sábado, 29 de agosto de 2009

TrOlHada do leitor(a)...

Um de nossos treze leitores(as), o professor Roberto Moraes, continua atento, como sempre...Como repercussão do post publicado aqui(Memória curta ou seletiva...???), enviou-nos uma mensagem eletrônica, que compartilhamos com vocês...Parece que o secretário das finanças, chico esquece, além de esquecer os princípios constitucionais da capacidade contributiva, como denunciamos ali embaixo, também desaprendeu a fazer contas...chico esqueceu, mentiu, está perdido, ou as três hipóteses juntas...??? Leia e confira...

Vendo seu post com comentários do Sec. de Fazenda pergunto:
De onde vem a informação de qua PMCG arrecada R$ 40 milhões por mês?
Já há algum a proporção de nossas receitas são mais ou menos 65% dos royalties e PE; 30% de repasses governamentais (federais: FPM, IR, IPI, FNDE, SUS, etc. e esaduais: ICMS-cota parte, IPVA )e, apenas cerca de 5% de arrecadaçao própria.
No orçamento deste ano de R$ 1,5 bi, depois contigenciado em 30%, e com o aumento do valor do petróleo deve se situar na casa de R$ 1,2 bi, estes valores seriam:
R$ 780 milhões de royalties e PE;
R$ 360 milhões de repasses governamentais;
Nesta conta sobraria R$ 60 milhões de arrecadação própria, que daria uma média de apenas R$ 5 milhões por mês, 1/8 dos R$ 40 milhões (este sim, quase ovalor anual) de arrecadação própria aí incuídos ISS (hoje a principal receita do município), IPTU, ITBI, e todas as outras taxas municipais...
R$ 40 milhões por mês daria R$ 480 milhoes por ano ou 40% da receita total estimada este ano de R$ 1,2 bi.
Desculpem os números que não tenho tido tempo de atualizar, mas apenas para colocar a casa em ordem.
Abs.
Roberto Moraes

Um comentário:

Anônimo disse...

Sou morador das proximidades da Lapa e, por motivos compreensíveis, não vou me identificar, mas relato o seguinte:

Na noite/madrugada de ontem eu, minha família e vizinhos não dormimos por conta de uma festa realizada na comunidade da Tira-Gosto, que teve início por volta das 19h e só acabou perto das 5h da manhã de hoje. Começou com música Pop, pagode e depois da meia-noite reinou o funk absoluto, estrupando nossos tímpanos. O volume do som era tão alto que a impressão é de que a aparelhagem estava dentro da nossa sala, mesmo que estivéssemos a centenas de metros de distância.

Será que a lei do silêncio, que proíbe som alto após às 22h foi revogada?

O que chamou a atenção dos pententes, nós moradores dos bairros próximos (e não tão próximos assim, pois um amigo que mora no outro lado do Paraíba também foi incomodado pela festa), foi a insistência dos locutores em agradecer o “apoio total” da prefeita Rosinha Garotinho, do secretário de Cultura, Orávio de Campos e do presidente da Fundação Oswaldo Lima, Alevino Ferreira, para a realização da festa.

No desespero, fui ao catálogo em busca dos telefones dos três homenageados. Achei o de Orávio, mas ninguém respondeu.

Escrevo esse desabafo para a Ouvidoria da Prefeitura de Campos na esperança de que as autoridades citadas não concordem com o abuso cometido. Por mais sensível que sejam às manifestações culturais das comunidades, não podem concordar que essas manifestações firam os direitos dos outros, especialmente ao sagrado direito ao sono. Envio cópia ao Ministério Público, jornais e alguns Blogs da cidade.

Agradeço a publicação e as providências que confio sejam tomadas.