sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Perdoa-me por me traíres...

Bom, nós aqui da TrOLha sempre tivemos dúvidas quanto a eficácia e propriedade da regra de fidelidade partidária...

Por vários motivos, dentre eles:

Não se define a estabilidade dos quadros partidários, nem a vinculação de mandatos aos partidos, através de uma lei...A formalidade de manter um determinado mandatário em um partido determinado não garante "fidelidade" às propostas e programas, que, diante da hiperbolização dos poderes excutivos, são sempre rifados no balcão das emendas, das verbas e das obras...

Alguém já disse, e não me lembro quem, que o troca-troca de partidos é uma forma de harmonizar o "caos" que é nosso sistema político, onde o estamento é parlamentarista, regido por um forte presidencialismo, distorção resultante de anos de arbítrio e fortalecimento do poder executivo, aliados a uma Constituição que tendia a cobrar essa conta de uma só vez, como forma de tentar, sem sucesso, apagar de vez esse passado, onde o legislativo era só um mero apêndice...

Em um espectro partidário fraco, em relação a identificação, por parte dos eleitores, de seu conteúdo programático, parece ironia de mau gosto falar em fidelidade...fidelidade a partido só existe quando existe uma identidade partidária...

Bom dito isso, é patente como os detentores de mandato começam a criar suas próprias tecnologias para burlar a Lei...É os sistema representativo se reacomodando rumo a acomodação, uma vez que as estruturas que o mantêm permanecem intactas, como: financiamento, formato das chapas, peso do voto(distrital, distrital misto)etc, etc...

Passado o afã de cassação dos infiéis, a poeira começa a assentar no fundo do mar...É certo que esse dispositivo ainda servirá para a punição aos desafetos, mas ao que tudo indica, os primeiros acertos já começam a tomar o lugar da caça às bruxas...

Os blogs de Campos dos G., como o do Roberto Moraes e do Ricardo André, bem como das "meninas superpoderosas" noticiaram que o deputado pudim de chuchu firmou "acordo" para trocar de partido, nesse caso, o pmdb pelo quitinete pr, onde o chefe dos 22 já se encontra...

Pois bem, ainda que, pelos motivos que expus acima, não concorde com a tese da fidelidade, uma vez que ela exista, creio que deve ser cumprida...

Na minha rasa e rala opinião, não cabe às direções partidárias "permitirem" às trocas, uma vez que a regra deixa claro que o mandato é partido, e não dos mandatários ou das direções partidárias...O bem juridicamente tutelado, aqui, é a manutenção do mandato pelo partido, como forma de ratificar a vontade popular sufragada nas urnas...Há, portanto, uma despersonificação do mandato...
Não nos parece que as direção partidária possam dispor de mandatos que não lhes pertencem, mas sim ao partido...
As exceções previstas na Lei são explícitas, e a "concordância" das direções partidárias não bastam...Uma vez não atendidas as premissas previstas na Lei, que possibilitam a troca de partido sem perda do mandato, não caberia a essas direções, em acordo com os detentores de mandatos, a adaptação do ordenamento jurídico...
No caso do pudim de chuchu, do vereador magal boca-mole, e do nelson cahim, parece explícito que não há condições para que a mudança se ratifique, sem a perda do mandato...
Quem deveria estar de olho é o Ministério Público Eleitoral...
Uma coisa é certa, ou se abole a Lei, ou cumpra-se...

2 comentários:

Anônimo disse...

OMISSÃO IMPOSSÍVEL!
Há 70 anos, as tropas alemãs invadiam a Polônia e iniciariam ali a maior guerra de todos os tempos: a Segunda Guerra Mundial.

ROSA DE HIROSHIMA

Pensem nas crianças
Mudas telepáticas
Pensem nas meninas
Cegas inexatas
Pensem nas mulheres
Rotas alteradas
Pensem nas feridas
Como rosas cálidas
Mas, oh, não se esqueçam
Da rosa da rosa
Da rosa de Hiroshima
A rosa hereditária
A rosa radioativa
Estúpida e inválida
A rosa com cirrose
A anti-rosa atômica
Sem cor sem perfume
Sem rosa sem nada

A Guerra estava no fim. A 30 de abril de 1945, em meio à tomada de Berlim pelas tropas soviéticas, Adolf Hitler cometia suicídio e novo governo era formado, pedindo o fim das hostilidades. A 2 de maio, a capital alemã era ocupada. Cinco dias depois, a Alemanha rendia-se incondicionalmente, em Reims. Os conflitos restantes aconteciam no Pacífico. E foi no Japão, mais precisamente em Hiroshima e Nagasaki, que a humanidade conheceu a mais terrível criação de sua própria tecnologia. A 6 de agosto de 1945, era lançada a primeira bomba atômica em alvo humano.

O poema de Vinícius de Moraes,“Rosa de Hiroshima”, é um alerta para a humanidade de memória curta, que somos todos, para não esquecer e para não parar de pensar. Pensar nas crianças mudas, telepáticas. Pensar nas meninas cegas, inexatas.
Não faltava mais nada! Hoje, leio que, em Campos dos Goytacazes, há dois vereadores envolvidos “em relações com meninas menores de idade”. A Pedofilia é um transtorno parafílico, onde a pessoa apresenta fantasia e excitação sexual intensa com crianças pré-púberes.
Infelizmente, a nossa cidade chegou ao limite do absurdo! Legisladores envolvidos com abuso de menores. Porém, o que mais me chocou foi: “A argumentação é de que o caso já é conhecido em diversos setores da cidade, sem que apurações ou informações concretas tenham vindo à tona”.
Fiquei pensando: quais são esses “diversos setores” ? Por que esses fatos não vieram “à tona”? Talvez porque as pessoas de bem tenham se omitido. Esperar de uma sociedade cruel e desumana a omissão já é normal. Entretanto, uma pessoa que se orgulha de ser “PROFESSOR E ENGENHEIRO DO IFF (EX-CEFET)” engrossar as fileiras da omissão. É o fim. Acabou.

Pense nas meninas sendo abusadas. Prostituição infantil é crime de ordem pública. Pense nas aberrações a que foram submetidas.

“Pensem nas crianças
Mudas telepáticas”

* Dificuldade de expressar o sentimento de raiva;
* Queda no rendimento escolar;
* Atitudes autodestrutivas: uso excessivo de álcool, de drogas, etc.


“Pensem nas mulheres
Rotas alteradas”

* Aumento do grau de provocação erótica;
* Tendência ao abuso das relações sexuais;
* Regressão da linguagem e do comportamento;
* Sentimento de estar "marcado" para o resto da vida;
* Agressividade contra a família;
* Medo indefinido permanente;
* Tentativa de suicídio.


“Pensem nas feridas
Como rosas cálidas”

* Dor constante na vagina ou no ânus;
* Corrimento vaginal;
* Inflamações e hemorragias;
* Doenças sexualmente transmissíveis, como AIDS, hepatite B, etc.


Se você consegue imaginar tudo o que acontece nessas sessões e ainda fica quieto; alguma coisa está errada. A repulsa, toma conta de qualquer ser humano revestido de sua sã consciência, quando o assunto debatido é sobre O ABUSO SEXUAL DE MENORES.

O silêncio é o pior remédio para curar-se uma ferida que encontra-se inflamada, devemos cumprir o nosso papel de cidadãos e denunciar.

Não seja cúmplice: quais são os vereadores? Quem denuncia salva!

Xacal disse...

caro comentarista, ainda que seu comnetário esteja deslocado do tema, o que nos causa certo incômodo, o tema proposto é interessante ao debate...

sim, ao debate, pois a defesa do professor e engenheiro, quem deve fazer é o próprio...

veja que os temas relacionados a abuso sexual de menores são graves, e vez por outra, a divulgação apressada dos nomes envolvidos, sem a devida comprovação, geram prejuízoz inclaculáveis e irreversíveis...

é claro que nossa indignação nos tenta a colocar todos os nomes, penso eu...ainda mais quando se tratam de "autoridades", e toda a sorte de hipócritas e canalhas...

mas a divulgação irreponsável cede ao sensacionalismo e ao voyeurismo sádico dos leitores, e não a um dever de cuidado...

esse dever é da polícia, do mp, e da justiça...

pelo que sei, todas as providências legais, nos trâmites legais estão sendo adotadas...

e é claro, pelo menos de minha parte, quando houver indícios suficientes, publicarei o que for possível, e não causar danos a terceiros inocentes...

um abraço...e por favor, restrinja seus comentários ao temas propostos...

toda forma de abuso é violenta...a falta de educação é uma forma de abuso....