terça-feira, 8 de setembro de 2009

O oráculo míope da cultura...

O episódio da "prestação de contas" e "das subvenções sociais"(nome pomposo para mamata), que envolve o pateta da cultura, o oráculo, e o pessoal das "entidades" carnavalescas poderia ser assim representado:

Se fosse teatro, seria do absurdo; se fosse um quadro, seria surreal; se fosse um poema, dadaísta; se fosse cinema, seria um Buñuel; se fosse literatura, seria Kafka...Nada nesse "roteiro" é como parece...

Como se esperar a prestação de contas do dinheiro público "torrado" nas agremiações carnavalescas...??
Nunca as houve, e se as houver, em algum tempo futuro, serão peças de ficção...

O Ministério Público, os parlamentares da oposição, e toda a sociedade civil organizada deveriam estar com uma "lupa" sobre essas "contas" que serão apresentadas...

Corremos o risco de assistir a um espetáculo de reinvenção da matemática...2+2 poderão ser 5, e toda soma será sempre menor que zero...
Licença poética, deve ser...
Seria cômico se não fosse trágico: o pateta da cultura ameaça com a suspensão de repasses futuro, caso as "contas" não sejam apresentadas...Ué, eu pensei que a prestação de contas fosse uma obrigação para toda e qualquer pessoa , e ou entidade que se utilizasse de verbas públicas, e que sobre esse fato não pesassse nenhuma condição, ou "prêmio"...Ou seja, se já "gastou" nosso dinheiro tem que prestar contas, independente das "expectativas futuras"...Inclusive de todos os outros anos, nos quais receberam os "repasses"...Ou o tempo apaga as falcatruas...????
Mas para que não digam que toda essa encenação está totalmente despregada da realidade, aqui vai a face triste e verdadeira dela: é certo que todos nós, contribuintes, sairemos no prejuízo...

5 comentários:

Anônimo disse...

Naquela aldeia, todos roubavam de todos, matava-se, fornicava-se, jurava-se em falso, todos caluniavam todos. Horrorizado com os baixos costumes, o frade da aldeia resolveu dar o fora, pegou as sandálias, o bordão e se mandou.
Pouco adiante, já fora dos muros da aldeia, encontrou o Diabo encostado numa árvore, chapéu de palha cobrindo seus chifres. Tomava água de coco por um canudinho, na maior sombra e água fresca desde que se revoltara contra o Senhor, no início dos tempos.
O frade ficou admirado:
"O que está fazendo aí, nessa boa vida? Eu sempre pensei que você estaria lá na aldeia, infernizando a vida dos outros. Tudo de ruim que anda por lá era obra sua, assim eu pensava até agora. Vejo que estava enganado. Você não quer nada com o trabalho. Além de Diabo, você é um vagabundo!".
Sem pressa, acabando de tomar o seu coco pelo canudinho, o Diabo olhou para o frade com pena:
"Para quê? Eu trabalho desde o início dos tempos para desgraçar os homens e confesso que ando cansado. Mas não tinha outro jeito. Obrigação é obrigação, sempre procurei dar conta do recado. Mas agora, lá na aldeia, o pessoal resolveu se politizar. É partido pra lá, partido pra cá, todos têm razão, denúncias, inquéritos, invocam a ética, a transparência, é um pega-pra-capar generalizado. Eu estava sobrando, não precisavam mais de mim para serem o que são, viverem no inferno em que vivem".
Jogou o coco fora e botou um charuto na boca. Não precisou de fósforo, bastou dar uma baforada e de suas entranhas saiu o fogo que acendeu o charuto:
"Quando entra a política, eu dou o fora, não precisam mais de mim".

Carlos Heitor Cony

Xacal disse...

a saída, creio eu, não é a banalização do "mal", nem ao menos a desqualificação da práxis politica, ao contrário...

esse tipo de texto, que nem sei se pode ser atribuído ao cony, é sempre engraçadinho, mas só isso...

pior de tudo é que o cony vive às custas de mais uma desses "diabólicos" conchavos, e recebu uma bolada por uma perseguição política que nunca houve, e goza de uma gorda pensão pelos mesmo "motivos"....

um abraço

Anônimo disse...

Caro Xacal,
embora não pertençamos partidáriamente ao mesmo grupo, acredito que ideológicamente temos pontos em comum.
Respeito a sua posição e a forma com que muitas vezes você aborda situações que dizem respeito a vida política de nosso município.
Leio em alguns blogs, posts que perseguem muitas vezes pessoas simples, trabalhadoras e decentes...mas fazer o que? Deixo simplesmente meu protesto.
Você fala de miopia, eu, de surdez.
Há alguns dias,enquanto esperava para ser atendido ouvi um diálogo
, numa Fundação Cultural ( e não tinha como não ouvir),entre a VICE PRESIDENTE e uma blogueira e pelo que auscultei , a Vice meio que cobrava da blogueira, sobre postagens de comentários onde o nome dela aparecia.
Entre o que escutei e o que pude entender, a Vice fazia elogios e babações a EX primeira dama do município, dizia que nada tinha contra ela e por ai foi...
Fiquei abobado!
Logo eu , andarilho neste mundo, me espantei!
Acorda galera, nem tudo que finge brilhar é ouro.

O

Anônimo disse...

Lá no partido , ela desancava o pau NELES, MAS MUITA GENTE SABE DAS ESTÓRINHAS DA FIGURA, aliás pessoa apagadíssima, não sei como ela conseguiu ser VICE, mas vice vocês sabem, ...

Anônimo disse...

Xacal você tem toda razão. Sei que existem várias cobranças da gestão anterior para que as escolas, blocos, bois entre outros, entreguem as prestações de contas dos recursos repassados pelo Trianon. Mas que não atenderam, ou seja, não prestaram contas. Entendo que descompriram a Deliberação 200 do Tribunal de Contas do Estado. Então quero saber qual foi a mágica feita pela Prefeita para repassar recursos públicos sem a prestação de contas anterior. Mais uma vez o desgoverno G... faz do jeito que quer sem respeitar as leis vigentes.