sábado, 5 de setembro de 2009

A lenta agonia do Monitor 2...

Como já perceberam nossos treze leitores(as), a equipe de redação do Monitor Campista, seus articulistas e dirigentes, se desdobraram em uma ação "positiva", ou melhor, na elaboração de uma agenda de boas notícias, fundadas em auto-análises que pretendem expor o jornal, e a atual fase que passa, como forma de legitimar sua posição de suposta transparência...

É uma tentativa válida, senão por um detalhe...

Boa parte da situação que o Monitor Campista hoje sofre se deve a uma escolha editorial, quer dizer, se um jornal é a cara de seu editor-chefe, nesse caso podemos dizer que o Monitor não tem cara, pois seu "editor-chefe" carece dos atributos para o cargo, em todos os sentidos...Autoritário, sem ter autoridade, intervencionista, sem ser mediador, e o pior: pouquíssima capacidade intelectual e nenhuma coragem, ousadia e criatividade, o que sabemos, é uma soma "de ingredientes" mortal a qualquer publicação...

Assim, o Monitor tornou-se um jornal anódino...

O Monitor, atualmente, é uma sopa de letras com chuchu, resumido a reproduzir como eco matérias requentadas da Agência Estado, dentre outras...

Os problemas do Monitor estão dentro dele mesmo..É só procurar direito...Pela parte de cima...Não é leviano dizer que a equipe do Monitor vem sendo desperdiçada...

Não se faz um time vencedor desprezando o "elenco"...A mudança tem que ser no "comando"...

6 comentários:

Anônimo disse...

SE DEVE não se DEVA...Bem se vê que esta sua função de analista de jornais carrega um ranço de quem queria ser jornalista mas não foi...aí instala um blog onde você é um editor chefe de você mesmo(sem colaboradores) e brinca de ser ...jornalista!!!! e o pior escondido no anonimato!

Anônimo disse...

Corrigiu,não é? Espertinho!

Xacal disse...

meu caro, obrigado pela correção, ja foi providenciada a alteração no texto...
Como você disse, bem se vê...que você é faminto por vírgulas, engoliu todas...

Não, não, não meu caro, estou satisfeito com minha profissão, que pasme: na maioria das vezes produzo notícias, nem sempre bem retratadas por imbecis de sua estirpe...

Ironia que esse espaço, de treze leitores(as)seja, justamente, mais lido por jornalistas...

Aqui, (olha a vírgula que você sonegou depois do seu "aí") discutimos temais mais amplos, que sua obtusidade míope não permite enxergar, como: liberdade de expressão e o papel da grande mídia como ferramenta de destruição de nossa incipiente Democracia...

E quem fala isso não sou eu, são jornalistas e especialistas em comunicação de "baixo calão", como Wanderley Guilherme dos Santos e Mino Carta, só para começar...Eu só os leio, e, às vezes concordo: nossa imprensa não merece a liberdade que tem...

Quanto ao anonimato, repito a proposta a todos os curiosos e desinformados como você: mande seu e-mail, nome, endereço, telefone, para marcamos um encontro, e quem sabe, discutirmos temas como os que abordo aqui...

Mas deixe de lado esse seu ranço de jornalista-diplomado-de-coleira, que tem urticárias diante qualquer crítica...

É por isso que ninguém se importa: morre o monitor, cassam a exigência de diploma, e o povo não verte uma lágrima sequer...ainda bem...!!!

Mais uma vez obrigado por ter feito o papel de revisor de nosso texto...quem sabe tem uma vaguinha para você em um jornal de "verdade", e "sem verdade"...

Boa sorte....

Xacal disse...

ué, e não era essa sua intenção...ahhh, não ele esperava me colocar em "maus lençóis", ao desmascarar minha falta de habilidade com o vernáculo...

pobre alma torturada, por várias vezes erramos não só na forma, mas também no conteúdo, e temos a humildade, e a obrigação de voltarmos e reconhecermos nosso erro...isso se deve a coerência, matéria-prima inexistente entre jornalistas de coleira, que se colocam sob a chicote de quem pagar mais...

são mais de três mil textos, e muitos textos mais, nos comentários...mas veja, lanço um desafio:
procure e veja se o índice de erros por página(percentual)é maior ou menor do que na mesma quantidade de textos dos jornais...

considere, também, que eu publico os textos sozinho, sem revisão, e o que é pior: não ganho dinheiro com a publicação, logo, o zelo de quem vive disso, e se diz "profissional" deveria ser maior...

ainda assim, suspeito que a manipulação do verbo nos jornais de coleira deixe muito a desejar...

pelos nossos jornais, a preocupação é, antes de tudo, a VERBA...

um abraço, meu amigo ex-esperto...

Anônimo disse...

Que desperdício ficar preso a uma instituição quando tens um texto tão bom. No entanto, produza mais notícias em seus registros.

Anônimo disse...

É triste ler estas notícias sobre o Monitor Campista. é triste saber que tudo isso é verdade e saber que um veículo com a credibilidade do Monitor, está nas mãos de pessoas sem capacidade técnica. Já fui funcionária do jornal, só eu sei como fui perseguida. O rancor, a intolerância e a capacidade de ser autoritário, é indiscritível. É um pena perderemos um patrimônio histórico, uma fonte de informação, que de dois anos para cá só reproduz e requenta notícias.