sexta-feira, 22 de maio de 2009

Prestem atenção...!!!!

Cabe a categoria dos servidores municipais da educação colocarem as barbas de molho...

A julgar pelas notícias do sítio do governo dos mil patetas, campos.rj.gov.br, pode vir por aí uma reedição do famigerado nova escola, uma inconstitucionalidade flagrante, levada à cabo no governo estadual do casal napoleão da lapa, e que até hoje, repercute suas distorções na Educação estadual...

Não digam que sou contra avaliações de desempenho...Não e nada disso...O problema é que avaliação como "punição" é uma mera estratégia para achatar salários, dividir a categoria(com vencimentos distintos), e finalmente, colocar a responsabilidade toda em cima do magistério, eximindo assim quem a tem, ou seja: os governos que formulam e executam as políticas públicas de Educação...

Avaliação é ferramenta de planejamento, para que os erros sejam sanados, e convertidos em soluções para o melhor desempenho...a quantificação isolada, e em si mesmada, não serve a nada, a não ser estigmatizar e impedir um verdadeiro diálogo para solução dos gargalos...

Primeiro a pateta da Educação tentou empurrar "goela" abaixo a avaliação automática...Foi frustrada pela grita dos blogs, e se recolheu...

Agora, pouco a pouco,s em alarde, a pmcg e a smec colocam em curso uma "avaliação externa" das Escolas da rede, justamente quando o SEPE, e a categoria discutem uma pauta de reivindicações...

Isso não é coincidência, e se os educadores não acordarem, pode ser tarde demais...

15 comentários:

Jéssica disse...

Nada de conscidência.
A verdade é que ELAs querem,"mostrar"um resultado ruim dos alunos da Rede Municipal de Ensino(as escolas,com diretores indicados,indicar~ao os alunos com maiores dificuldades,porque em toda escola tem e em toda salça de aula também)para depois apanharem outra "amostragem"talvez até com os mesmos alunos,só que dessa vez os mesmos(o q é mt triste)terão as "avaliações" feitas com a ajuda da DIREÇÃO INDICADA e INDICADORA,o que mostrará uma "enorme diferença"para boatarem ,nas próximas eleições esses "resultados",para a Secretária do "nÉ"dizer:...aí vcs viram,nÉ,que no nosso governo...,porque sabem que a aprovação automática foi a grande casca de banana,na qual se "acidentaram"..

Anônimo disse...

Isso é uma maneira de dar aumentos a cada ano a um frupo e depois a outros,sempre usando o mesmo capital,embora aumentando sempre a VERBA DA EDUCAÇÃO.
PINÓQUIOSSSSSSSSSSSSSSSS.

Monica disse...

Xacal,
Espero que muitos professores da rede possam estar lendo seu post! Precisamos estar incomodados com todas as situações que estão envolvendo a Educação de nosso município. Somos formadores de que tipo de cidadão? Que consciência cidadã temos difundido?
Vamos nos juntar ao SEPE, caros colegas. Eles têm lutado por nossos interesses, mas precisam do nosso apoio.
A próxima assebleia será no dia 23 de junho, às 17:00 no Sindicato dos Bancários. Se comparece um número legal de professores, tenho certeza que vamos ser ouvidos com mais atenção pelos nossos representantes.
Fica aqui meu desafio: "23 de junho, eu vou à assembleia do SEPE. E você?"

Débora da Vitória de Jesus. disse...

Você faz crítica a o "avaliação como punição"... Ora, o que você faz que não seja isso o tempo todo? Será que a prefeitura não esta avaliando à moda Xacal?
Aquela coisa de "estratégia para achatar" e colocar toda a responsabilidade em cima...

Avaliação é ferramenta de planejamento, para que os erros sejam sanados, e convertidos em soluções para o melhor desempenho...a quantificação isolada, e em si mesmada, não serve a nada, a não ser estigmatizar e impedir um verdadeiro diálogo para solução dos gargalos...

Xacal disse...

débora jumentinha do carpinteiro bastardo,

de quando em vez, permito a publicação de seus excrementos literários como forma pedagógica de ilustrar o quão nefasto é o napoleão da lapa e asseclas como você para a inteligência política, o debate e a busca do bem comum...

ao invés de você utilizar o espaço para debater o mérito do assunto, ou seja, a forma de avaliar para punir, você prefere utilizar o contraponto de atacar o debatedor, sempre de forma subalterna e pseudo-humilde, na tentativa de proteger seus donos...

eis que acerca do seu ignominioso comentário presto-me a replicar, como já disse, para que tenhamos a dimensão da psicopatologia que te move e aos seus:

o xacal não é ente de governo, não realiza políticas públicas, portanto, o viés de nossas críticas cumprem, tão somente, o papel que lhe são intrínsecas:
expor as incongruência desse governo de mil patetas(aliás, mil e uma:você)...

minha "avaliação" não destrói a vida de professoras e alunos, e condena a todos a uma educação medíocre, baseada em remendos de teorias quantitativistas e de cunho meramente eleitoreiro...

quando você for capaz produzir algo além dessa secreção enojante que escorre do seu cérebro pela boca, publicaremos seu comentário...

por enquanto, você aqui apenas servirá como objeto de estudo...como os cadáveres, podres, e abertos para nos desvendar as possíveis causas da morte...no seu caso: a morte do livre pensamento...

passe bem....

Anônimo disse...

Olá Pessoal, temos que tomar cuidado, pq a Educação do Municipio está refem de uma pessoa muito forte da nova administração. Olha o que estão fazendo com a educação? professores constrangidos sendo obrigados a juntarem turmas e com isso está remanejando professores para outros lugares, ficando os mestres revoltados e com isso já chegando na nova Unidade com 30 dias de licença. Isso que é modernidade !!! Gestão moderna, eficiente,etc. Daqui a 4 anos, vem os senhores mandatários a pedir votos, e aí gente caí direitinho nessa armadilha sem vergonha. Tem secretários que não está mostrando a cara, e deixa cair toda essa tolice nas mãos da secretária, que nao está percebendo isso. Uma besteira que estão fazendo, a título de economia, aumentando os números de alunos na sala de aula, em torno de uma economia boba para um Municipio em que a educação já é um flagelo.Grande tolice querendo esconder da população toda essa sem-vergonhice, só mostrando passagem a um real. Professores, acorda. Não sei como uma pessoa se sinta acima da lei pra cometer essas loucuras.Aos fatos: Tem professores que trabalham já em escolas mais de 03 anos, e de repente sem esperar são chamados na secretaria para escolher outras escolas. pois bem, quando a secretaria mexe em uma estrutura que já vinha funcionando mexe com a vida das pessoas, e isto está causando muita revolta nos professores.

claudiokezen disse...

Caro Xacal:

É...vc já está se tornando uma instituição passível de avaliações destinadas aos serviços públicos, seus resultados e as implicações que eles tem na vida do contribuinte....

Sugiro que vc siga o exemplo da municipalidade e divulgue com transparência o fluxo de verba pública que entra e sai(humm)do blog!

Mas, como eu sei que vc é um sujeito macho, larga essa porra pra lá...

Um abraço.

Anônimo disse...

Infelizmente todo o desgoverno não é surpresa para quem conhece a prática do casal e seus fiéis seguidores.
principalmente na educação, o que vivemos no RJ, se repetirá ( e já temos mostras disso)aqui na rede municipal.
Só existe desmandos e autoritarismo por haver subserviência. A categoria da educação, como formadora e informadora, tem o dever ético, moral e a responsabilidade de dar um basta nisso!
"Se correr, o bicho pega, mas se unir, o bicho foge"!!!
O SEPE é o sindicato combativo e que possui uma pauta de reinvidicações construída democraticamente ao longo de sua história de lutas, o que falta é a união da categoria para pressionar o governo a fazer o que é necessário e não o que querem!!!
vamos à luta, companheirada... as experiências já nos provaram que sem ela ficamos refém das migalhas.
Afinal, temos um papel muito importante na vida dos (as) alunos (as), que é orientá-los para que sejam cidadãos (ãs) e não permitam que os políticos inescrupulosos (as) os (as) tranformem em massa de manobra. Por isso nos temem e para nos coagir usam de mecanismos para nos desagregar, criando competitividades e meritocracias punitivas...
Abraços e vamos à luta!!!

Débora da Vitória de Jesus. disse...

Obrigada, xacal!

GEANNE disse...

Enquanto isso na rede estadual está havendo um fato novo.
Lembra do Sr. Tinho( famoso 7 e 1) dono da boita Kaxanga(onde só recolhia a receita,pq a despesa erada viúva) na época de Mocaiber?
Ele agora visita as Escolas Estaduais, se apresenta como assessor do deputado Cabral(que foi quem indicou a prima MARINÉA ABUD "NEPOTISMO",para a Coordenadoria Norte-Noroeste,em CAMPOS) e força as diretoras a comprarem com determinada firma.
Segundo ele(TINHOSO) fornece de tudo. De obras a Merenda.
Os professores da rede ESTADUAL. estão apavorado, ele ainda ameaça as diretoras lembrando que seus cargos são de confiança.
Até quando teremos que suportar isso?

Anônimo disse...

Esse ano teremos a Prova Brasil.

Alunos do 5º e 9º ano das instituições com ensino fundamental de nove anos vão participar da Prova Brasil entre os dias 5 e 20 de novembro. O exame, que tem como objetivo melhorar a qualidade da educação, vai avaliar os estudantes com provas de Língua Portuguesa e Matemática.


Em 2005, Campos dos Goytacazes ficou com uma das piores notas do Brasil; a Secretária de Educação na época era uma senhora chamada Auxiliadora Freitas.

Quatro anos depois...

Os alunos que na época estavam no 5º ano(4ª série) farão novamente a prova(trata-se do atual 9º ano).

Até a presenta data(maio de 2009, quase seis meses do novo governo que criticou a educação municipal e trouxe de volta à SMEC a senhora Feitas para melhorar o nível do ensino na terra goitacá), nada foi feito para verdadeiramente limpar o nome de Campos dos Goytacazes na esfera educacional.

Pelo contrário, as unidades escolares estão abandonadas, em todos os sentidos:

01- as instalações elétricas sendo testada no corpo;

02- atividades, testes e provas sendo bancadas pelo professor;

03- funcionários sendo desrespeitado em seus direitos;

04- a estrutura física em estado de perigo;

05- ninguém sabe qual é o projeto pedagógico da SMEC.


Devemos lutar por uma educação mais digna!


SEPE: A próxima assembleia será no dia 23 de junho, às 17h no Sindicato dos Bancários

Rua Marechal Floriano, nº 129/133 - Centro
Tel.: (22) 2723.4524 / 2723.4522
Fax: (22) 2733.4124
seebcampos@censanet.com.br

Anônimo disse...

O projeto de lei enviado pelo governo de Eduardo Paes à Câmara Municipal do Rio de Janeiro que entrega a gestão das escolas públicas a organizações privadas do "terceiro setor", e que constitui uma iniciativa verdadeiramente criminosa de privatização da educação pública no município carioca, foi aprovado por uma ampla maioria de vereadores naquela casa. Dos 50 vereadores, 39 votaram a favor do projeto de lei enviado pelo Executivo, em um amplo arco político que vai dos "verdes" amigos de Gabeira (Sirkis e Aspasia Camarago) até a filha da prefeita campista, Clarissa Garotinho.


OLHA A CRIA!@

Anônimo disse...

É DODORA,que se acha DOUTORA,mas na realidade é "DOTORA,Né"?

Professora Hilda Helena disse...

Amado Xacal:
Demorei um pouco aparecer mas em tempo para debatermos mais uma vez os rumos da Educação Municipal...

Interessante que esta semana conversando com uma Orientadora Pedagógica falei de uma entrevista que havia lido no Blog Novo CÉu e Nova Terra com a Secretária de Educação e a sua sinalização positiva para a Promoção Automática.
Ela nem acreditou que Auxiliadora havia pensado em retornar com isto...
Você tem toda razão :acredito que que eles tentaram empurrar "goela" abaixo a avaliação automática...E só agora percebo que esta foi frustrada pelos gritos dos blogs, e se recolheu...

Mais uma vez um lembrete para não desistirmos da luta...

Mas vejo que eles estão endurecendo em relação às eleições para diretores de escola,e agora mais do que nunca a luta está começando...
Digo começando pois ainda não atingimos a comunidade para querer participar deste ato democrático de escolhermos nossos diretores de escolas.

Escolher nossos representantes deveria ser um princípio básico de democracia também para a escola,já que esta faz parte de uma das esferas do poder.

Já ficou claro que esse governo insiste em negar à comunidade escolar o direito de escolher seus gestores ,eu sei que Gestão democrática não é apenas eleição de diretores, mas também sei que esta é imprescindível para que uma gestão com participação de pais, professores, funcionários e alunos aconteça de fato.

Uma coisa eu não entendo:Por que o governo não escuta os estudiosos sobre o assunto?Por que ataca a categoria impondo “apadrinhados” para as direções das escolas municipais?E por que o correto não é cumprido?

Engraçado que parece que ao iniciarmos o Ano Letivo em um dos dias do Congresso de Capacitação para os Professores a nossa Secretária disse que só não realizaria as eleições este ano porque não tínhamos tempo já que as chuvas atrapalharam o início das aulas.

Agora apareceu tempo para aplicar a tal Avaliação e eu acredito que o investimento seria menor se a eleição tivesse acontecido...Ou não?

Eles não perderiam tempo em aplicar essa tal prova se já não soubessem do resultado,pois não acredito que dariam este gostinho aos adversários políticos ...Eles não estão com o interesse voltado para quetão do desempenho ou planejarem uma melhoria no Sistema Educacional Municipal pois não vejo uma Política Pública voltada para a Educação.

Será que esse governo pensa que não entendemos que eles não querem nos ouvir e que não estão nem aí para o que achamos e que no fundo,no fundo sabemos que esse fracasso cairá sobre os ombros da categoria?

A única esperança e eles deveriam temer é a conscientização não só da categoria mas da comunidade ...Se isto acontecer eles sairão derrotados...

No dia 23 de junho estarei na Assembléia do SEPE .Aceito o desafio da Professora Monica:Vou à luta!Não vou esperar um milagre acontecer!!!!

Profissionais de Educação:"Quem não luta por seus direitos,vive a espera de favores..."

FÁBIO SIQUEIRA disse...

Caro Xacal, caras comentaristas,

Muito lúcidas muitas observações aqui registradas. Não seria o caso de repeti-las ou de reprocessar o que já está bem demarcado.
A mobilização é o que pode dar o tom da resistência. Isolada da base, a direção do SEPE, por mais combativa que seja, não tem como pontuar todos os inúmeros problemas da rede e pressionar o governo.
Em algumas - poucas - escolas já há núcleos de companheiras que estão "linkando" a indignação intramuros com a luta proposta pelo SEPE. Creio que a tática correta agora é buscar construir mais bases de mobilização em mais escolas. Talvez o momento eleitoral no sindicato - mesmo sendo parte da rotina democrática - gere confusão, desconfiança e dificulte esse processo. Mas acho que é necessário pensar nesse sentido, e que a futura direção, independente da hegemonia a ser apontada pelas urnas, tenha a perspectiva de agir com unidade.