sábado, 4 de julho de 2009

TrOLhada Cultural: Mundo Livre S/A...

Junto com Chico Science e sua Nação Zumbi, FredZeroQuatro e sua banda Mundo Livre S/A, surgiram como grande novidade da cena musical brasileira no início da década de 90, do século passado...

Para além da esteticidade das suas manifestações artísticas, mas com elas e para elas, Fred e Chio Science cumpriam, de certa forma, a profecia de que as periferias dos brasis mastigariam e vomitariam de volta seus seculares ressentimentos, sob forma de música de qualidade, multifacetada, sem rótulos, porém com identidade definida...

Do seu mundo para o universo, assim como os Racionais MCs, fizeram o caminho de ida e volta, e demarcaram um campo criativo que não se rende, mais ainda assim rende lucros, com suas soluções para resistir ao que FredZero Quatro chama de diluição incorporada...

Há muito tempo tenho esse CD da banda Mundo Livre S/A, que me foi presenteado pelo companheiro Gustavo don cabezza Lopes...
O CNFS, Congresso Nacional de Futebol e Samba é um desses títulos antológicos, seja lá o que isso queira dizer...

Depois de muito tempo sem ouví-lo, ficou a sensação de espanto que tive na primeira vez...É um clássico...

Leiam aí uns trechos da letras do FredZeroQuatro/Bactéria/Goró/Marcelo Pianinho/Xef Tony...o nome, Batedores...Uma legítima canção-manifesto...

-"Os computadores das mega-corporações trabalham full-time, dia-após-dia. Seus altos executivos
circulam num mundo de fanatismo e devoção, venerando o onipresente deus Naiq. Mesmo quando deveriam estar de folga, eles não param de pesquisar, investigando as rua, buscando novas pistas. Há décadas, eles vêm comprando e subornando congressistas, democratas, modernos, liberais, patrocinando campanhas presidenciais, financiando planos de governo, armando tramando novos consórcios globais que assumem rapidamente o controle de imensos e estratégicos patrimônios estatais - enfim, conquistando pequenos, médios, grandes mercados emergentes em todos os continentes(aquilo, aquilo que antes chamávamos de países)."/Renegado Batedor Sou/
- "Não, não, não estamos falando só de macroeconomia ou geopolítica. Estamos falando de mutações, inituições, partidos, valores e concepções(religiosas, no final das contas)que se anulam ou se reciclam vulgarmente a cada rotaçõa da terra. Dos abjetos seres PDM - Portadores de Deficiência Moral.
Mas exibindo seus reluzentes celulares digitais, palm-tops, pára-brisas blindados e bonés Naiq, esses são apenas os patéticos vilões de nossa história. Para enquadrarmos os heróis, temos que deslocar o cenário. Visualizemos uma zona metropolitana de um mercado decadente, berço de um verdadeiro exército de desajustados batedores. Becos da fome...Cassetetes...Escopetas...
Nesse ambiente hostil, a senha para a sobrevivência consiste numa resposta equilibrada para o recorrente conflito. De um lado a duvidosa e farsesca resistência das consagradas tradições, e de outro a perigosa sedução das antenas. Mas um batedor não come na mão de ninguém. Não rezamos na cartilha dos Naiqmen.
Nosso combustível é som. Não aquele contaminado que as donas de casa disputam nas prateleiras de ofertas dos grandes magazines incorporados só porque já ouviram um milhão de vezes nos naiqspace - templos sagrados de San Naiq que nunca serão atingidos por mísseis perdidos. Sentimos de longe o cheiro da diluição incorporada. Estamos sempre nas quebradas. E temos o poder de absorver só a batida que nunca fica abatida..."/
...soul-punk-dub-funk + samba demente...
...soul-punk-dub + cerebral samba...


Se gostaram, adquiram ou ouçam como puderem, porque eles não vão tocar no faustão, nos gugus o em outros balcões de jabá...

Nota: Naiq, na mitologia, a deusa da vitória

Nenhum comentário: