quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Destaque da TrOLha...

Sobre o assunto Lina Vieira, Petrobrás, etc...uma versão elucidativa, definitiva e insuspeita...Leia aí, do blog do Roberto Moraes, que repercute o blog do Luiz Felipe Muniz...Esperamos, honestamente, contribuir com a possibilidade do nosso leitor ter acesso a mais de uma fonte de informação...

Quinta-feira, Agosto 27, 2009

Do Portal Terra e do blog do Luiz Felipe

Luiz Felipe Muniz repercutiu e este blog amplia os ecos da entrevista do Everardo Maciel sobre o caso Lina na Receita Federal.
Esta entrevista é definitiva até porque veio de quem trabalhou os 8 anos de FHC:"Caso Petrobras e Dilma/Lina "são farsa"" - Do Terra Magazine:Por Bob Fernandes
O pernambucano Everardo Maciel mora há 34 anos em Brasília. Foi secretário executivo em 4 ministérios: Fazenda, Educação, Interior e Casa Civil, e foi Secretário da Fazenda no Distrito Federal. Everardo é hoje consultor do FMI, da ONU, integra 10 conselhos superiores, entre eles os da FIESP, Federação do Comércio e Associação Comercial de São Paulo e é do Conselho Consultivo do Conselho Nacional de Justiça.
Mas, nestes tempos futebolísticos, às vésperas de 2010, com tudo o que está no ar e nas manchetes e, em especial, diante do que afirma Everardo Maciel na entrevista que se segue, é importantíssimo ressaltar que ele foi, por longos 8 anos, "O" Secretário da Receita Federal dos governos Fernando Henrique Cardoso.
Dito isso, vamos ao que, sem meias palavras, afirma Everardo Maciel sobre os rumorosíssimos casos da dita "manobra contábil" da Petrobras - que desaguou numa CPI -, da suposta conversa entre a Ministra Dilma Rousseff e a ex-Secretaria da Receita Lina Vieira e da alardeada "pressão de grandes contribuintes", fator que explicaria a queda na arrecadação:

- Não passam de factóides. Não passam de uma farsa.Sobre a suposta manobra contábil que ganhou asas e virou fato quase inquestionável, diz o ex-Secretário da Receita Federal de FHC:

-É farsa, factóide... a Petrobras tem ABSOLUTO DIREITO (NR: Destaque a pedido do entrevistado) de escolher o regime de caixa ou de competência para variações cambiais, por sua própria natureza imprevisível, em qualquer época do ano. É bom lembrar que a opção pelo regime de caixa ou de competência não repercute sobre o valor do imposto a pagar, mas, sim, a data do pagamento. Essas coisas todas são demasiado elementares.

E o caso Dilma/Lina?

- Se ocorreu o diálogo, ele tem duas qualificações: ou era algo muito grave ou algo banal.
Se era banal deveria ser esquecido e não estar nas manchetes. Se era grave deveria ter sido denunciado e chegado às manchetes em dezembro, quando supostamente ocorreu o diálogo. Ninguém pode fazer juízo de conveniência ou oportunidade sobre matéria que pode ser qualificada como infração.
Caso contrário, vai parecer oportunismo.

E a queda na arrecadação por conta de alardeada pressão de grandes contribuintes?

-Farsa, factóide para tentar explicar, indevidamente, a queda na arrecadação.

Sobre essa mesma queda e alardeadas pressões, Everardo Maciel provoca com uma bateria de perguntas; que ainda não foram respondidas porque, convenientemente, ainda não foram feitas:

- Quais são os nomes dos grandes contribuintes, quando e de que forma pressionaram a Receita? Quando foi inciada a fiscalização dos fatos relacionados com o senhor Fernando Sarney? Quantos foram os contribuintes de grande porte no Brasil que foram fiscalizados no primeiro semestre deste ano, comparado com o mesmo período de anos anteriores e qual foi o volume de lançamentos? A Receita, em algum momento, expediu uma solução de consulta que tratasse dos casos de variações cambiais como os alegados em relação à Petrobras?

Com a palavra Everardo Maciel, Secretário da Receita Federal nos 8 anos de governo Fernando Henrique Cardoso:

Terra Magazine - Algo perplexo soube que o senhor, Secretário da Receita Federal por 8 anos nos governos de Fernando Henrique Cardoso, não tem a opinião que se imaginaria, e que está nas manchetes, editoriais e colunas de opinão, sobre o caso das ditas manobras contábeis da Petrobras, agora uma CPI?

Everardo Maciel - Independentemente de ter trabalhado em qualquer governo, meu compromisso é dizer a verdade que eu conheço. Então, a verdade é que a discussão sobre essa suposta manobra contábil da Petrobras é rigorosamente uma farsa.Uma farsa, um factóide?É exatamente isso. Farsa, factóide.E por quê?Porque não se pode falar de manobra contábil, porque a contabilidade só tem um regime, que é o de competência.Traduzindo em miúdos, aqui para leigos como eu....Eu faço um registro competência... quer dizer o seguinte: os fatos são registrados em função da data que ocorreram e não da data em que foram liquidados. Por exemplo: eu hoje recebo uma receita. Se estou no regime de competência, a receita é apurada hoje. Entretanto, se o pagamento desta receita é feito no próximo mês, eu diria que a competência é agosto e o caixa é setembro. Isso é competência e caixa, esta é a diferença entre competência e caixa, de uma forma bem simples".
posted by Roberto Moraes at 08:34

10 comentários:

Anônimo disse...

Brizola, notório desafeto da Globo, iria ganhar a eleição para governador do Rio de Janeiro e a Globo / Proconsult armaram um esquema fraudulento de apuração e computação de votos em que estava embutido no sistema de apuração da Proconsult um redutor de votos de Brizola, beneficiando seu oponente, de modo a que Brizola jamais ganhasse a eleição.
Alertado por correligionários, por fiscais do PDT e principalmente por um alto funcionário da própria Globo sobre a fraude que estava sendo intentada na apuração e cômputo dos votos, Brizola contratou o Instituto Pasqualini para uma análise técnica da questão e foi constatada a fraude no sistema de apuração Proconsult / Rede Globo.
Diante do fato gravíssimo (fraude eleitoral), sabendo que a imprensa brasileira é falida, lacaia e serviçal, e que não tem coragem de enfrentar a Globo, principalmente pelo arquivo e dossiês que a Globo possui da chamada grande imprensa, Brizola então, numa lucidez fantástica, convoca a imprensa internacional e numa memorável coletiva faz uma das mais graves e sérias acusações documentadas sobre a Globo / Proconsult. E o caso da fraude eleitoral então desmorona e passa a ter repercussão internacional.
No dia seguinte, o presidente da Proconsult ainda tenta ironizar a questão dizendo que se aquilo fosse verdade ele deveria estar, no mínimo, preso ou seria obrigado a fugir para Paris.
O fato é que o presidente da Proconsult não foi preso (nem Roberto Marinho), não fugiu para Paris, o "esquema" armado contra Brizola foi completamente desmoronado, Brizola acabou sendo eleito governador do Rio de Janeiro, a Proconsult jamais voltou a operar em esquema de apuração de eleições, e ambas (Globo e Proconsult) foram desmoralizadas publicamente. E agora, mais de 20 anos após o fato transcorrido e somente após a morte de Leonel Brizola, a Globo quer dar uma versão nova para o fato, como se nada tivesse acontecido e como se não passasse de um delírio de Brizola o escândalo da fraude eleitoral montado pela Globo e pela Proconsult.
Portanto, leitor, muito cuidado quando alguém falar sobre a pretensa seriedade do "Jornal Nacional" ou sobre a pretensa seriedade jornalística da Globo. Não imagine que os pecados da Globo sejam somente ter sido contra as "Diretas Já" ou por ter editado o debate Collor e Lula, levando Collor ao poder. Os crimes e pecados da Globo são imensos, enormes, quase que incontáveis, começa pela fraude da sua criação com o escândalo Time-Life, passa pelo acobertamento da tentativa de genocídio do Riocentro, do Gasômertro, da operação Oban, pelos assaltos a banco (Banerj, Banco do Brasil, Caixa Econômica/FGTS/Projac), pelo escândalo do Papatudo, da Afundação Roberto Marinho, da Rádio TV Paulista, do BNDES, e outros. São invejáveis 40 anos de crimes, fraudes, corrupção e perseguição.

Anônimo disse...

O Roberto Marinho, que muito idiotas e cretinos o chamam de jornalista, foi um dos maiores traidores do Brasil enquanto durou a famigerada e nefasta "ditadura fardada", como diz Mino Carta. Marinho se encontou no Poder e dele sugou tudo quanto pôde, até ronar a Rede Globo numa multinacional, comanda por três corporações internacionais, enquanto os atuais Marinhos filhotes, não passam de testas de ferro e, como tal, fazem o "doppio giocco" visando colocar no pedestal político mais alto da nação um José Serra, cujo passado é no mínimo altamente comprometedor, desde a histporia das Ilhas Caimãs, processo comandando pelo Serjão e que o FHC jamais permitiu fosse investigado. Depois Jos[e Serra envolvido no escândalo da ambulâncias, chamada de "Sangue-Sugas", da mesma forma nunca devida e obrigatoriamente investigado e posto às claras. E é exatamente esse cara, com boca de chupa ovo, que o Globo e a Rede toda que impor seja presidente do Brasil. Aí sim, nós e o povão vamos nos ferrar, pois fazem parte de uma máfia intocável e que, como um polvo tem milhares de tentáculos impedindo a transparência de múltiplas investigações.

Anônimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=ObW0kYAXh-8&eurl=http%3A%2F%2Fwww.paulohenriqueamorim.com.br%2F%3Fp%3D8278&feature=player_embedded#t=49


TODOS DEVERIAM ASSISTIR!!!

Anônimo disse...

Momento poético

AMORES NA SERRA

A MONTANHA do PIG faz de tudo pela amiga SERRA

A SERRA sonha com o PLANALTO

Mas este não lhe ama

Vai ficar no ABISMO da saudade

É uma coisa que me SERRA o coração

A SERRA, pobre coitada, vive num CANYON de ilusões

Mas quem mandou acreditar na GARGANTA profunda da MONTANHA

Na vida tudo pode terminar num PENHASCO.

Fernando Augusto

Anônimo disse...

O ex-deputado e presidente da Fundação Joaquim Nabuco, Fernando Lyra, telefonou nesta quinta-feira para o ex-secretário da Receita, Everardo Maciel, para parabenizá-lo pelos comentários feitos acerca da crise artificial que há naquele órgão.

Lyra classificou de “sensatas e esclarecedoras” as observações do ex-secretário, segundo as quais do suposto encontro que sua antecessora, Lina Vieira, teria tido com a ministra Dilma Rousseff só pode fazer duas leituras: ou foi um fato muito banal ou muito grave.

Se foi banal, disse ele, deveria ter sido esquecido e não estar nas manchetes dos jornais. E, se foi grave, deveria ter sido denunciado por Lina Vieira quando o episódio aconteceu.

“Para mim, que li dezenas de opiniões sobre este episódio, Everardo definiu em poucas palavras e com uma lucidez invejável, até porque conhece aquela Casa, essa crise que não é crise”, afirmou Fernando Lyra.

Gaotinho disse...

xacal esse blog ta ficando uma chatura ninguem consegue ler tanta coisa - roberto marinho , brizo e outros tantos ja morreram prolixo enjuado vai cagar no mato

Xacal disse...

débil mental, você nos convenceu...de tanto tentar parecer mais idiota que é, conseguiu...é mais idiota que parece...

vá se fuder, não gosta do que lê, não leia...

vá dar o cú ao capeta...incrível como tem uma raça que adora vir aqui apanhar...vai ser masoquista assim lá no castelo do marquês de Sade...

Anônimo disse...

O maior sonho de Serra é ser Lula.

O presidente Lula foi à França receber um prêmio de suma importância e orgulho para todos nós Brasileiros, pelos relevantes serviços prestados no combate à fome, na diminuição das diferenças sociais – deixadas como herança maldita pelos colonizadores e aumentadas na gestão do tucano Fernando Henrique Cardoso – e pela promoção da paz no mundo.
Entre as 23 personalidades mundiais que receberam o prêmio anteriormente nenhum brasileiro, figuram Nelson Mandela, Yitzhak Rabin, Yasser Arafat e Jimmy Carter, importantes líderes mundiais.
E destas 23 personalidades um terço recebeu o prêmio máximo que é o Nobel da Paz. Ou seja: o prêmio de Lula seria como o Globo de Ouro – um prêmio que antecede o Oscar no cinema, como já relatamos aqui.
Mas não se iludam, caros leitores e leitoras, José Serra também ganhou um prêmio, ou melhor: COMPROU.
Um dia após o presidente Lula ter recebido o prêmio na Sede da UNESCO, em Paris, Serra correu e comprou um em Genebra, só para imitar o Lula.
O prêmio de José Serra é de araque, uma vergonha!
O maior sonho de Serra é ser Lula, e não sê-lo implica numa das maiores frustrações de sua vida, a história não nos deixa mentir.
Os colegas que escrevem sobre política, sobretudo os que prestam assessoria de imprensa devem estar carecas de saber que existem milhares de publicações picaretas vendendo prêmios de melhores prefeitos, governadores, gestores, isso e aquilo por aí, não é? E o prêmio que o presidenciável governador de São Paulo comprou, faz vergonha de ver.
Este prêmio não é pelos seus feitos como governador de São Paulo. Alias como governador de São Paulo os prêmios que ele tem recebido, até agora, são reprovações recordes em seu governo, greves e manifestações, como a que aconteceu na USP, e ele mandou a Polícia de Choque resolver na base da borduna.
São estes os verdadeiros prêmios de Serra, por sua incompetência administrativa incomum.
Este prêmio da carochinha que Serra comprou em Genebra (para os tucanos não se auto-depenarem até a morte) chama-se “Prêmio Organização Mundial da Família” – provavelmente um braço da Opus Dei.
E acreditem, diz que a Comenda é por seu trabalho a frente do Ministério da Saúde. Serra foi ministro de 1998 a 2002, no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Quer dizer: de 2002 a 2009 lá se vão 7 anos, que diabo de prêmio é este que chegou tão atrasado?
É provável que tenha sido um reconhecimento pelo relevante serviço prestado aos Verdoins, no maior escândalo que se tem noticia deste país de superfaturamento de ambulâncias, o que originou a máfia dos sanguessugas. Foi nas gestões de Serra e FHC, esqueceram?
Eu, se fosse tucano viraria avestruz, mas eles levaram a sério.
Prêmio foi conferido por uma ONG com sede em Curitiba, presidida por uma brasileira, Deisi Noeli Kustra, responsável pela ONG, que resolveu homenagear o governador tucano à custa de algumas libras.
Só não entendi por que tiveram que ir tão longe para entregar este prêmio a José Serra. Em Curitiba não havia lugar apropriado?
E ainda querem falar mal do PT!!

Anônimo disse...

O caso da “denúncia” feita pela ex-secretária da Receita Lina Maria Vieira contra a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, não é o primeiro episódio na história recente do país em que um clima de escândalo sobe a uma temperatura máxima, alimentado por fatos que são o centro das atenções políticas por semanas até que sumam no ar como fumaça. Nesse caso, depois do depoimento de Lina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, anteontem, e de inúmeros indícios apontados por apoiadores e detratores, a pergunta que vem à cabeça dos acompanhantes mais atentos da cena política é: qual é mesmo o crime?
Lina disse, em entrevista à “Folha de S. Paulo”, que no final do ano passado Dilma pediu que a Receita concluísse rapidamente inquérito em andamento contra o filho do senador José Sarney, Fernando. Os jornais e a oposição inferiram daí que a ministra-chefe da Casa Civil pressionou a Receita a arquivar os processos contra o empresário maranhense. E se apegaram, como prova do crime, a uma suposta reunião que Lina teria mantido com Dilma. Passou-se a considerar que, provada a existência desse encontro, estaria automaticamente atestada a pressão de Dilma em favor do filho do presidente do Senado.

Bem típico do PSDB!

Anônimo disse...

O problema nisso tudo é a oposição com sua tramoias perde, mas ganha. Por exemplo: o mensalão ( que na verdade era um caixa dois nos moldes do tucano mineiro) não restou provado, mas teve o condão de queimar, na fogueira das mentiras, José Dirceu, Palocci, etc. O caso do dossiê com provas do esquema dos Sanguessugas contra Serra, quebrou a espinha dorsal do Mercadante, que nunca mais foi o mesmo. E agora, nesse novo factóide Lina/Dilma, lançam sobre o PT toda a lama em que os Sarney sempre navegaram ao longo de décadas e, possivelmente, o ingênuo senador Arns também causa mais uma baixa no PT. Enfim, por absoluta falta de reação do governo e seus aliados, em cada episódio desses vão ficando cadáveres pelo caminho.
Na marola criada, Artur Virgílio, cuja cabeça deveria ter sido cortada, sai fortalecido e cantando de galo. Lamentável.