segunda-feira, 20 de julho de 2009

TrOLhadas en latinoamérica...

El chino, na tranca...
O ex-presidente peruano, Albero Fujimori, que foi extraditado desde o Chile, em 2007, foi condenado a sete anos e meio por corrupção, e a pagar cerca de U$1milhão ao Estado peruano...El chino, como é conhecido, foi acusado de desviar U$15mil para o pagamento ao seu ex-braço direito, Vladimiro Montesinos...Em sua defesa, el chino argumentou que só realizou o pagamento para ceder a chantagem perpetrada por Montesinos, que o ameaçava com um golpe de Estado...El chino também foi declarado inelegível por mais dois anos e de dez meses...A sentença o manterá preso até 2014...o ex-presidente já cumpre seis anos, por condenação em outro processo, e ainda lhe resta apelar de uma outra sentença de 25 anos, por tortura, homicídios e seqüestros praticados enquanto era o maior mandatário do país andino...
Não custa lembrar, que até bem pouco tempo, el chino era um dos heróis dos neoliberais privatistas, aqui do PIG latinoamericano e brasileiro...Algo como um Álvaro Uribe de olhos puxados...


Guerra sem fim...
O governo mexicano anunciou que alocará 2.500 soldados para a região de Michoacán, onde na semana passada, foram encontrados 15 corpos com sinais de tortura e execução, crimes atribuídos aos cartéis mexicanos de tráfico de cocaína...O anúncio se deu após o governo mexicano dizer não a qualquer possibilidade de armistício ou conversações com La Familia, como são conhecidos os traficantes que dominam aquela região, onde nesses últimos dias, também foram mortos 15 agentes policiais, doze deles, de uma tropa de elite...
Michoacán ficará sitiada...
O banho de sangue começou após a prisão de um dos líderes da Familia, Arnoldo Rueda, conhecido com La Minsa...
Um suposto integrante da Familia, Servando Gómez, o La Tuta, acorreu a um programa de TV, onde acenou com a possibilidade de trégua, bem como acusou a polícia local de ter acordo com seus rivais...
Oito horas depois, em resposta, o Ministro do Interior, Fernando Gómez Mont, decretou o cerco a Michoacán...


Sem saída...
Longe de qualquer possibilidade de acordo, até porque, qualquer tentativa de pacificação do conflito hondurenho que não parta da restituição do presidente eleito, Manuel Zelaya, poderá ser entendido como um "prêmio" aos golpistas, permanecem as conversações para que se encontre uma saída que não descambe em uma interveção militar, ou em guerra civil...
Ao que parece, Roberto Micheletti, ditador de Honduras, aposta no conflito como única possibilidade de se manter no poder...


Fonte: El País...

Nenhum comentário: