quinta-feira, 2 de julho de 2009

O dragão de aço...

O anúncio, repercutido pelo blog do Roberto Moraes, de que um grupo chinês instalará um usina siderúrgica nos arredores do Porto do Açu não deixa de ser uma boa notícia, afinal, há a possibilidade de alternativas de atividade econômica, para além do extrativismo mineral(petróleo)...

Mas, infelizmente, não é só isso...Não se trata apenas de empregos, e recursos circulando pela economia local...

Como sempre, a implementação de grandes empresas, o afluxo de muitas pessoas, a circulação de bens e serviços causam impactos enormes no ambientes das cidades e do seu entorno, e em alguns casos, em cidades vizinhas...

A tradição política regional não nos autoriza dizer que os mandatários locais, farão valer o peso dos votos que sufragaram nas urnas...

Ao contrário...Se em Campos dos G., os "empresários-cafetões de verbas públicas" são tratados como panacéia para todos os males, em São João da Barra, a coisa piora e assume cores mais dramáticas...

É vergonhoso, muito embora não se esperasse algo diferente, ver a prefeita do pequeno município litorâneo, também conhecido como cloaca do Paraíba, passeando como papagaio de pirata, ou um souvenir do mega-hiper-power-super bilionário, o (sh)Eike, que flana pelos salões das mega-corporações, e a apresenta como um adereço para sua política expansionista dos business...

Essa (im)postura, que não pode ser confundida com missão diplomática, ou com a tentativa de atrair bons negócios para o município costeiro, é antes de mais nada, um deslumbramento irracional, como o de uma moradora de comunidades pobres, quando levado a uma loja do tipo Daslu...

Tudo isso, acende a preocupação de que a chegada dos investimentos dessa monta, ou seja, cerca de U$ 4bi, e 20 mil empregos, não encontrará pessoal qualificado, estrtura urbana compatível, proteção ao ambiente, regulação do poder público para a expansão e especulação imobiliária, etc, etc...

Nem mencionemos os efeitos sobre o frágil aparato de segurança pública, que com certeza não serão resolvidos com a "doação" (dedutível dos impostos, sempre, é claro...!)de dois ou três automóveis...

Não custa lembrar, que os chineses são conhecidos por sua "voracidade" empresarial, e que seus empreendimentos(como todos no mundo capitalista) sempre orbitam entre a legalidade e a ilicitude...
A atuação das máfias chinesas de contrabando de pessoas, mercadorias, exploração sexual, etc, com certeza, chegará junto com as siderúrgicas...

Isso é do jogo...

Mas, ratificamos: o problema é que o poder público local dá mostras que deseja escancarar as portas da cidade para que o poder do dinheiro faça o que bem entenda...

Isso também é do jogo, mas, antes, é preciso perguntar se todos querem jogá-lo...!

4 comentários:

Anônimo disse...

Digo, análise quase perfeita do Xacal.A princípio norteadora mas, como somos cheios de esperanças, quem não quer assumir que o possível "progresso" chegará bem pertinho de nós? Todavia, lembrem-se bem."Isso também é do jogo, mas, antes, é preciso perguntar se todos querem jogá-lo...!"

Anônimo disse...

XACAL,
Acredito que TODOS querem jogar sim.
Resta saber se sabem,tem as cartas para esse "jogo",ou se as mesmas estão por debaixo da "manga",só para os que interessam.
Todo progresso tem um custo...o que precisamos é nos reforçarmos para poder "pagar" o preço e ser FELIZ.
Acho ótimo,uma alavanca e tanto esse Porto do AÇU.Gostaria de saber é para "servir" de que,paraque ou para quem...se for para o POVO td bem.
O maior "problema" que vejo é algum membro da família GAROTINHO,se lançar ao cargo de PREFEITO no próximo mandato,apoiados pelo EIKE e aí sim fica "IMPAGÁVEL"...

Anônimo disse...

Tenho receios de infortúnios para o dia-a-dia dos sanjonenses.
Infelizmente, da forma política eleitoreira como as coisas estão sendo tratadas, no futuro, os tradicionais veranistas abdicarão de suas casas nas praias daquele município.
Será um caos só, aliás como já se mostra de maneira paulatina em ondas de crimes não divulgados.

Luiz Felipe Muniz disse...

Xacal, o assunto é sério e o futuro próximo dirá!

Segue como postei no Blog do Roberto Moraes:

Tudo bem, que venham os empreendimentos inevitáveis à "redenção regional", como dizem muitos de nós!

Mas confesso que fica no ar um sentimento de que a facilitação da Prefeitura de São João da Barra, para a implementação dos diversos projetos no Complexo do Açu, pode está extrapolando alguns limites da Administração da coisa pública, eu explico:

- Além de facilitador e empreendedor em partilha, o Poder Executivo Municipal tem o dever constitucional de zelar pela competência técnica dos projetos e pelo cumprimento dos dispositivos legais no que diz respeito a:

a - Impactos Sociais;
b - Impactos Urbanos e Rurais;
c - Impactos de Vizinhança;
d - Impactos Sanitários e Ambientais;
e - Aperfeiçoamento da Administração Pública Local;
f - Atualização do Plano Diretor Municipal;
g - Criação de Comissões Técnicas Municipais para tratar, aprovar e fiscalizar a implementação dos Projetos;
h - Atualização e Modernização da Legislação Municipal com vistas aos novos desafios, impostos pelo Complexo do Açu, em conformidade com os princípios constitucionais de Desenvolvimento Sustentável;

Dentre outros...

A sociedade regional tem o direito - e as Prefeituras o dever de agir - de ser informada sobre as ações que estão sendo tomadas no sentido de garantir o aperfeiçoamento da "Máquina Pública" para fazer frente aos desafios dos próximos anos!

Sem isso, fica sim a percepção de que somos um bando de amadores tupiniquins que encontraram um pote de ouro e não sabem bem o que fazer...somente festas e celebrações?! Não mais...por favor!!