domingo, 26 de julho de 2009

Diploma...para quê diploma...?

Hoje, fui até o balneário Lagoa de Cima, na companhia de amigos queridos, e seus filhos...O cenário lá pela Lagoa ainda e desolador...
Ocupação desordenada, areia imunda, cães e outros animais a dividir a areia com banhistas, camionetas possantes estacionadas dentro da lâmina d'água, para que imbecis e seus brinquedinhos assassinos, que chamam de jetsky, a restringirem o espaço dos que se aventuram a dar um mergulho, dentre esses, senhoras e crianças...

Mas o pior da tarde ficou por conta da leitura da folha de embrulhar peixe podre...Eis que em uma longa entrevista, do novo comandante do 8º BPMERJ, logo ali, na primeira resposta, o jornalista diplomado, transcreve a resposta, e ao tentar grafar a palavra faixa, tascou um "FACHA"...

Um horror...um horror...Desisti da leitura do jornal, fechei o hebdomadário, e procurei um lixeira, e encontrei uma com o nome "alciones de rio preto"...não tive dúvidas, uma lixeira com nome próprio, e apropriado, para um jornal que é um lixo...

E olha que por esses dias, um quase-conhecido intelectualóide que faz as vezes de jagunço-articulista, criticou os blogs, e teceu loas "acadêmicas" e prolixas ao "novo e dinâmico" veículo...

Lamentável...

2 comentários:

Anônimo disse...

É, Jornalista Leonardo Barros, esse " FACHA " aí ficou terrível.Acaba perdendo a credibilidade o seu trabalho. Logo abaixo há um Nota Pública dizendo que é necessário para o exercício do JORNALISMO, a formação universitária. Que a FAFIC e outras mais fiquem de olho aberto e, corram atrás da LÍNGUA PORTUGUESA nos currículos de suas Instituições.Com ou sem diploma, Xacal, o caso é sério.

Claudio Kezen disse...

Além do chuvisco e da goiabada, a tradição dos jornalistas semi-analfabetos e dos jornais sem revisor não pode morrer!

Viva a tradição!!!