sábado, 26 de setembro de 2009

A estatização do monitô-nem aí...?

Corre por aí a notícia de que a PMCG estaria "estudando"(o que já prenúncio de desastre)uma forma de "incorporar" ao patrimônio público municipal os restos mortais do monito-nem aí...Suas instalações físicas(a sede da redação), sua "marca", etc...

Pois é, seria a premiação com dinheiro público ao fracasso, ainda que subsidiado, de forma generosa, pos esses mesmos cofres com a mesada "diário oficial"....

É mais um chute na "alegada memória do jornal"...Sim, pois aqueles que desejam a preservação de sua suposta contribuição ao jornalismo "independente", deveriam corar de vergonha ao propor, e ou aceitar esse tipo de esmola oficial...De acordo com as informações publicadas no blog Urgente!, poderia ser mantido alguma função jornalística da secretaria de comunicação utilizando a mesma marca, acrescida da epígrafe "diário oficial"...Ora, ora, ora, seria muito cinismo...Como se "oficializassem" o que já foi feito por décadas e décadas a fio...

Uma das únicas possibilidades sérias de preservar o espólio desse veículo seria a digitalização de seus arquivos fotográficos e edições, depoimentos de seus colaboradores, desde que o recurso público não fosse o único patrocinador dessa providência...Para isso, aí estão os apoios privados, e as leis de incentivo a cultura, ou ainda, a política de incentivos culturais da Petrobrás, por exemplo...Às favas com prédios e edificações...Não reside ali a alma de sua redação...Essa, nada mais é, que uma visão "patrimonialista", que no fundo, no fundo, é defendida por boa parte de nossa sociedade, inclusive por aqueles que se dizem defensores do interesse coletivo...

Não nos esqueçamos: o jornal monitô-nem aí é uma empresa privada, parte de um condomínio, pertencente aos herdeiros de Assis Chateaubriand, o Roberto Marinho da década de 40 e 50...

Se pairam sobre a Lira de Apolo, sobre o Solar dos Ayrizes, dentre outras propriedades privadas, os impedimentos legais de se utilizar, diretamente, dinheiro público nas suas restaurações, como justificar fazer o mesmo com um jornal, ainda que centenário...?

Descanse em paz, monitô-nem aí...Agora, aguardemos o féretro dos outros jornais, que não tardarão a passar...

Fica uma certeza: o mundo não acabará se Campos dos G. ficar sem jornais...Pelo contrário, é possível que fiquemos bem melhores...Os contribuintes campistas farão uma boa economia de seus impostos...

10 comentários:

Anônimo disse...

Para mim, já vão muito tarde...

Anônimo disse...

Xacal, vc é nosso porta-voz, e diga-se de passagem uma voz inteligente, afiada e super bem humarada. Vc diz tudo aquilo que gostaríamos de falar. Sou jornalista mas não de coleira. Vou comprar em sua homenagem um gargantilha com sua inicial...X

Anônimo disse...

Não há dúvida de que os jornais informam, formam, deformam...
Mas o poder maior está nas mãos das rádios. O povão não dá muita importância ao que os jornais dizem. Agora, todo mundo ouve um radinho... Verbos que se repetem nas ondas do "dial", ao sabor das verbas, informam, formam e deformam muito mais.

Tramem disse...

Prefeitura salvar?
O jornal conforme seu balancete publicado recentemente não tem dívidas, recebeu em 2008 mais de três milhões. Ficou quase três anos sem receber, cortou despesas e sobreviveu. Novo corte de despesas, metade de suas despesas asseguradas com outros anunciantes. Se o que o jornal recebeu for investido no próprio Monitor Campista não há porque acabar.Segundo comentário no Urgente a culpa é da Folha, hehehhe
Folha conseguiu? A Folha foi para a justiça cobrar licitação,queria mais... Roberto Barbosa que explique se houve ou não, porque pelo contrato com a agência ela teria que apresentar pelo menos 3 orçamentos ao gestor, se ele cumpriu o contrato houve a licitação.
Isso é golpe! E quem está por trás disso tem muito mais folhas para
bancar. O resto é estorinha da carochinha.Alimentar essa briguinha de comadre é querer proteger os que estão por trás do golpe contra o Monitor Campista!

Xacal disse...

golpe contra o Monitor Campista...? por acso se trata de alguma instituição pública...? Alguma esfera representativa....?
Não, não, não meus caros, é apenas uma empresa privada...que vende "noticia"...

Boa parte dos argumentos contra qualquer ajuda financeira pública está no discurso do comentarista Tramem: se o dinheiro e as medidas saneatórias forem revertidas pelo grupo controlador no próprio jornal, tudo certo...E até agora, pelo que consta, foi tudo ao contrário: enquanto o din-din da PMCG entrava, só era carreado para os cofres dos Diários Associados...

Agora, é preciso separar a disputa empresarial, e todas as outras empresas jornalísticas têm o "direito" de argüir privilégios de outros veículos junto ao Erário, e vice-versa...outra coisa é "rotular": GOLPE...é preciso separar o conteúdo da crítica, da "pessoalidade" de quem critica...
Ora, se o pessoal da folha de embrulhar peixe podre não tem "legitimidade" para falar em transparência com dinheiro público é uma coisa, outra é a relevância dessa medida, aliás, que deveria ser uma prática comum: vai contratar com o Erário, licitação...

GOLPE de quem, contra quem...?

Como se vê, nesse nebuloso e promíscuo mundo das empresas de mídia e o poder público, muito ainda resta por ser revelado...

Mas enfim, que se engalfinhem pelos leitores e anunciantes, mas deixem em paz o dinheiro dos tributos...

Erram aqueles que enxergam em nossa críticas um ataque ao monitô-nem aí...é, justamente, ao contrário...enxergamos no monitô-nem aí a possibilidade de crescimento de um jornalismo sem amarras ao din-din da PMCG...

refratar essas críticas com o "argumento" empobrecido de que se trata de "golpe", ou que esse argumento "beneficia" os concorrentes, é banalizar uma discussão que eles mesmos, os jornalistas-íntegros do monitô-nem aí dizem querer suscitar...mas até que ponto...?

triste a lamentável Campos dos G....

Tramem disse...

O jornal não está caminhando? Já não está sobrevivendo com outros aunciantes? Não está no mercado enfrentando como manda a regra do mercado os seus concorrentes? Quem quer controlar e necessita controlar todos os veículos de comunicação em Campos?
Mas claro que isso só se eu desenhar.

Josimar disse...

Vejo muito bem, a prefeitura não deixar esse jornal centenário morrer.
Só uns alienados e deformados que não valorizam a cultura para torcer pelo fim do Monitor Campista.

Xacal disse...

desde quando jornal simboliza cultura...? arghhh...essa foi demais...

Anônimo disse...

Nossa jornal cultural o Monitor!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Parabéns anonimo das 15:51... isso eu chamo de apelação!

Anônimo disse...

Quem diria Delfim Netto, elogiando o governo Lula:

É inegável a melhora da qualidade de vida dos brasileiros no atual governo. Os dados antes esparsos dessa mudança estão agora reunidos e foram revelados com a divulgação no fim da semana passada da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), pelo IBGE, que cobre todo o País e abrange praticamente o período de governança do presidente Lula. Os resultados impressionam, na medida em que convergem de forma consistente para mostrar que, simultaneamente, de 2004 aos dias de hoje: 1. A desigualdade social diminuiu. 2. O rendimento médio dos trabalhadores assalariados aumentou. 3. O número de pessoas desempregadas em todo o País caiu, derrubando a taxa de desocupação para o seu mais baixo nível desde 2003. 4. As desigualdades de renda entre as regiões brasileiras também estão em queda.

Viva Lula!!!