segunda-feira, 29 de junho de 2009

Parabéns, Flamengo...!

Alguns dos nossos treze leitores(as) reclamaram, certo tempo atrás, que tratávamos aqui nesse pequeno covil, apenas do bola ao cesto estadunidense...

Tinham certa razão, nossos colaboradores...

O basquete brasileiro, que sempre produziu ótimos jogadores e treinadores, e com um público cativo, oscila entre a mediocridade dos seus gestores(cartolas), e de ídolos muito mais preocupados com sua projeção midiática do que com o esporte, salvo, raríssimas e honrosas exceções...Prova disso é que só fazemos vergonha nas competições internacionais masculinas dos últimos anos, muito embora "exportemos" nossos players até para a meca do esporte, a liga profissional dos EEUU...

Talvez, por tudo isso, e mais alguma coisa, nosso basquete fique refém dos grandes grupos de comunicação, aliás, como a maioria dos outros esportes brasileiros...

Só isso explica um nome horroroso como: Novo Basquete Brasil, NBB, uma tentativa ridícula de criar uma sonoridade parecida com NBA(North-American Basketball Association)...
Desrespeitosa com os ídolos do esporte nacional, como se a suposta nova etapa pudesse existir sem as conquistas anteriores, ou pior: como se de fato existisse essa nova fase, que, na verdade, não passa de mais um apelido midiático a cata de patrocinadores oportunistas...

Mas, ontem, de frente para a TV, na rede globo PIG, em uma transmissão retalhada, venci a má-vontade, e pude assistir ao último quarto do match final entre CR Flamengo e Brasília/Universo...

Um jogo nervosíssimo, como não poderia deixar de ser, onde os teams se equivaleram, com a diferença ressaltada em detalhes, como convém as grandes decisões...Marcelinho fez jus a confiança nele depositada, e como um maestro regeu a vitória da squadra rossonera da Gávea, para o delírio de um ginásio completamente lotado...O domínio dos flamenguistas nos rebounds me pareceu decisivo, ainda mais quando o score da partida se estreitava, e ameaçava a vantagem do time carioca, que sempre oscilou, no último quarto, entre três e sete pontos...

Venceu o quinteto mais consistente...

Fica a certeza que a marca Flamengo transcende as quatro linhas do esporte bretão, e que se mantida a aposta, com trabalho de base que lance rookies, poderá render frutos ao ninho dos Urubus, mas principalmente, ao BASQUETE BRASILEIRO...