segunda-feira, 20 de julho de 2009

Direto do twitter.com/atrolha...

Lindberg Farias anuncia: só serei candidato ao governo do Estado de Lula deixar...!

4 comentários:

Anônimo disse...

É chacal, o Blog do Napoleão da Lapa perdeu força. Tem matérias lá postadas desde ontem sem nenhum comentário. Depois da saída dele do PMDB, inguem mais quer saber. Sou mais a TROLHA.

Xacal disse...

Pois é: macaco(louco)que muito pula, um dia cai do galho...

com a ida o napoleão 22 da lapa para o quitinete PR, no colo da Dilma e do Lula, seus asseclas ficaram com cara de cachorros que cairam da mudança...

são uns imbecis...

agora a gente pode descer o safarro neles, e o chefe os manda ficar quietinhos, afinal, agora tem que elogiar o governo federal...rsrsrs...

Jane Nunes disse...

rsrsrsrsrsrrrsrrsrrsrrs ( rindo muito não dá nem para comentar) rsrsrsrsrsrsrrss

Matheus disse...

Caras-pintadas-de-branco

BRASÍLIA - Em agosto de 2005, usei o termo do título acima neste espaço para descrever a metamorfose da UNE em mais uma filial chapa-branca de apoio ao governo Lula. Na época, o Planalto submergia na lama do mensalão.

Passados quase quatro anos, o comportamento da UNE em seu congresso encerrado ontem deu nova dimensão à observação.

Bancados pela Petrobras, os "estudantes" protestaram contra a CPI que visa investigar a estatal.

Na palavra de seus dirigentes, uma coisa nada tem a ver com a outra, o "petróleo é nosso" e afins.

Hoje as verbas federais se igualam à receita das carteirinhas de estudante na composição do cofre da UNE.

Em 2005, disse que a entidade "jogava sua história no lixo" ao apoiar cegamente Lula no mensalão.

Talvez tenha sido generoso.

Se merece análise o seu papel na ditadura, geralmente a UNE é mais associada à campanha pelo impeachment de Fernando Collor em 1992.

O jornal britânico "The Observer" publicou uma ótima reportagem ontem sobre a mitificação ocidental da "revolução" que derrubou o comunismo na Romênia 20 anos atrás.

Nem em Timisoara alguém acredita hoje ter havido tal coisa.

Ceaucescu caiu em um golpe palaciano, e a vida seguiu.

Mas a "revolução" ainda é comemorada.

Da mesma forma, a UNE até hoje diz ter derrubado o presidente em 1992.

Com esse aval, digamos, defende sua importância e a necessidade de ter atendidas demandas, entre um "Fora Yeda" e outro, como a volta de algum controle sobre emissão das carteirinhas.

Sintomaticamente, propostas efetivas para o ensino inexistem.

Collor foi a razão de ser do ressurgimento da UNE depois da ditadura.

Agora, em sinal trocado, Lula assume o posto e consolida o peleguismo da entidade.

Faz mais do que um sentido que os dois antigos adversários se abracem por aí.



Retirei agora do blog do juca Kfouri

na minha modesta opinião uma boa análise do que se acontece no movimento estudantil, Fábricas de carteirinhas, chapas brancas e etc. Desde o tempo do "Lindinho" é assim. è necessário uma nova ornazição estudantil, Independente e combativa.