segunda-feira, 6 de julho de 2009

Mais uma do Marcelo Gleiser...

Quem nos abastece é o camarada Gustavo Cravalho Lemos...Leia aí o texto, e torça um pouco seus neurônios, como eu fiz com os meus...

+Marcelo Gleiser

Consciência cósmica

Será que a vida inteligente não passa de uma coincidência?

Não há dúvida de que nós, seres humanos, temos a necessidade de encontrar significado em tudo o que fazemos. Tudo tem (ou deveria ter) uma causa por trás, algo que justifica uma ação ou uma reação.
Uma doença é causada por um agente -por exemplo, um vírus. Fazemos ginástica para estar em forma. Procuramos ter amigos, prazer, amor na tentativa de viver nossas vidas da melhor forma possível. Quando nos perguntamos sobre as causas das coisas, do mundano ao mais profundo, nós esperamos uma explicação, algo que faça sentido.
Tradicionalmente, as perguntas ditas mais profundas eram relegadas a explicações religiosas ou míticas, lançando mão de agentes sobrenaturais.
Como o mundo surgiu? E a vida? Existe alguma razão para estarmos aqui?
Ou a existência não passa de acidente?
Hoje a ciência também encara essas questões. Dentre as mais fascinantes, talvez a de maior significado para nós seja a relação (ou não) entre a mente, a vida e o Universo. Será que a vida, em particular a vida inteligente, não passa de uma coincidência, resultado de inúmeros acasos sem nenhuma razão de ser? Ou será que estamos aqui (talvez juntamente com outras inteligências) por algum motivo?
Descontando a versão bíblica de que estamos aqui criados segundo a imagem de um Deus onipotente ou que estamos vivendo o nosso inevitável carma, existem várias respostas de cunho científico. Apesar de não sabermos se alguma delas está certa, a discussão é frutífera, trazendo à tona aspectos importantes do pensamento científico contemporâneo. Sem tentar ser exaustivo, eis algumas delas. Em futuros textos voltarei ao assunto.
1. O cosmo é único, resultado de uma estrutura matemática que a física teórica vislumbra em raros momentos. Por trás da enorme diversidade das coisas, em particular da matéria e das suas propriedades, existem leis bem determinadas e eternas que ditam desde a existência do Universo ao valor da carga e da massa do elétron.
Se algum dia obtivermos essa teoria unificada, a teoria de tudo, teremos chegado ao ápice da racionalidade, decifrando o código secreto da natureza.
(A "mente de Deus" como Hawking e outros afirmam.) Segundo essa visão, a vida e a mente são acidentais, já que a física e a química têm pouco ou nada a dizer sobre a emergência da vida.
2. O cosmo é um dentre possivelmente infinitos outros, todos parte de um multiverso. Em cada um deles, as propriedades físicas são diferentes.
Apenas em alguns poucos a vida é possível. Algumas versões das teorias unificadas preveem a existência, ou são compatíveis, com o multiverso. Os unificadores mais radicais afirmam que, se o Universo é único, o multiverso não pode existir. De qualquer forma, uma das dificuldades dessa visão é encontrar um critério seletivo que justifique de forma natural a nossa existência. Uma teoria na qual tudo é possível explica muito pouco.
3. Existe um princípio vital, alguma lei que ainda desconhecemos, que explica a existência da vida no Universo.
Essa versão apela para a teleologia, afirmando que o cosmo é de alguma forma responsável pela existência da vida e, em particular, da vida inteligente. Mesmo dentro de uma formulação científica, fica difícil separar essa visão da visão religiosa, onde causas são atribuídas a um princípio criativo divino. Por outro lado, como vários exemplos históricos mostram, o que hoje chamamos de mágico ou sobrenatural pode, um dia, vir a ser explicado cientificamente. É prudente manter a cabeça aberta.
O contraste é na postura natural versus sobrenatural, ou seja, na capacidade de a ciência oferecer repostas plausíveis à questões dessa natureza.

MARCELO GLEISER é professor de física teórica no Dartmouth College, em Hanover (EUA), e autor do livro "A Harmonia do Mundo"

8 comentários:

Anônimo disse...

xacal,

Seria possivel voce esclarecer esses dados colocados na internet ?!
Será que houve realmente uma licitação ?

Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes3 Jul 2009 ... Lista de Órgãos · Concursos · Leis Municipais · Orçamento Municipal · Licitações · Diário Oficial ... Técnicos da secretaria e da empresa Eicon Consultoria estão ... Isso trará um maior nível de controle, aperfeiçoamento no processo ... Prefeitura lança nota fiscal eletrônica e alvará inteligente na ...
www.campos.rj.gov.br/noticia.php?id=19688 - Em cache - Similares
________________________________

H O M O L O G A Ç Ã O
Aprovo os atos praticados no procedimento licitatório na modalidade
Pregão nº 066/09, processo nº 2.09/1496-6 e, em conseqüência, HOMOLOGO
a presente licitação, com a adjudicação da contratação de
licenciamento de uso de sistema para modernização da Administração
Tributária Municipal, incluindo implantação, conversão, treinamento e
suporte para implantação do Livro Eletrônico, Nota Fiscal Eletrônica e
Cadastro Mobiliário Inteligente, à licitante vencedora EICON CONTROLES
INTELIGENTES DE NEGÓCIOS LTDA, com valor global de
R$ 4.480.000,00 (quatro milhões quatrocentos e oitenta mil reais).
PUBLIQUE-SE
Em 24 de junho de 2009.
Francisco Arsênio de Mello Esquef
= Secretário Municipal de Finanças =Id: 792694


abraço !

Anônimo disse...

Para começar melhor um pouquinho a semana.....
Eu tive grandes mestres ao longo do caminho
Muitos.... de tantas cores, formas e jeitos... Me ensinaram tantas coisas...
Hoje me recordo em toda jornada de sua importância...
Meu grande mestre...
Me disse não, para eu aprender a lidar com minhas contrariedades
Me deixou só, quando eu precisava aprender a lidar comigo mesmo
Me deixou no escuro, para que eu aprendesse a buscar a luz a partir de minha fé
Me provocou irritação, para exercitar-me a tolerância
Falou-me por horas, para que eu aprendesse a ouvir
Meu grande mestre...
Jamais aplaudiu minhas vitórias, para que eu emudecesse meu ego
Meu grande mestre ensinou-me a servir, me deu trabalho pelo próximo quando eu pensava demasiadamente em mim
Meu grande mestre...
foi mendigo na calçada me solicitando a mão
foi doente me pedindo auxílio
foi criança frágil necessitando de cuidados
Meu grande mestre ensinou-me a doar de mim mesmo - o meu próprio coração
Meu grande mestre ensinou-me a amar de forma incondicional
Sem esperar nada em troca...
Ele muitas vezes não me agradeceu pelo bem que pensei ter feito
Me ensinou a lidar com minhas várias expectativas
Me arrancou lágrimas de incompreensão
Me fez subir à montanha tantas vezes e chorar
Me fez lidar com minhas angústias e aprender a refletir
Me fez ver tantas vezes que minhas certezas não estavam certas
Meu grande mestre me ensinou a voltar atrás para poder ir à frente
Meu grande mestre feriu-me ás vezes, para me ensinar a arte da espada
Para aprender a ser guerreiro nas batalhas da vida
Meu grande mestre ensinou-me que as dores são apenas pontes para elevação, que não precisam ser cicatrizes nem doenças emocionais, que posso superá-las a partir da minha vontade
Meu grande mestre trouxe a tona minhas insuficiências, por vezes ridicularizou-me, para calar minha vaidade
Meu grande mestre às vezes foi o pai que me negou carinho
Foi o chefe que não me incentivou
Foi o ríspido irmão pelo caminho
Meu grande mestre foi firmeza e luz na hora certa
Foi descaso e proteção
Foi barulho e silêncio
Foi inimizade e irmandade
Ensinou-me a arte do equilíbrio
Meu grande mestre fez-me crescer como crescem as árvores em direção ao céu
Fez-me abrir os braços
Fez-me despir conhecimento e saber que nada sei
Meu grande mestre também quando eu não via o que havia de melhor em mim mostrou-me minha luz
Meu grande mestre foi cada ser na estrada de minha evolução
Me treinou a viver e não somente a existir
A dar sentido a todas as coisas
Hoje entendo
Que todos estamos interligados,
Que somos extensão de um um só ser
De que tudo nos dá uma preciosa lição
De que todos são instrumentos em nossa evolução
De que podemos levantar, mas por vezes ainda precisamos cair e aprender com as quedas
De que podemos ser pais, mas antes aprendamos a sermos filhos
De que podemos receber a mão, mas que antes aprendamos a estende-la,
De que podemos ser mestres, mas que antes sejamos aprendizes!
Autora: (Fernanda Lopes de Luzia)

Anônimo disse...

Pode ter existido a licitação mas que o preço está nas alturas..ESTÁ !
Imaginamos ENTÃO que devem estar incluídos todos(quantos?) os computadores das secretarias, os servidores (quantos ?), a rede fisica e a sua implantação e configuração.
Por esse preço, deveria ter uma cláusula para que a empresa vencedora implantasse tambem o knowledge junto as instituições locais de ensino ajudando a desenvolver o saber nessa área da informática.
Se a licitação é somente relativa ao software, tem coisa errada AÍ !!!

Anônimo disse...

Xacal,
as vezes voce me surpreende.
Gostei da postagem, gostei do comentário do Anonimo das 16h10.
Gostaria muito que antes de você postar algo contra alguém, tente ao menos enxergar o que há do outro lado da moeda.
Deixe a ironia de lado, ou a raiva contra quem você não gosta, de lado.
Procure tirar lições do que os seus inimigos tem feito. Certamente eles necessitam de um comentário inteligente, ou de uma outra via, para caminhar.
Absorva as idéias vindas de todos os lados, para que você também possa crescer e evoluir.
Li e ouvi há muito tempo atrás que os enquanto os pequenos homens falam de homens, os grandes, debatem idéias para o futuro.
Seja você mais um a debater o futuro, do município, mostrando que há outros caminhos a serem desbravados.
Porque a irracionalidade, é que prejudica o ser humano, não o faz enxergar o mundo.
Veja quantas estrelas há no céu, no entanto, dizem que não somos os únicos. Claro! com tantos bilhões de estrelas, é claro que não somos únicos. Acredite!
Espero que tenha compreendido esta postagem.

Xacal disse...

não, não compreendi...

idéias não são nada, sem homens...a crítica, a irascibilidade estão na essência da dúvida, que nos move...

ninguém está acima da possibilidade de ser criticado...ninguém...

não delegue a mim a responsabilidade de revelar caminhos aos meus adversários...

cabe a eles fazerem suas escolhas, e pagarem(ou não)por elas...

porque assim fica fácil...na hora que dá certo, ninguém chama para dividir os "louros" da vitória, mas quando a vaca vai para o brejo, aí a culpa é dos céticos, que não acreditaram ou disseram o que fazer...

não, não, meu caro...irracionalidade é repetir erros e esperar resultados diferentes, como fazem os donos dessa terra plana e lamacenta há vinte anos, ou quem sabe, desde que o primeiro índio foi abatido por aqui...

debater o futuro é fazer escolhas no presente...

eu já fiz as minhas...e pagarei o preço ou vencerei com elas...

mas tenha certeza nunca atribuirei aos outros a culpa por essas decisões que adotei...

quanto às estrelas...bem, as estrelas são estrelas e só...não significam nada, além do que são: estrelas...

quem sabe sua crença de que não estamos só, reflita seu desejo de que só um extra-terra pode nos redimir...

não, não espero redenção alguma, senão por nós mesmos...

um abraço, e espero que tenha entendido...

Igor disse...

Olá, Xacal.

Marcelo Gleiser realmente toca mais ou menos na estreita passagem em que a cosmologia se encontra hoje: pode optar por um universo casual e eterno de alguma maneira, cujos princípios ordenadores contrariam a própria ordem vigente; pode optar pelo modelo de multiverso, acerca do qual não há qualquer evidência científica, mas tão-somente uma fé na probabilidade, que seria a única maneira de explicar um Universo tão fascinante e perfeito como o nosso; ou aceitar uma teoria teoleológica que impusesse uma finalidade em (quase) tudo que ocorre no cosmos e, qual seja essa finalidade, proporcionar a vida na Terra nós, seres-humanos.

Claro que isso tomando a cosmologia por si só, sem qualquer relação com outra área do conhecimento humano.

Eis as opções:

a) o irracional;
b) a suposição;
c) a realidade.


Qual delas é a sua?


Um abraço,
Igor

Anônimo disse...

Xacal,

me levanto
e bato palmas a sua resposta/comentário ao anônimo das 16:10.


E faço um brinde aos guerreiros, que,
como vc, se reportam com excelência aos mais diversos questionamentos...


Beijo
Beijos

Xacal disse...

caro igor,

confesso que demorei a responder a pergunta...e fiquei intrigado, e me peguei enredado em uma armadilha:
como responder, sem parecer imbecil, e sem revelar fragilidade na defesa do que penso que penso...

não, essa não é a lógica de um debate franco...

pois aí está minha mais sincera resposta...

dentre todas as alternativas, fico com a eterna dúvida, que afinal de contas, é o que liga todas elas...

um abraço...