pasárgada...

Xacal disse...

E as três moças do sabonete Araxá...

Anônimo disse...

Ensino Fundamental
Secretaria manda recolher livros com palavrões e sexo distribuídos em escolas paulistas



SÃO PAULO - A secretaria estadual da Educação de São Paulo mandou recolher mais de mil exemplares de um livro distribuído como apoio a leitura para alunos de nove anos, da terceira série do ensino fundamental. O livro "Dez na Área, Um na Banheira e Ninguém no Gol" é uma coletânea de histórias em quadrinhos de vários autores sobre futebol. Mas as histórias são recheadas de palavrões, piadas de duplo sentido, referências a agressões físicas e verbais e palavrões, além de imagens de mulheres seminuas. O livro chamou a atenção de coordenadores pedagógicos.

Esse é o segundo caso de problemas com o material escolar registrado nas escolas estaduais de São Paulo neste ano. Em março, alunos da 6ª série do ensino fundamental receberam livros com informações erradas , em que o Paraguai aparecia duas vezes no mapa e o Equador não era citado.

De acordo com a coordenadora de Pedagogia da Unicamp, Angela Soligo, o conteúdo do livro reforça a banalização do sexo e "deseduca".

- O livro traz preconceito, caricaturas, palavrões e uma visão deturpada da sexualidade - diz Angela.


O material seria usado no programa Ler e Escrever, que reforça a alfabetização de crianças, e os alunos poderiam levar o livro para casa ou usar na própria escola. A secretaria confirmou a compra dos livros, e diz que eles estavam entre os mais de 800 títulos comprados para o programa. Os livros começaram a ser entregues às escolas na semana passada.

Em entrevista ao SPTV, o governador José Serra (PSDB) disse que houve "falha" na escolha. Ele afirmou ainda que foi aberta uma sindicância para punir os responsáveis. Os resultados da sindicândia devem sair em 30 dias.

- Isso evidencia falta de cuidado com a escolha do material didático. Quem comprou o livro não leu ou não tem formação adequada para perceber o erro - diz Angela.

Anônimo disse...

Em entrevista ao jornal SPTV, da Rede Globo, o governador afirmou que apenas 1.200 exemplares chegaram às escolas, mas não foram entregues aos alunos, pois logo os professores questionaram o seu conteúdo.

Indagado se o problema não era semelhante ao de um outro livro distribuído também pela Secretaria de Educação que foi impresso com mapas com dois Paraguais, o governados disse que o caso atual é mais grave por ser um erro de conteúdo e não de impressão. "De qualquer forma, abrimos uma sindicância e vamos investigar as pessoas que deixaram passar esse conteúdo", afirmou o governador.


PERGUNTA: Quem é o secretário de educação de São Paulo?