terça-feira, 11 de agosto de 2009

Tensão na América Latina...

Um suposto acordo bilateral Colômbia x EEUU, que prevê a utilização de bases militares em território colombiano por 800 militares estadunidenses aumentou o desgaste das péssimas relações entre a Colômbia e seus vizinhos, a Venezuela e Equador...

Diante do impasse, a cúpula do UNASUR, entidade multilateral que reúne os países latinoamericanos, sediadas essa semana em Quito, e uma vez que o mandatário maior da Colômbia, Álvaro Uribe não estava presente, foi convocada nova reunião, dessa vez para Buenos Aires, na expectativa de que um acordo seja possível...

O presidente Hugo Chávez não mediu suas palavras, e aludiu que a permanência de militares estadunidenses na região poderá deflagrar um conflito de grandes proporções, posição que foi seguida pelo presidente equatoriano, Eduardo Correa...

O argumento colombiano do combate as FARC e ao narcoterrorismo já é conhecido, embora não seja crível...

Esconde sim, objetivos geopolíticos definidos, e cumpre uma agenda que favorece a violação de soberania e territórios alheios, como já aconteceu com a invasão colombiana ao territótio equatoriano...
Quando traz os EEUU para o conflito, a Colômbia acena claramente que não aceita a mediação da UNASUR para os temas multilaterais da região, e que prefere a arbitragem dos EEUU...

Não é uma situação fácil...Aguardemos os próximos lances...

Um comentário:

josé Renato disse...

Nenhum pais da América Latina deve ficar tranquilo com um Presidente que estabelece ditadura em seu pais.
É histórico (vejam ocaso ,por exemplo da Argentina), quando a popularidade dos govenantes estão em baixa, partirem para a guerra. Um verdadeiro absurdo.Sem levar em conta que a Venezuela, mesmo com toda produção de petróleo, é uma das maiiores inflações da América. Isto porque o ditador de lá invete preferencialmente em armamento. Arma-se contra o que????. O que a populaçao de lá pensa disso. Será que há liberdade de imprensa? existem blogs livres lá?
Devemos ficare atento, pois faz divisa com nosso pais.