quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Dos vírus e outros parasitas II...

Recolhido ao ostracismo desde que iniciou(??)seu mandato, exilado na ponte Macaé-SJB, encurralado por 40 horas semanais de trabalho como petroleiro, distante dos questionamentos mais importantes, a respeito dos gastos de nossos recursos, e dos rumos da gestão pública municipal, eis que o quase-vereador do ex-pt deu o ar da (des)graça...

Bastou o agravamento dos efeitos da pandemia de h1n1, e dos debates sobre a volta(ou não)das aulas, que o quase-veredaor descolou um "espaço" na mídia, o que seus correligionários diziam impossível, e posou em frente a uma pia sem papel toalha e sem álcool, ou qualquer outro adistringente-desinfetante que esterelize as mãos do vírus A...

No estilo marronzista, sapateando sobre o óbvio, a total falta de estrutura da SMEC e das escolas para fornecer ambiente sanitário seguro, o vereador posa de paladino da assepsia, o que aliás, reflete bem em seu mandato asséptico, inodoro, incolor e insosso...

Ora, ora, ora...Se havia risco, e se todos já sabiam(ou deveriam saber) que a pateta da educação nunca providenciaria as condições de higiene para os alunos da rede pública municipal, por que o vereador não entrou com uma representação nos órgãos ministeriais, e ou na Justiça para embargar o retorno às aulas...???

Ele deve ser adpeto daquela seita: sua desgraça é meu consolo...!

Enquanto isso, a família permanece exilada em SJB...

2 comentários:

Anônimo disse...

SOCORRO!!!!!!!!!!!!
FUNCIONÁRIA ESTADUAL HÁ 30 ANOS
(PROFESSORA),busquei na SEE(SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÂO),algo sobre um possível aumento de SALÁRIO,o que há muiiiittttooooo...TEMPO,Não temos,e para meu DESESPERO,OLHEM O QUE ENCONTREI:
"Gratificação do Nova Escola será incorporada a partir de outubro

Por Mônica Marzano
Fotos: Cris Torres

“Uma conquista histórica para os servidores da Educação”. Assim definiu Regis Fichtner o plano de incorporação das gratificações do Programa Nova Escola, apresentado nesta terça-feira (18/8) por representantes do Governo do Estado. Ainda hoje, será enviado à Assembleia Legislativa o projeto de lei que prevê beneficiar todos os professores e funcionários administrativos vinculados à Secretaria de Educação. A incorporação gradual, em sete parcelas, de R$ 435,10 ao vencimento-base do professor e de R$ 217,54 ao piso dos funcionários administrativos é uma das propostas.

- Esse foi o compromisso de campanha assumido pelo governador Sérgio Cabral. Foram feitas diversas reuniões até chegarmos a esse resultado – disse o secretário da Casa Civil, Régis Fichtner.

O secretário de Planejamento e Gestão, Sérgio Ruy, explicou que para elaborar o plano foi necessário preservar o equilíbrio financeiro e as despesas globais, respeitando o investimento de 25% de recursos na Educação, que inclui não só a SEEDUC, como as universidades estaduais e as escolas técnicas.

No projeto de lei, os servidores com mestrado e doutorado, em exercício na Secretaria de Educação, também serão beneficiados com Adicional de Qualificação, que varia de R$ 210 a R$ 840. O objetivo é estimular a formação continuada dos servidores. Os inativos também poderão fazer parte da lista, desde que comprovem conclusão do curso antes da aposentadoria.

A SEEDUC vai regulamentar os cursos de mestrado e doutorado que serão aceitos, para que o profissional possa fazer jus à gratificação. Evidentemente não é qualquer título que implica um progresso no ensino. Isso vai ao encontro do programa de formação continuada que estamos montando, em parceria com o MEC, e temos percebido um volume grande de funcionários do magistério com vontade de estudar e evoluir na profissão.

Outro anúncio foi a gratificação especial de R$ 300,00 para os 465 inspetores de Administração Escolar. Esses profissionais que trabalham 25h recebiam o equivalente aos professores Docentes I, com carga horária de 16h.

- Os inspetores hoje são centralizados na Subsecretaria de Logística e Tecnologia, que está informatizando todo o processo feito em campo. Eles são responsáveis por uma área importante da Educação, já que cumprem o papel de visitar e fiscalizar os estabelecimentos de ensino, inclusive os da rede particular - destacou a secretária de Educação."
ONDE ESTÃO OS DEPUTADOS?????
VÃO VOTAR ISSO????????
SERÁ QUE O GOVERNADOR NÃO CONSEGUIU SE DESGRUDAR DOS ATinhos...Para os PROFESSORES????????

Anônimo disse...

COLEGA aí de cima,vc esqueceu o mais CHIC.
Esse PAGAMENTO SERÁ ATÉ 20015.(Vc, deve ter sido pela emoção,pulou a melhor paete,veja.)

"Gratificação do Nova Escola será incorporada a partir de outubro

Por Mônica Marzano
Fotos: Cris Torres

“Uma conquista histórica para os servidores da Educação”. Assim definiu Regis Fichtner o plano de incorporação das gratificações do Programa Nova Escola, apresentado nesta terça-feira (18/8) por representantes do Governo do Estado. Ainda hoje, será enviado à Assembleia Legislativa o projeto de lei que prevê beneficiar todos os professores e funcionários administrativos vinculados à Secretaria de Educação. A incorporação gradual, em sete parcelas, de R$ 435,10 ao vencimento-base do professor e de R$ 217,54 ao piso dos funcionários administrativos é uma das propostas.

Serão contemplados 165.173 servidores, do seguinte modo: professores (75.982 ativos e 52.466 inativos), funcionários de apoio (17.115 ativos e 12.254 inativos) e 4.355 pensionistas. No grupo de beneficiados, também estão os 18.131 Docentes I, que ingressaram no atual governo. De acordo com os cargos e os 11 níveis de referência, o reajuste pode chegar a 20,66%. Sobre esse valor incidem os triênios e está preservado o interstício, que é a diferença concedida entre os níveis a cada cinco anos.

A primeira parcela será de R$ 100, a ser incluída no vencimento de outubro de 2009, pago em novembro. Dessa forma, se o servidor já recebe R$ 200 de gratificação, por exemplo, terá R$ 100 destes incorporados ao salário-base e o restante nas parcelas seguintes, até completar o valor de R$ 435,10 em 2015.

A gratificação do Nova Escola, criada em 2000, era concedida de acordo com o desempenho dos funcionários na avaliação externa. Mesmo com o fim do programa, o estado continuou a pagar valores de R$ 100,00 a R$ 435,00 para professores e de R$ 50,00 a R$ 217,50 para o pessoal de apoio..."