quinta-feira, 25 de junho de 2009

Sem pânico...

A gripe A, ou h1n1, aperta o cerco em nosso Estado...No Brasil os casos de positivação de casos dobrou de ontem para hoje...

No entanto, o que mais assusta não é a letalidade do vírus, mas a incapacidade da nossa rede pública em diagnosticar e adotar medidas preventivas e de emergência em relação a pandemia...

No jornal hoje, do PIG globo, fica claro que uma das dificuldades principais é que os sintomas dessa infecção são semelhantes a outras...

Assim, o sistema de saúde oscila entre a própria incapacidade, e o cuidado, justificável, de não espalhar o terror...

Cabe as autoridades sanitárias tratarem sempre o assunto com o máximo de informação possível, pois a ignorância é a mãe do pânico...

Mas o melhor da reportagem foi a declaração de uma belíssima argentina, com aquela voz aveludada pelo sotaque porteño: "Hay risco para a vida, mas temos que seguir vivendo..."

8 comentários:

Anônimo disse...

quem sabe a prefeita lesminha e o safadão da lapa pega esta gripe e morre!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Incrível, quando essa doença apareceu, ou esta em eminência de aparecer,viamos através da tv em muitos países pessoas usando máscaras para evitar o contágio. já aqui já falam em epidemia, mas cadê as mascaras?

RRReennto

Anônimo disse...

Essa gripe e mais um ingrediente para nossa tao esperada festa,depois que passar a festa oq vai ficar se ra somente a gripe.

Anônimo disse...

Eu estou de cama gripada e preocupada, estive na festa do SESC mineiro, e como vou saber se lá não tinha pessoas contaminadas.

Xacal disse...

procure a unidade de atendimento mpedico mais próxima, e relate com clareza os sintomas, bem como o tempo da aparição destes, e ainda o prazo que decorreu entre o evento e o início da ocorrências dos sintomas...

um abraço, e cuide-se com o médico...nunca faça autodiagnóstico ou automedicação...

Anônimo disse...

Compareci ao posto de saúde Dr jamil Ábido localizado no Pq leopoldina,na rua são Fidelis, pretendendo por inúmeras vezes agendar consulta medica. Ocorre que, enquanto aguardava, notei privilégio no atendimento ambulatorial àqueles que era da mesma igreja do encarregado do posto Pr.Rogério Barcelos ,digo da mesma igreja porque uma funcionária com nome de conceição falou em bom tom sem nenhum constrangimento e pessoas de boa aparência conseguiram marcar consulta que chegaram depois de mim a quem era proporcionado um acesso diferenciado e especial aos serviços.
Esse tratamento desigual representa ofensa à Constituição Federal (em especial aos artigos 1º, inciso III, 3º, IV, 5º caput, 196 e 198, inciso II), que estabelece como fundamento do país democrático em que vivemos a dignidade da pessoa humana e dispõe ser a saúde um direito de todos e um dever do Estado, que tem a obrigação de proporcionar um atendimento integral. Fere também a Lei que criou o SUS - Sistema Único de Saúde (Lei 8080/90) que garante o acesso aos serviços de saúde de maneira eficaz e sem qualquer discriminação.
Também desrespeita o princípio constitucional da impessoalidade (artigo 37, caput), que impõe ao Poder Público o dever de não favorecer nem discriminar quem quer que seja por motivos pessoais, como, por exemplo, condições financeiras de quem solicita o serviço público. Assim, um estabelecimento de saúde integrante do SUS não pode levar em conta a situação econômica vantajosa do paciente para lhe conceder atendimento favorecido.
espero que atraves da minha indignação e desse blog providências sejam tomadas no sentido de que o acesso a este serviço público de saúde seja igual para todos os usuários, proibindo-se qualquer tipo de discriminação.

Anônimo disse...

Xacal,
Parabéns! Como médica devo dizer que sua orientação foi irretocável.
Abraços

Anônimo disse...

No Ferreira Machado, já tem pessoas de quarentena com suspeita da gripe!