quarta-feira, 9 de setembro de 2009

O mestre e o aluno...Uma lição de covardia...

O eleitorado fluminense, e principalmente, os servidores públicos, ao que parece, enfrentarão nas urnas, as duas versões de uma mesma forma autoritária de governar...

Para aqueles que acusam os administradores de interromperem a continuidade administrativa, aí vai a prova em contrário: O Estado que porrava seus servidores no passado recente, continua a lhes descer o cacete...

O que mais fere, no entanto, não são as balas de borracha, as cipoadas de cassetete, ou o ardor do gás pimenta nos olhos...O que mais fere é o cinismo descarado desses governantes, que em campanha, fazem juras de amor eterno a causa da Educação e do serviço público em geral, e lógico, abraçam servidores e lhes prometem reconhecimento e recompensa justa pelo seu trabalho...Verdadeiros "estelionatários eleitorais"...

Ontem, o júnior cabral deu mais um passo ruma à vala comum...O seu (des)governo, que antes se prostrava anódino de feitos e de políticas públicas dignas desse nome, implorando uma popularidade que tenta "vampirizar" do presidente Lula, agora pode ostentar uma marca: O de espancador de professores(as)...

Como não poderia deixar de ser, o oportunismo populista da lapa põe a cabeça de fora, e vem a campo denunciar as mesmíssimas práticas que adotaram em sua octaéride...Na repressão violenta aos Educadores, o casal napoleão fez "escola", e júnior cabral, podemos ver, foi aluno aplicado...

Eu sinceramente, não sei o que é pior: a covardia de júnior cabral ou o cinismo canalha do napoleão da lapa, que "esqueceu" que há alguns três anos atrás, utilizou a mesma polícia para fazer a mesma coisa...

Pobre Estado do Rio...um estado em estado lastimável...

Um comentário:

Anônimo disse...

Garotinho é uma cara de pau, mas o pior é que ele tem muitos acordos, muitas jogadas, está sempre no rádio, na televisão e a população pobre (que é maioria) gosta dele. Ele vai acabar ganhando. Niguém segura o cara.