segunda-feira, 17 de agosto de 2009

As bodas de fogo...

Sábado passado, a maioria dos meios de comunicação e meios alternativos noticiaram uma tragédia que acnteceu no Kwait...Em um casamento, o local onde ficam as mulheres e crianças, de acordo com a tradição local, incendiou-se, e o saldo foram 46 mortos e 70 feridos...Como só havia uma saída, entre 150 e 180 crianças e mulheres foram encurraladas nessa "armadilha"

Hoje, a edição eletrônica do Kwait Times, e do Al Qabas, de acordo com o El País, anunciaram que as autoridades prenderam uma mulher de 23 anosm que confessou ter ataeado fogo no local onde estavam as vítimas...

De acordo com as informaçãoes, sua prisão foi possível após várias empregadas da casa afirmarem ter visto uma mulher que ateou fogo em trapos, que depois se soube, estavam embebidos em querosene...

A suposta incendiária é ex-esposa do noivo, que creditou sua ação a uma vingança pelos maus tratos que sofrera antes do divórcio...

A atual noiva escapou ilesa, mas pereceram sua mãe e irmã...

Foi o pior incidente civil da história recente do daquele país...Mulher maltratada é fogo...aqui ou no Kwait, literalmente...

4 comentários:

Anônimo disse...

Xacaal
Ouvimos, muitas vezes, dizer que:
Se a mulher mantém uma relação violenta, é porque quer... pode apresentar queixa, ir para um centro de acolhimento e, resolver o problema. Se ela não pede ajuda é porque não sente necessidade?
O que acontece, frequentemente, é que há motivos(eu não concordo) que levam a mulher a manter-se na relação, que, importa considerar
- O medo de vir a ser ainda mais maltratada
- Os filhos, e a convicção de que, apesar de tudo, eles gostam do pai e este lhes faz falta
- A dependência económica, mesmo em casos em que a mulher tem uma atividade remunerada
- O ter de enfrentar uma nova vida sozinha, com os filhos a cargo e a responsabilidade da sua educação e do seu futuro
- O assumir o insucesso da sua relação
- A vergonha/humilhação.
Mas isso está mudando.

Essa mulher deve ter sofrido muito... o que não justifica, mas...

Anônimo disse...

Falando em mulher, escutei hoje de uma avó de aluno do auxiliadora:

as crianças não podem beber água nos bebedouros. O auxiliadora também não auxilia com água seus alunos. não podem merendar pois a cantina está fechada.Aí eu perguntei: o auxiliadora dá alguma coisa prá alguém???

êta irmã suraia.
quem tem uma irmã desta, não precisa de inimigos

gentil carioca disse...

Sorry, mas a posição do anônimo aqui foi pra lá de infeliz...
Se a cada frustração e sofrimento, a Mulher resolver atear fogo num espaço público e matar dezenas de pessoas, o mundo em breve não terá mais ninguém para contar essas histórias.
Mulher é fogo, ok. Mas nada justifica, nem explica, isso, a não ser a insanidade absoluta.

Anônimo disse...

Acho mais insanos os homens que se acham no direito de bater, maltratar e muitas vezes matar a mulher em nome de honra atingida e outras baboseiras.