quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Dos nossos correspondentes...

Um de nossos correspondentes, direto de Macaé, nos envia suas impressões sobre o quadro político local, as repercussões da campanha de 2010, que se avizinha, e como as lideranças andam se deslocando, e quais as perspectivas...

De acordo com nosso correspondente, que manteve contato com uma fonte na imprensa, há um enorme vácuo no cenário macaense...Talvez essa seja a justificativa para tamanho empenho de certos líderes e empresários de Campos dos G. em ampliar suas bases de atuação até a Princesinha do Atlântico...

O prefeito não poderá concorrer a um novo mandato...A situação de sua vice, Marilena do PT não é cômoda, por vários motivos: A histórica disputa fraticida que os diversos grupos (tendências)travam pelo controle interno do Partido, e pelo espaço dentro do governo macaense, que acabam por enfraquecer a legenda frente ao eleitorado e lideranças locais...Há notícias, por exemplo, de que a secretaria de meio-ambiente, sob o comando do PT, o secretário e seu subsecretário, ambos militantes da mesma legenda, vivem em pé de guerra, com trocas de insultos, denúncias e no limite da agressão física...

Esse, dentre outros motivos, diminuem as chances do PT indicar a cabeça de chapa para sucessão de Riverton...

Por outro lado, o clã dos Lopes amarga um desgaste considerável...A desistência do patriarca Sílvio Lopes ,em concorrer a reeleição do mandato de deputado federal, atinge em cheios as pretensões de seu filho...

O núcleo Carlos Emir encontra-se debilitado pelo seu frágil estado de saúde, e seu filho, mal conseguiu votos para uma suplência na Câmara local...

As atenções estariam voltadas para o médico do PV, Dr Aloísio, que surgiu como grande novidade política local, empunhando a bandeira da ética...
Oriundo das hostes de Riverton, o médico-ambientalista fez sucesso como dissidente...

No entanto, agora o quadro é outro...O prefeito Riverton não mais lhe poupará dos ataques, como fez na campanha da reeleição, para evitar bater em um ex-integrante do governo, e assim dar munição a outros adversários...
Agora, a ordem é expor, publicamente, as fraquezas do médico Aloísio, durante sua gestão no Hospital Municipal....

De posse de pesquisa qualitativa, um grupo político local busca encaixar alguém no perfil desejado pelos eleitores ouvidos na sondagem: alguém de fora da máquina partidária e administrativa, ou seja: um outsider...

Ainda é cedo, mas esse, segundo nosso correspondente, é o quadro atual da política macaense...

Nenhum comentário: