sexta-feira, 24 de julho de 2009

Da série: Fábulas da TrOLha...

Todos conhecem a historinha do escorpião-usineiro e do sapo-comunidade...

Eis que à margem de um rio, o escorpião-usineiro vislumbra a outra margem, mas devido a sua fragilidade, e sua constituição, morrerá ao atravessá-lo...Um sapo-comunidade, um solidário sapo-comunidade...
Ao contrário dos seus pares, acusados de terem "olhos grandes" e viverem na lama, o sapo-comunidade resolve oferecer uma "carona" ao escorpião...Ignora assim o risco de ser picado, ou quis assumí-lo, tanto faz...

Eis que em meio a travessia o escorpião tasca-lhe uma bela picada...
O sapo, atônito, pelo gesto, e pelo veneno inoculado rapidamente em sua corrente sangüínea, pergunta-lhe:
-Mas morreremos os dois...por que fizeste isso...?
-É da minha natureza...!

Um comentário:

Anônimo disse...

Conheço essa parábola de outra forma. Mas, encerra a mesma moral. Quem nasceu para escorpião, sempre será escorpião. Traiçoeiro, falso, peçonhento e fatal.