quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Populismo jurídico e necrofilia política...

Em momentos de tragédia, quer elas aconteçam com amigos, aliados ou adversários, é necessário muita prudência, a fim de evitar, que em nome de sentimentos de estima ou censura, contaminemos os fatos...

O espetáculo produzido, ontem, no púlpito da câmara de vereadores, foi de um péssimo gosto, e pior, gerando uma desinformação que foi repercutida por aqueles que têm, pelo menos, de acordo com suas alegações, a obrigação de informar e não deformar a opinião pública...

A morte do vereador Renato Barbosa trouxe à tona o que há de "pior na alma humana"(para aqueles que crêem nela)...

Primeiro, o croqui de acidente de trânsito, emitido pela PRF, com todo o respeito àquela valorosa instituição, não é laudo técnico...Esse fica à cargo do Instituto de Criminalística Carlo Éboli, ICCE, da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro...

Depois, ainda que verdadeira a "dinâmica" descrita nesse croqui, sabem todos que elas não elucidam TODO o evento, donde podemos concluir que só as investigações, consagradas em TODO o inquérito policial instaurado, com as conclusões do Delegado de Polícia responsável, nesse caso Dr Ivailson Moreira Sardinha, da 130ª DP, de Quissamã, é a instância correta para definir "culpas" ou responsabilidades criminais, aí descritas no binômio: autoria e materialidade...

Há a oitiva de testemunhas, se as houver, e outros indícios a serem considerados, antes que se transforme Renato Barbosa em mártir da BR 101, e o outro motorista envolvido em seu algoz, e que, em sua defesa, teria "mentido"...Ainda que isso seja verdade, ou seja, ele tenha "mentido", lembremo-nos que no Estado de Direito, essa é uma garantia: mentir em sua própria defesa...

Discursos inflamados servem ao marronzismo jornalístico, ao populismo jurídico, e infelizmente, a necrofilia política...Os que querem homenagear o vereador devem fazê-lo com a busca da verdade, e não, com proseilitismo...

Chegou ao nosso conhecimento que uma testemunha, justamente o condutor do automóvel que Renato teria tentado ultrapassar, antes de colidir com o caminhão no outro acostamento(do lado contrário a mão que rolava seu automóvel), afirma que o caminhoneiro não invadira a pista...Contrariando conclusões precipitadas, retiradas da "análise" dos objetos envolvidos no incidente ali dispostos já de forma estática(sem movimento)...

Mas é preciso cuidado, cautela, e evitar pré-julgamentos...SEMPRE...

Não sou eu que devo "zelar" pela memória do vereador, mas, em respeito a dignidade humana peço: deixem-no em paz, e que a verdade apareça, e os culpados, se houver algum vivo, pague na medida de sua culpabilidade...Ou será que o vereador desejaria injustiça feita em seu nome...?

Esperemos as conclusões das autoridades...É o que "merece" a memória do vereador...Pelo menos eu acho...

5 comentários:

Anônimo disse...

É ... mesmo após o passamento do Vereador vc insiste em caluniá-lo! "Que testemunha chegou a vc???" Deixe de maledicência e mentiras! Basta uma análise no local (e vc não estava la!) para que qualquer idiota verificasse, pelas marcas de frenagem e arrasto, restos dos veículos, local exato da colisão que o motorista do caminhão mentiu, pois ele perdeu o controle do veículo e da carga ao sair da curva, colidindo com o carro do vereador já no acostamento da mão daquele e arrastando-o ribanceira abaixo! Não fique "inventando" testemunhas! É bem capaz de vc "arrumar" alguém para tentar aviltar a memória do Edil. Fique com sua mesquinharia e suas drogas e deixe a memória de quem vc sequer é digno de pronunciar o nome. Como vc não tem publicado opiniões contrárias a vc (e diz que o blog é democrático!), distribuiremos esta nota em outros sites, onde afiançaremos sua postura de necrofilia política (usando sua expressão), em severo antropofagismo partidário.

Xacal disse...

parece que o comentarista lê, mas não entende, ou pior, spo entende o que quer:

façamos mais claro, antes de ter que passas a ilustração(desenho)...

1.o laudo técnico do ICCE é o que vale.;
2.a investigação policial não se resume ao laudo, nem ao testemunho, mas os dois se completam;

3. a PRF não tem atribuição para elucidar autoria nem materialidade;
4.o vereador necrófilo não é autoridade policial(ou judicial), nem tem delegacção da mesma para falar em culpa, ou "mentira";
5.caluniar alguém é imputar a ele a prática de um crime que sabe que ele não cometeu, e qual crime que eu imputei ao vereador, se inclusive, como sabemos ele já está morto...

digo e repito: antes dp laudo do ICCE, da conclusão do IP, da ação judcial e da sentença, falar em culpa, ou atribuir o martírio ao vereador é necrofilia poíitica, populismo jurídico e canalhice da pior espécie...

a informação da testemunha será passada a autoridade competente, e pelo que me consta, não é você...
mas se a autoridade quiser checar o que falo, basta identificar pelas câmaras da praça de pedágio e identificar alguns poucos veículos de passeio que passaram antes do vereador, e que teria sido na tentativa de ultrapassagem do mesmo, que tal incidente se deu...

mas como bem disse, tudo é questão de prova, de investigação...

chamo a atenção dos leitores para esse fato: antes da sentença ou final das investigações, quaisquer conclusões não atendem a Justiça...

Xacal disse...

PS: para facilitar, o carro da testemunha que falo, é de servidor da pretrobrás, que fazia o mesmo trajeto, no mesmo sentido, pelo mesmo motivo que o falecido: morava em Campos e trabalhava em Macaé...

é só checar...

Xacal disse...

PS2: pelo jeito, o cmoentarista deve ser "sócio" dos beneficiários do seguro...só isso justifica "provar" a "culpa" do caminhoneiro...

Bicho Possuído disse...

Xacal
Realmente os "vermeadores" da câmara conseguiram se superar.
Como os vermes, não podem ver uma desgraça que estão logo em cima para tirar algum proveito e fazer política podre e fétida ao qual estão muito familiarizados.

Cambada de demagogos e aproveitadores.

Bicho Possuído
"We see in hell"