terça-feira, 30 de junho de 2009

Pelo avesso, de ponta a cabeça...tudo ao contrário...

Protegido pela imunidade a emoção, que só o passar do tempo proporciona, restam algumas observações sobre a vitória do Brasil sobre os EEUU, na final da Copa das Confederações, ou test-drive da Copa 2010...

Primeiro...Pela reação dos europeus, brancos e de olhos azuis da mídia PIG internacional, parece que será necessário mais do que editoriais, bandeirinhas fairplay,no racism da Fifa, e palavras bonitas para combater a má-vontade e a intolerância dos ricos para com os pobres...ainda mais quando são pobres e pretos...

O episódio das vuvuzelas(as cornetas dos bafana-bafana)é uma clara demonstração dessa triste premissa...

Depois, é preciso que se resgate o senso coletivo do esporte bretão...

Sim, não somos ingênuos, e sabemos que a Copa do Mundo, hoje, é só uma grande feira de carne humana que joga bola com pés, e alguns com as mãos...

Mas algum senso de combate ao individualismo exacerbado deve prevalecer, sob pena de perecer o principal atrativo do espetáculo, ou seja: a disputa entre nações, que na simbologia dos feitos humanos, substitui a rivalidade belicosa pela esportiva, como forma de autopreservação da espécie...

Temos um estranho paradoxo...No campo, técnicos e táticas privatizam o espetáculo em nome de esquemas competitivos e as normas que enquadram o espetáculo em formas cada vez mais vendáveis, sob esquemas rígidos de publicação e veiculação...Essa apropriação do espetáculo, pelos enormes interesses econômicos, isolou e massacrou o craque, nivelando todos os atores a um mesmo nível ruim, que acabou com a possibilidade de surpresa: o grande charme do football...

Assim, jogadores, não brilham mais para o time e para o jogo, ou em última instância, para a audiência...Brilham para si mesmos, seus patrocinadores e suas religiões...O que é chato, e contraproducente em um esporte que se joga em time...

Foi assim na cerimônia de premiação da Copa das Confederações...

Quem se der ao trabalho de lembrar, ou assistir, de novo, as imagens poderá comprovar o que digo...

Camisas com citações religiosas, em afronta ao princípio da laicidade do esporte, onde se sacrifica a liberdade de culto indivíduo em nome de evitar a reminiscência de ódios seculares, extremamente perigoso quando há multidões no entorno...tanto nos estádios, quanto atrás de TVs...

Logo, alguma boa alma laica(não confundir com agnóstica, please...) tratou de impedir que os jogadores, como Kaká(o cruzado futebolista-extremista da fé), e outros aparecessem vestidos com essas camisetas sobre o manto verde amarelo...

Depois foi a gafe monumental que Lúcio, o zagueirogro, cometeu ao mudar o protocolo para receber o troféu longe do local indicado, e portanto, impedindo que o presidente sulafricano, o anfitrião, pudesse fazer a memorável foto com os artistas da bola...É o mínimo que esperava quem pagou a festa...Que seja visto pelo seus contribuintes-povo ao lado do vitorioso...Esse é o acordo...

Por derradeiro, a ridícula cena dos jogadores com as camisas invertidas, de trás para diante, para ressaltar o nome do jogador em detrimento do brasão da confederação brasileira e das estrelas dos títulos...

Uma declaração subliminar(ou não)que para aqueles jogadores um time nada mais é do que um apêndice para suas individualidades...O país de um homem só...ou homens sós...

Não é de se admirar que a esmagadora maioria nossos jogadores seja conhecida como debilóides, tutelados por cartolas e empresários que lhes chicoteam o couro, e lhes tratem como crianças mimadas...

E antes que alguns nos acusem de extrema severidade, e defendam a visão liberal(strictu senso)de uso do corpo e da imagem, não é demais lembrar que esses imbecis já venderam essa prerrogativa há muito tempo, e por muito dinheiro...muito dinheiro...

É a mais crua, dura e nua verdade...

3 comentários:

Bruno Buexm disse...

Bom dia, Xacal!

O GRAAC tá fazendo uma campanha bacana pra arrecadar doações!

Não custa nada darmos uma ajuda!

Dá uma olhada www.brunobuexm.com
Obrigado!

Horacio disse...

E ainda existem pessoas que torcem pela "seleção brasileira"(com "b" minúsculo!). Gente, esporte é um meio de lavar dinheiro! Vocês acham que alguém está alí por patriotismo?
Como diria meu sogro: "Quero ver duro!!"

Gayrotinho disse...

resposta ao comentário do horácio


Tristeza...
...por favor vá embora...rsrsrsr.