domingo, 12 de julho de 2009

Pensando bem...

Qual a diferença entre um assaltante, e os mil patetas da lapa...?
Bom, o assaltante escolhe a gente, mas os patetas nós escolhemos para levar nosso din-din...

xacal, o palhaço triste(com a colaboração de uma grande amigo, que contou a piada, e eu só adaptei)...

4 comentários:

Anônimo disse...

O poder do livre-arbítrio...

Mas quantos sabem o que é lívre- arbítrio, num país de analfabetos?

A maioria só conhece o valor de uma cesta básica.

Assim sendo, petetas vão continuar a fazer a festa!

Anônimo disse...

Posso arriscar outra resposta:

ser homenageado.

Nunca vi um assaltante receber nome de ponte.

Bicho Possuído

Anônimo disse...

Xacal,

Aqui temos Patetas em Brasília temos Aloprados. E por falar em aloprados, Antonio Palocci, acusado por formação de quadrilha na época do mensalão,pelo Procurador Geral da República, vai a julgamento pelo Supremo Tribunal Federal. Lula já afirma pela mídia que se ele for absolvido, lhe dará como presente, o Ministério das Relações Institucionais. Fantástico o nosso guia não acha? Agora esperar condenação de Palocci, através do órgão em que o nosso guia nomeou 7 dos seus 11 ministros ou seja 63,64%, é acreditar em conto de fada.

OBS: Dos Presidentes da República Lula conseguiu nomear, mais Ministro do que o seu íntimo amigo, José Sarney. Que blindagem!!! Esse nosso guia vai longe!!!

Xacal disse...

Para além do comentário simplista, que procura misturar e reduzir cenários distintos, a partir de uma mesma lógica, está uma proposta de debate interessante...

Não se trata de absolver ou condenar, a priori, Palocci ou qualquer outro investigado...Ele que se defenda, e responda na medida de seus atos...

Mas a discussão sobre a noemação de ministros, desembargadores, procuradores pelos chefes dos executivos estaduais e federal, bem como para tribunais de contas dessas esferas de poder, precisa ser esmiuçada...

Só um imbecil poderia cobrar que Lula, ou qualquer outro governante nomeasse ministros do stf, ou outra corte que fossem opositores contumzes das teses do governo, expressas no conflito jurídico...

Não esqueçamos, essas cortes superiores, como o stf, são políticas, pois discutem a constitucionalidade sob a ótica da interpretação do senso político do legislador ao exarar a norma, norteados, é claro, por embasamento técnico-jurídico...

Portanto, cabe a sociedade definir, após amplo debate, como serão escolhidos esses integrantes dessas cortes constitucionais(voto ou indicação), qual a natureza e duração dos mandatos(vitalícios, temporários, eleitos pelos pares ou por leigos) e que atribuições terão(somente constitucional ou de controle infraconstitucional)...

Mas de qualquer forma, cabe ressaltar que Lula foi um dos únicos presidentes com um mínima preocupação em contemplar no stf, um mosaico dos setores sociais: tem o ministro Direito, pelo opus dei da Igreja Católica(ultra-conservador), tem o Joaquim Barbosa(MP, negro), dentre outros...

Ou seja, nem sempre essa lógica matemática, descrita pelo raciocínio simplista do comentarista se repete na realidade...

Um abraço.