sexta-feira, 29 de maio de 2009

TrOlhada do leitor...

Bom, meu caro Hevilmar, aí está o seu comentário em destaque...Só um detalhe: o blog do Roberto Moraes tratou do tema, essa semana, no post, mas mesmo assim, reforçamos pela gravidade do tema: Pescadores reclamam da intervenção do grupo EBX/MMX/LLX...
Mas mesmo assim, reforçamos pela gravidade do tema...

É muito triste quando a censura prevacele.

O texto abaixo não consegue eco em nenhum meio de comunicação local. Será por quê?

Pescadores reclamam da intervenção do grupo EBX/MMX/LLX

Atendendo pedido de vários amigos, que são pescadores de Gargaú e tiram seu sustento do mar, escrevo para, se possível, possa dar publicidade através da Rede Blog, a uma calamidade que está ocorrendo em nossa região, que atinge diretamente não somente a estes trabalhadores, assim como aos demais pescadores que atuam na região marinha da costa dos municípios de Campos dos Goytacazes, São Francisco de Itabapoana e São João da Barra.

Como sabemos, a empresa MMX colocou em andamento um dos seus projetos mais ambiciosos, o Porto do Açu, que está sendo muito festejado por autoridades, imprensa e membros da comunidade. Nada tenho contra o progresso, e aos benefícios que este projeto possa estar trazendo para os municípios da região.

A reclamação é dos pescadores, a qual ninguém parece querer escutar. Afirmam que o material da dragagem que está sendo feita para aprofundar o leito do mar, aumentando a altura da lâmina d’água na área do porto, está sendo despejado em locais marcados em seus GPS’s, como corais onde efetuavam as pescarias de peruás, pargos, etc. Além do aterro que está sendo efetuado em uma longa extensão de corais, a “carga” lançada no mar pelo navio-draga, afugenta os peixes.

Segundo os pescadores, as sondas de seus barcos que localizavam os cardumes de peixe, hoje somente localizam “poeira” em suspensão na água. Trata-se de uma tragédia dupla: a ambiental, pois grande parte dos corais estão sendo soterrados em quilômetros de extensão, matando a vida marinha da nossa costa; e a humana, pois ao acabar com “pontos” de pesca de milhares de pescadores dos municípios citados, estão tirando o sustento destes trabalhadores, que já passam por necessidades.

A MMX ou LLX, tem feito palestras para os pescadores, na sua propaganda dos benefícios que está trazendo para a região. Dizem das compensações ambientais que estão fazendo, como doação de veículos, computadores e outros benefícios, para prefeitura(s). Dizem ainda, que não podem ajudar diretamente aos pescadores, pois somente fazem convênios com as prefeituras. Falta dizer como matar a fome e garantiro sustento desta gente e de suas famílias, pois se estão mandando recursos para prefeitura(s), estes nem de perto passam dos pescadores.

O pior é que estas tragédias poderiam ter sido evitadas, se antes a empresa tivesse feito contato com os pescadores e identificado os “pontos” pesqueiros (todos marcados em GPS’s), efetuando o despejo do aterro em locais mais distantes, onde os pescadores não atuam. Coisa de mais 20 km de mar, o que para a MMX, não representaria nada.

Quem quiser conferir esta história, basta ir a Gargaú e conversar com os pescadores. Para não relacionar uma lista imensa, podem procurar Carlinhos de Belinha, Gilmar, Gilberto, Lelé, Lauro, Venildo, Humberto, Cid; e quaisquer outros da localidade.
Grato pela atenção,
Hevilmar Carneiro Rangel.



4 comentários:

Anônimo disse...

Mais uma "papagaiada" das "otoridades" que fazem polícia com noticiário de jornal.

Hoje é PÉSSIMA as condições de trabalho nas duas principais delegacias da região .

Nenhuma solução é dada para as reclamações do contribuinte que mal consegue fazer um BO . Os inquéritos se acumulam na prateleiras e a criminalidade aumenta na proporção do fracasso da política de segurança pública .

Ainda temos que suportar os oportunistas de plantão com "choque de ordem" . Pura "politicagem" e hipocrisia , das ditas "otoridades" .

"Olha o flash ae ! Onde ? Cliki! "
Trolha neles!!!

Anônimo disse...

Operações policias podem gerar efeito negativo nos índices de criminalidade ( diminuição) , na medida em que trabalham com a chamada Prevenção Geral , ou seja, imprimem na coletividade o temor pelas instituições.

Porém fracassam na medida em que não vem acompanhadas das mudanças de base que a segurança pública necessita .

Ninquém discute que um exemplo de sucesso foi a mudança estrutural pela qual passou a PF .

Há menos de dez anos atrás ela era tão fracassada quanto a PC Estadual e hoje faz bonito tanto na prevençao geral quanto na especial .

Abrçs

"O GOma"

Avassaladora disse...

Xacal, seu carinho é sempre muito especial...

Obrigada por ser assim, tão cavalheiro!


Sua visita merecia um tapete vermelho...rsrsrs


Beijos avassaladores!


PS: Admiro vc e como é engajado em causas politicas/sociais...
Se ninguém luta, como fica o desmando que impera em todo lugar?

Anônimo disse...

tem muita gente preocupada com o número de empregos que serão gerados, desde os coronéis aos revolucionários, estranho