segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Até tu, Bresser...

Veja aí o texto que nos enviou o camarada George Gomes Coutinho...Tem tucano costeando o alambrado...

BRESSER-PEREIRA: O MST é uma das únicas organizações a, de fato, defender os pobres no Brasil. Não aceito a transformação das laranjeiras em novos cordeiros imolados pela "fúria de militantes irracionais".

19/10/2009 - 09:54:00

Indignação com as laranjeiras
Por LUIZ CARLOS BRESSER-PEREIRA
(foto)

Por que não nos indignamos com a captura do patrimônio público que ocorre todos os dias em nosso país?



HÁ UMA semana, duas queridas amigas disseram-me da sua indignação contra os invasores de uma fazenda e a destruição de pés de laranja. Uma delas perguntou-me antes de qualquer outra palavra: "E as laranjeiras?" -como se na pergunta tudo estivesse dito.
Essa reação foi provavelmente repetida por muitos brasileiros que viram na TV aquelas cenas. Não vou defender o MST pela ação, embora esteja claro para mim que o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra é uma das únicas organizações a, de fato, defender os pobres no Brasil. Mas não vou também condená-lo ao fogo do inferno. Não aceito a transformação das laranjeiras em novos cordeiros imolados pela "fúria de militantes irracionais".
Quando ouvi o relato indignado, perguntei à amiga por que o MST havia feito aquilo. Sua resposta foi o que ouvira na TV de uma das mulheres que participara da invasão: "Para plantar feijão". Não tinha outra resposta porque o noticiário televisivo omitiu as razões: primeiro, que a fazenda é fruto de grilagem contestada pelo Incra; segundo, que, conforme a frase igualmente indignada de um dos dirigentes do MST publicada nesta Folha em 11 deste mês, "transformaram suco de laranja em seres humanos, como se nós tivéssemos destruído uma geração; o que o MST quis demonstrar foi que somos contra a monocultura".
Talvez os dois argumentos não sejam suficientes para justificar a ação, mas não devemos esquecer que a lógica dos movimentos populares implica sempre algum desrespeito à lei. Não deixa de ser surpreendente indignação tão grande contra ofensa tão pequena se a comparamos, por exemplo, com o pagamento, pelo Estado brasileiro, de bilhões de reais em juros calculados segundo taxas injustificáveis ou com a formação de cartéis para ganhar concorrências públicas ou com remunerações a funcionários públicos que nada têm a ver com o valor de seu trabalho.
Por que não nos indignarmos com o fenômeno mais amplo da captura ou privatização do patrimônio público que ocorre todos os dias no país? Uma resposta a essa pergunta seria a de que os espíritos conservadores estão preocupados em resguardar seu valor maior -o princípio da ordem-, que estaria sendo ameaçado pelo desrespeito à propriedade.
Enquanto o leitor pensa nessa questão, que talvez favoreça o MST, tenho outra pergunta igualmente incômoda, mas, desta vez, incômoda para o outro lado: por que os economistas que criticam a suposta superioridade da grande exploração agrícola e defendem a agricultura familiar com os argumentos de que ela diminui a desigualdade social, aumenta o emprego e é compatível com a eficiência na produção de um número importante de alimentos não realizam estudos que demonstrem esse fato?
A resposta a essa pergunta pode estar no Censo Agropecuário de 2006: embora ocupe apenas um quarto da área cultivada, a agricultura familiar responde por 38% do valor da produção e emprega quase três quartos da mão de obra no campo.
O ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, nesta Folha listou esses fatos e afirmou que uma "longa jornada de lutas sociais" levou o Estado brasileiro a reconhecer a importância econômica e social da agricultura familiar. Pode ser, mas ainda não entendo por que bons economistas agrícolas não demonstram esse fato com mais clareza. Essa demonstração não seria tão difícil -e talvez ajudasse minhas queridas amigas a não se indignarem tanto com as laranjeiras.

LUIZ CARLOS BRESSER-PEREIRA , 75, professor emérito da Fundação Getulio Vargas, ex-ministro da Fazenda (governo Sarney), da Administração e Reforma do Estado (primeiro governo FHC) e da Ciência e Tecnologia (segundo governo FHC), é autor de "Macroeconomia da Estagnação: Crítica da Ortodoxia Convencional no Brasil pós-1994". Internet: http://www.bresserpereira.org.br/

bresserpereira@gmail.com

Fonte Folha de S Paulo

8 comentários:

OvOviradO disse...

olhe a foto no seu mail
abs
OvOviradO

Xacal disse...

eu já conhecia essa foto, acho que foi o DiDonato que postou algo sobre ela...mas de toda forma, não deixa de ser engraçada...

o problema é que a amiga saiu dessa, mas caiu no "colo" do popozão...nem sei o que é pior...

Anônimo disse...

Xacal, qual sua análise atual sobre a conjuntura eleitoral Estadual e Nacional?

Acho que o quadro esta mudando, no âmbito nacional, o jogo parece embolado, Lula demonstra estabilidade na alta popularidade, ganhou o mérito das Olimpíadas 2016, até porque muitos da imprenssa internacional atribuiram a ele a vitória do Brasil, dia primeiro de janeiro será lançado o filme Lula o filho do Brasil, com records de investimentos dentre os filmes nacionais, o filme promete, e vai ser usado politicamente é claro, sendo difundido por sindicatos, setoriais do PT e de partidos aliados, movimentos sociais, etc...
Embalado com todo o universo conspirando ao seu favor, Lula terá seu grande teste, depositando todo seu cacife em Dilma, acho que no embalo de Lula, se concretizadas com o apoio do PMDB, PCDOB, PR, PDT,etc, acho que Dilma vence Serra, no segundo turno é claro,surpresa só poderemos ter se for Aécio, que inegavelmente desperta simpatia por muitos eleitores de Lula e do PT, Marina Silva não tem perna pra corrida presidencial, o Ciro deverá ser segurado por Lula.

Anônimo disse...

Na sucessão Estadual o quadro esta mudando...

Diferente de Lula, Cabral foi incompetente até mesmo para ganhar mérito com a escolha do Rio para as Oliimpíadas, se estava começando a conseguir algum brilho com 2016, um helicóptero derrubado, com mais 12 mortos no final de semana jogou tudo por água abaixo...
Provavelmente em 2010 teremos, cabral brigando na capital e região metropolitana com Gabeira ou Maia nas classes médias e alta, e com Garotinho e Lindberg se este for candidato nas classes mais pobres.

Na baixada Maia ou Gabeira são fracos, Garotinho e Lindberg devem liderar com Cabral no rastro...

No interior, Garotinho tende a ser o hegemonico, Cabral não tem aliados com muita força na região, o aliado mais forte talvez seja nosso ex-prefeito quase um defunto...

Embora acho que o cenário favorece Garotinho, em se tratando de segundo turno as articulações políticas podem reverter essa vantagem,se enfrentar um Gabeira ou Maia, ou Lindberg (pois estes seriam apoiados por Cabral)...

Mas se for com Cabral, suas chances de voltar a governar o RJ, aumentam muito, porque os outros candidatos não apoiariam Cabral...

Por outro lado, uma não candidatura de Lindberg, deixa Cabral mais fortalecido, ao menos no primeiro turno, e se um Wagner Montes se candidatar tira uma parcela de votos de Garotinho...

Minha conclusão é que dois fatos vem se consolidando, Garotinho esta crescendo, é um candidato forte, Cabral apesar da máquina da mídia toda favorável, esta se enfraquecendo...

Aguardemos os próximos acontecimentos...

Xacal disse...

caro comentarista,

embora tenha sido precipitado pela mídia, e porque não dizer, pelo próprio governo, a agenda de campanha ainda está no campo das hipóteses sujeitas a muitas mudanças...

mesmo assim, certas premissas parecem irrefutáveis:

1. o poderio da popularidade de Lula é sólido, e salvo uma hecatombe nuclear, deve se manter assim, com pouquíssimas alterações...o candidato do governo estará no 2º turno...mas a eleição também pode ser decidida no 1º, caso o candidato seja zé serra, e o clima de plebiscito (contra ou a favor do governo Lula)prevaleça...
2. a transformação da Dilma de uma ilustre desconhecida em candidata viável é a prova da capacidade de transferência de prestígio do Lula...Mas devemos lembrar que ela ainda está sob teste...
3.Ciro é plano "B", tem mais recall, experiência executiva, mas também tem mais arestas, e sofre as restrições do próprio temperamento irascível...
4.Com o tempo que tem, zé serra vai esperar a definição de seu posicionamento...a idéia de "ceder" o lugar pata aécio, como já escrevemos aqui(em um outro post: Especulações), não é de todo implausível.
5.aécio é o candidato que o governo federal não quer...tem estampa, é próximo ao próprio PT em Minas, põe uma cunha no RJ, e afasta a plebiscitarização da campanha ou a comparação ffhhcc x lula...
6.quanto ao caso estadual, é certo que o governador vai estar no 2º turno, a não ser que ele consiga piorar o que já é horrível...Mesmo com toda a inépcia de seu governo, com apoio descarado da mídia, consegue manter níveis de intenção que o colocam como favorito...dinheiro para campanha não faltará, nem recursos...
7.o jogo muda um pouco se a campanha do lindberg emplacar...essa possibilidade colocaria três palanques da Dilma no RJ(se garotinho foi candidato), o que diluiria a preferência que o presidente Lula tem por ele, porque afinal, a candidata não poderia recusar apoios e afastar eleitores dos adversários de cabral...
8.cabral é seu próprio adversário...seu mau desempenho é fruto de suas incompetências, e não da "qualidade" do seu principal adversário, garotinho...
9.não acredito na campanha de wagner montes...campanha para governador não é só exposição na mídia, ainda mais que o seu tempo de tv será pequeno, o que lhe tira sua principal ferramenta...campanha ao governo é nominata, apoio de prefeitos, etc,etc, e wagner não tem feito o trajeto de candidato ao governo do estado...

um abraço...

Claudio Kezen disse...

Caro Xacal,

A grilagem corre solta neste Brasil varonil. Bom o artigo do Bresser.

As mídias, de uma forma geral, movidas pelos interesses dos grandes anunciantes são simplesmente odiosas.

Verdadeiros balcões de negociatas, estes canalhas.

Um abraço.

Gustavo disse...

Muito boa análise, realmente, Aécio é quem o planalto vai tentar combater..Serra cai na mesma FHCxLula (comparação ridícula, visto os cenários "Brasis" são totalmente diferentes, mas politicamente utilizavel).

Quanto ao governo do estado, aproveito e pergunto: suas críticas são focadas em alguma direção específica (educação, saúde, segurança, etc) ou ao todo?

att

Xacal disse...

Gustavo,

Esse é um governo anódino...sem cor, sem cheiro, absolutamente neutro, não fede, nem cheira...

A segurança píblica é um desastre, e o fato de termos helicópteros sobrevoando, quase que diariamente, comunidades na capital, já é um sintoma do fracasso...

A lógica insana se repete: mais dinheiro, mas armas, mais repressão, mais mortes, mais violência...É a "mexicanização" do Rio...
Falta coragem para mudar o rumo, preso que está(o governo)a sanha sangüinária da classe média e da elite zona sul e da barra da tijuca...Como disse o delegado Alexandre Neto, em um artigo, hoje, no globo: "(...)são os jagunços da políica contra os cangaceiros do tráfico."

A educação pública se arrasta, professores desmotivados, que são recebidos com arma em punho e pela tropa de choque...
Corrosão salarial, corrosão pedagógica, demolição do resto que sobrou da Escola Pública...No campo universitário, manobras para minguar as verbas da UENF, que, paradoxalmnete, resiste como uma das melhores do país, a despeito dos ataques do governo...

A saúde ganhou um UPA-UPA, tentativas midiática e eleitoreira de criar uma "marca", uma "brand" para funcionar como "recall" de marketing...

Caro e ineficiente, enquanto e rede regular de atendimento ambulatorial e de urgência cai pelas tabelas...Ontem, vários jornais da capital noticiaram a demissão em massa de vários médicos da rede estadual, cansados de serem chamados e tratados como vagabundos...

A despeito do bilhões de investimento do governo federal no Rio, o governador não conseguiu erigir uma agenda de desenvolvimento quer transforme essas iniciativas do planalto em um ciclo virtuosos e sistêmico de crescimento econômico com desenvolvimento humano...

No campo ético, as denúncias de favorecimento e negociatas com Daniel Dantas(caso das desapropriações de um prédio no centro do RJ, e do terreno no Recreio dos Bandeirantes/Metrô), assim como aqui, em SJB, tenta fazer algo sememlhante com o mega-hiper-super-ultra-power (sh)eike batista...

Enfim, é o fim...Suas dificuldades eleitorais sobressaem, com adversários a morderem seus calcanhares, ainda que o PIG lhe favoreça escandalosamente...

Um abraço...