quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Afinal, quem é que manda nessa "joça"...?

Ninguém despreza a necessidade de medidas para organizar a ocupação do espaço público, onde quer que seja: No centro ou na periferia...

Como também, ninguém desconhece que os jornais tendem a prestar atenção nos espaços públicos privilegiados, e tomar a defesa dos interesses de seus apaniguados e sócios de poder...É tudo uma questão de definir de "quem será a cidade"...Da maioria, ou da minoria...?

Mas a questão do "choque de ordem" da prefeita local, revela bem como se movimenta o poder, e os meios de comunicação...

Para "acalmar" os lojistas, a prefeita nomeia alguém do "meio", como se a vida do centro se resumisse a "ótica" dos comerciantes...

Depois, açodado pelos órgão de imprensa, escolhem o "bode expiatório da vez", como se toda a transgressão e infração na ocupação do espaço público fossem exclusividade dos camelôs...

Todos sabemos que não é...
Basta um passeio pelas calçadas(se puder, é claro)para constatar que os "respeitáveis lojistas" violentam tanto as calçadas como os camelôs, como em uma guerra onde a única lei seja a lei do cão...

Bom, como se não bastasse tudo isso, uma das janelas virtuais, de um desses jornais de coleira, estampa um título sugestivo...


Aí perguntamos: Quem é o poder constituído nessa cidade...?

Mais arrogante?...Mais autoritário...? Impossível....

Mas enfim, creio que eles se "mereçam"...

4 comentários:

Anônimo disse...

Muita carência de professor na Rede Municipal (muitos RET), porque não convoca professor no próximo ano.
Tem muita escola com vaga real.
Será que Rosinha e a Secretária de Educação irão chamar?
Espero que Rosinha lembre dos professores? Ou vai usar a política de contratação.

Xacal disse...

e o que esse assunto tem a ver com camelôs e espaço público...?

Anônimo disse...

Que a cidade precisa de um choque de ordem, ninguém duvida e o Centro da Cidade em especial precisa de maior atenção. O que chamam de camelô é na verdade "Empresario do Tabuleiro", basta ficar as 7 hs da manha para se ver o verdadeiro "dono" das bancas de camionetes importadas distribuindo produtos com seus "Empregados". Existe sim muita conivência nessa relação tanto dos Fiscais (fazem vista grossa),como dos políticos (interesses eleitorais) e a própria CDL que perdeu o prestígio pela falta de dirigentes competentes (falta isenção).Os "Camelôs" não podem exigir ficar no metro quadrado mais valorizado do centro!!!E quanto ao lojista existe a multa. Que se faça cumprir a LEI (ela existe)!

Anônimo disse...

Engraçado é que o "Jornaleco" que hoje critica é o mesmo que quando a verbinha entrava fácil via prefeitura não se preocupava com o espaço público. Tirar dinheiro de ógão público é mais fácil que tirar de empresário..... É a velha estória do VERBO de acôrdo com a VERBA!