sábado, 3 de outubro de 2009

Adiós, cabróns...!


Falemos com o fígado...É certo que o bom tom diplomático, a irmandade entre os povos, o afastamento das generalizações chauvinistas é o que desejamos nas relações internacionais...

Mas não deixa de ser emblemática a vitória sobre Madrid e a fúria racista espanhola, que rejeita turistas brasileiros, à custa de estereótipos vulgarizantes...

Isso, sem mencionar a fala neocolonialista do rei juancarlos, quando em solo sulamericano, desferiu uma "ordem" ao presidente venezuelano, como se ainda se tratasse de uma relação entre soberano e vassalo...

Por tudo isso: Danem-se, merengues cabróns...Adiós, Madrid...Por que não te calas, Juan...?

7 comentários:

Anônimo disse...

XACAL!EU Ñ VEJO A OLIMPIADA COMO VITÓRIA EU VEJO A OLIMPIADA COMO VERGONHA PRO BRASIL,A ROBALHEIRA VAIS SER MTO GRANDE, E QM VAI PAGAR SOMOS NÓS OS OTÁRIOS Q VAI PAGAR IMPOSTO MAIS CARO PRA ESSA MERDA SAI.EU SE FOSSE PRESIDENTE TERIA VERGONHA DE SEIXAR O POVO COM ESSE SÁLARIO DE MERDA,DEPOIS VAI PRA TELEVISÃO E DIZ Q Ñ PODE DAR UM ALMENTO DIGNO PQ Ñ TEM DINHEIRO FRANCAMENTE.NESSE BRASIL É TÃO BOM SER POLITICO PQ QDO A POLICIA FEDERAL BATE NA PORTA A MULHER BATE NO CÂMERA Q TA FILMANDO E ELE TA TOMANDO CONTA DE OUTRO LUGAR.E VCS VEM DIZER Q OLIMPIADA VAI SER BOM PRO BRASIL VAI SIM COM CERTEZA PRA MEIA DÚZIA DE SEIS Q FAZ PARTE DA PANELA EU SÓ QUERO VER O Q VAI SOBRA PRA GAROTINHO E ROSINHA PRA ELA COM CERTEZA UMA PISCINA OLIPICA NO POLO AQUATICO MARIA LENK

Xacal disse...

meu caro comentarista,

já dissemos que a participação em blogs, e a liberação de comentários, aqui nese blog,pressupõe algumas regras...

libero o seu comentário, para tratá-lo de forma pedagógica, ou seja, como não devem se portar nossos comentaristas, a não ser é claro, que queiram seus comentários excluídos:

1.o texto em caixa alta é como se fosse um grito, e aqui, meu caro só quem tem o direito de GRITAR sou eu...
2.quanto aos "mérito" de suas críticas, respeito, mas discordo, frontalmente...

mas democracia é isso aí, cada um pensa e fala o que quer...

eu, de minha parte, tenho orgulho desse país, mas não darei "um cheque em branco" para os organizadores, claro, sacanagens podem acontecer, veja o caso do PAN...

mas não creio que devêssemos punir o povo pela incapacidade de suas "elites" empresários e autoridades em ficar "dentro da llinha"...

condições melhores de vida não excluem a organização de eventos em escala global e os possíveis benefícios que possam trazer...aliás, penso que essas hipóteses sejam complementares...

o resto de seus argumentos são ininteligíveis...depois que você traduzir(dentro das regras as quais me referi), quem sabe eu perca algum tempo para retrucar...

Claudio Kezen disse...

Xacal,

Concordo em gênero número e grau com seu post. O tratamento no mínimo "escroto" com que as autoridades espanholas dispensam aos brasileiros nos aeroportos é um absurdo. Sem falar na onda de racismo em geral que atinge a península marcada pela presença de 7 séculos de ocupação moura, o que é, no mínimo, um contra-senso

Apenas gostaria de fazer um comentário à bem da justiça dos fatos.

Aquela reunião dos países íbero-americanos, se não me engano, aconteceu durante o conflito Colômbia/Venezuela, onde os ânimos estavam acirrados por questões óbvias.

O Zapatero, socialista histórico e amigo pessoal do Lula há décadas, tentava falar após uma daquelas intermináveis intervenções do Chavez. A palavra já tinha sido concedida ao presidente espanhol pelo presidente da mesa devido ao término, como disse, da fala do Chaves, que indelicadamente, não parava de falar por cima do Zapatero.

A reunião era de paízes Íbero-americanos, e era legítima a presença de seus líderes constituídos quer sejam ditadores, monarquistas, socialistas, etc...

O Chavez estava realmente pelando o saco, uma das suas especialidades, quando depois de várias tentativas do Zapatero e do presidente da mesa de pedir um pouco de silêncio ao Chavez, o rei (???) desferiu o famoso "porque no te callas" que foi traduzido maldosamente pela mídia anti-chavista como "cala a boca".

Na verdade significa o óbvio: "porque vc não para de falar?" já que a palavra foi passada para outro?

Este foi o contexto real do arranca-rabo e não uma ordem de cala a boca, apesar da extemporaneidade da simples existência de um rei(???) nos dias de hoje na minha visão.

Um abraço.
Claudio.

Xacal disse...

cláudio, tem incorreções em sua informação:

o conflito era Equador/Colômbia, onde álvaro-rambo-úribe, o "bom latino" para a mídia e os conservadores internacionais...

quem falou não foi zapatero, e sim josé maria áznar, que nem poderia fazê-lo, pois era apenas um convidado, como ex-chefe de governo, e estava na companhia de juan carlos...

chávez o interpelou pelo seus postulados neocolonialistas, e o rei interveio...

a questão de fundo não é o quiproquó, e sim a dimensão colonialista que a mídia local deu, como se juan carlos, rei, presdente, imperador, ou que seja lá o que o valha, possa vir aqui, na américa latina "cagar regras" para "nosotros", sem ouvir(como dizia chávez na ocasião)que boa parte dos conflitos aqui, hoje em dia, ainda são reflexos da colonização(extermínio)espanhol, português, inglês e por último estadunidense...

um abraço....

Xacal disse...

editando: onde álvaro(...)invadiu o Equador, em afronta a soberania daquele país...

Claudio Kezen disse...

Bem, como eu disse, não me lembrava bem da ocasião específica e acabei trocando a porra toda, rs...

Esclerose adiantada...

Anônimo disse...

REALMENTE COMO VC PODE RETRUCAR?SE VC Ñ SABE O Q É PARAR NUM HOSPITAL PUBLICO E SER ATENDIDO,QDO É ATENDIDO EM CIMA DE UMA PIA DO HOSPITAL GETULIO VARGAS. O NOSSO DINHEIRO MAIS UMA VEZ VAI PRA LAMA OU MELHOR PRO BOLSO DOS PILANTRAS ESPERO Q VC Ñ FAÇA PARTE DESSA PANELA TCHAUUUUUUUUUUUUUUUUU