quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Seis por meia dúzia...

Alguns setores da sociedade demonstram esperança com a possibilidade de assunção do mandato pelos seis suplentes da câmara municipal de vereadores, a casa de telhado de vidro...

Aventam que a composição das forças, hoje lá dispostas, sofreria alteração significativa, e assim, a câmara poderia, enfim, começar a cumprir, pelo menos em parte, seu papel de fiscalizar as ações do governo, e quem sabe, propor legislações e debates sobre políticas públicas que beneficiem a população que os elegeu...
Essa possibilidade existe, mas é, infelizmente remota...
Se entendermos que as plataformas políticas que permitiram esses suplentes sufragarem seus votos são as mesmas que dividem o cenário político há 20 anos, ou seja, a dinastia da lapa e sua defecção, os telhadeiros de vidro, sobra muito pouco espaço para a esperança...
As amarras da ilegitimidade prendem esses mandatos a um modelo de gestão e de exercício político nefasto, e não será surpresa se "milhões de novos arranjos" venham a domesticar antigos desafetos em torno do projeto político do grupo da lapa...
A imobilização da oposição, já dissemos, não se dá pela ação do governo, que ao contrário, fornece todo o campo fértil para uma atuação firme e ampla dos adversários do governo local...Ela se dá pela própria gênese da "oposição", que não consegue se desvencilhar do seu "passado recente"...
Como criticar as práticas atuais do grupo da lapa, quando esses parlamentares se beneficiaram e ainda querem se beneficiar dos mesmos expedientes...???
Nesse sentido, mesmo que alguma "marola oposicionista" se movimente na "superfície", estaremos longe de qualquer novidade que altere o espectro político na câmara municipal...
Tomara que eu esteja errado...Como eu gostaria de estar errado...!!!

2 comentários:

Anônimo disse...

Olha uma coisa eu sei, se a "profa" assumir, vai dar é muito trabalho.
Tá arriscado eclipsar o mandato do outro que até agora parece meio perdido, embora, reconheça, já comece a acertar a mão e a dizer a que veio.

Anônimo disse...

Precisamos de um grupo de oposição forte em nossa cidade. Grupo no sentido amplo, que possa reunir partidos (como a mesma ideologia), pessoas comprometidas com a causa social e interessadas em trazer desenvolvimento para esta cidade, não apenas o poder pelo poder. Mais ainda, este grupo deve ter o interesse concreto de ganhar a eleição, não apenas marcar posição. Mais um ou dois vereadores de oposição não vai derrubar Garotinho (a maldição de Campos).