quarta-feira, 24 de junho de 2009

La tROlha au monde...TrOLha world wide live...Il mondo na TrOLHa...

Bric-a-brac...
No setor de varejo, é assim que os especialistas se referem aquelas lojinhas, ou lojões, que vendem toda a sorte de especialidades e utilidades domésticas, itens de manutenção e pequenas ferramentas...São conhecidas e têm seu mote principal a diversidade...Mais ou menos como os BRIC's, Brasil, China, Rússia e Índia...Depois do encontro em Ykaterinburg, na Rússia, a revista The Economist traz um texto interessante, que analisa as possibilidades e demandas desse grupo...
Longe de repercutir o ceticismo exagerado dos guardiões de Wall Street(que com tempo sobrando se dedicam hoje, também, a arte da quiromancia em quermesses internacionais), a revista traça um panorama realista: A dificuldade em definir uma agenda comum se dá pela diversidade de cada integrante do bloco, ou seja, os BRIC's podem e devem explorar essas diferenças, e não aguçá-las como pontos de cisão, mas sim de oportunidades...Para a The Economist o grande salto é que agora os BRIC's se assumem como um bloco, em oposição ao G-8...Cientes de que a economia mundial, e a gigantesca crise no eixo central do capitalismo, pode lhes oferecer a chance de redesenhar a geopolítica mundial, os chefes de Estado e de Governo dos BRIC's demonstraram ao mundo que estão confiantes de que seu países não serão mais "satélites" girando em torno do planeta Wall Street...


Fim de linha...
A revista Al Jazeera traça um panorama interessante, que conecta a crise institucional britânica, com o uso de verbas públicas em proveito de integrantes do governo e parlamento, como um dos aspectos que revela o re-birth(renascimento)da democracia na Ilha de Vossa Majestade...
A repulsa e desgosto dos britânicos renovarão as discussões sobre transparência, responsabilidade e prestação de contas(transparency, reponsibility, accountability)...Nas palavras do presidente da British Iraqi Foundation, Dr Burhan Al-Shalabi, que assina o artigo, a possibilidade da sociedade britânica de rediscutir a influência e alcance desses pilares na ação política e geopolítica do Estado, deve ter influência direta nas questões de política externa e soberania da Inglaterra em relação ao Oriente Médio, e, principalmente, nos países que ocupa, junto com os EEUU, a saber: Afeganistão e Iraque...
Ou seja, não mais será possível aos líderes britânicos gozarem de um "cheque em branco" para manipular ações militares e diplomáticas em proveito das teses que sustentem seus projetos pessoais ou de grupos restritos...
Há uma demanda pública para que tais temas sejam tratados como assuntos de Estados, e não de governos ou de determinados líderes e seus partidos...


Ataques cirúrgicos e hemorragias...
A utilização de tecnologia em larga escala, em conflitos armados, forjou, com auxílio luxuoso da mídia de coleira mundial, e seus diplomados jornalistas, a ilusão de que poderiam ser diminuídos os efeitos colaterais das guerras...Entendamos a aberração em tratar a matança de civis como efeito colateral..Já traz em si, a lógica assassina desses conflitos...
Assim, era necessário criar um manto pseudocientífico-tecnológico, com a reprodução de imagens de raids aéreos, com telas parecidas com videogames...Tudo isso para contrapor o horror das imagens quase instântaneas do sofrimento, morte e mutilação de soldados e civis...
Mesmo com todas as maquiagens não há como escapara...Guerra é guerra...E nelas, como no amor, diz o ditado, vale tudo...
60 afegãos morreram em uma ataque duplo na longíqua localidade de Ladha, no Waziristão Sul, região fronteriça do Paquistão e Afeganistão...Novo local de prioridade para a máquina mortífera dos EEUU de Barak Obama...
Tudo indica, de acordo com informação da mídia paquistanesa, que o ataque foi desferido por um avião não-tripulado(drone)...
Matança high-tec...made in Barak Obama...


Fontes: Al Jazeera Magazine, El País e The Economist...


Nenhum comentário: