segunda-feira, 17 de agosto de 2009

McDia Infeliz...

Em tempo de (p)ilantropia, não é incomum que pessoas de bem, cheias das melhores intenções e de amor ao próximo, enxerguem na ação pontual de algumas empresas, a possibilidade de ajudar a minorar o sofrimento das pessoas, quer sejam elas acometidas de doenças, ou vítimas da exclusão sócio-econômica, e na maioria das vezes, infelizmente, ambas as condições caminham juntas...

Não há como negar o alívio que sentem essas pessoas quando são atingidas por essas ações...Mesmo que momentaneamente, todos gostam, e precisam ser lembrados e cuidados...

Aí reside boa parte do problema...A compaixão e a necessidade não são boas conselheiras do bom senso, e, geralmente, turvam nossa capacidade de enxergar a realidade, a triste realidade, que se esconde por detrás de algumas iniciativas, não todas é claro...

Recentemente, minha caixa de e-mails recebeu uma série de pedidos de divulgação de uma dessas ações...Todos os anos, uma das maiores corporações munidiais de franquias de lanchonetes, tipo fast-junky-food, a McDonald's, um dos maiores símbolos do capitalismo, nos remete a uma campanha denominada McDia Feliz, onde parte da renda obtida com a compra de um tipo de sandwich, o Big Mac(apenas ele), é revertida para uma instituição de apoio e tratamento de crianças portadoras de algum tipo de câncer...E pasmem, a instituição é gerida pelo próprio grupo, e se chama Casa McRonald(personagem criado para aliciar crianças a se tornarem pequenas bolas de gordura e colesterol)...

Os nossos "colonistas sociais" fazem a festa, e os nossos arremedos de vera loyola e carmen mayrink veiga idem, em poses ensaiadas de amor às criancinhas...

Tudo bem, se for bor uma causa...afinal, os ricos(decadentes ou emergentes) também devem ter consciência social, mesmo que soterrada lá no fundinho de uma bolsa Louis Vitton, entre a maquiagem Contém 1g, o celular smartphone LG último tipo, e o iPod da Apple, e as chaves da Hi-Lux...

Mas deixei passar de propósito, e para não ser acusado, injustamente, é claro, de ranzinice insensível, e preconceito de classe às avessas...Todos foram McFelizes ao McDonald's, e gastaram seu McDinheirinho em BigMacs, enquanto órgãos de imprensa e colunistas fizeram seu proselitismo habitual, se é que não levaram um McQualquer...Não importa, o que importa são as McCriancinhas...

No entanto, farei apenas uma pergunta:

Não seria incongruência, estimular as pessoas a se entupirem de hamburguers, para conseguir algum caraminguá para crianças com câncer, quando se sabe, cientificamente falando, que a obesidade é um dos principais fatores exógenos que contribuem para o desenvolvimento de tumores e outras doenças crônicas, incuráveis e fatais...????

Vejam bem, é só uma pergunta...

Na minha doente cabeça é como a Souza Cruz, ou a Philipp Morris criando um dia da fumaça feliz, revertendo parte do dinheiro arrecadado com a venda do Marlboro, ou Carlton para o tratamento do câncer...

É pode ser que o doente seja eu...

4 comentários:

Claudio Kezen disse...

"E pasmem, a instituição é gerida pelo próprio grupo, e se chama Casa McRonald(personagem criado para aliciar crianças a se tornarem pequenas bolas de gordura e colesterol)..."

Hahahahaha...essa foi boa, Xacal.

Só como curiosidade, em 1979, isso mesmo 1979, eu morava em Minneapolis e presenciei uma grande campanha de boicote ao MacDonald's porque descobriram que os "gominhos" da laranjada e o ovo dos sanduíches eram de...plástico.

Já naquela época a associação de proteção aos direitos dos consumidores deles era muito forte e organizada, e além de piquetes nas portas do Ronald, eles colocavam comerciais em horário nobre!

O mesmo se passou com a Nestlé. Os caras descobriram que naqueles potinhos de sopinha para bebês nos países do 3º mundo eram usadas substâncias químicas proibidas na Europa e EUA. Ou seja, nós éramos meras cobaias dos gringos.

E assim caminha a humanidade...

Anônimo disse...

FANTÁSTICO:

"Na minha doente cabeça é como a Souza Cruz, ou a Philipp Morris criando um dia da fumaça feliz, revertendo parte do dinheiro arrecadado com a venda do Marlboro, ou Carlton para o tratamento do câncer..."

Anônimo disse...

Seus argumentos podem ser válidos, mas será que você não pegou muito pesado não?
Eu sempre me empenhei nessa campanha, por conhecer a casa e realmente constatar a importância dela para os parentes e acompanhantes dessas crinças.
Um abraço Xacal

Arremedo de Vera Loyola rs

Anônimo disse...

Calar diante do sofrimento alheio, é covardia.
Calar diante da injustiça, é fraqueza.

Isso diz tudo!