sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Irmãos Orloff...

Desconfio que se o atual governador e o ex-governador descobrirem o quanto têm em comum, decidiriam, para nosso desespero, unir forças e acabar de vez com nosso Estado...Seria achapa perfeita, a união do queijo com a goiabada, o pão com a manteiga...O neoudenismo zona sul com o conservadorismo populista neocon evangélico...

Não há um passo do governador, criticado pelo ex-governador, que não seja repetido aqui, na planície lamacenta...Por outro lado, não há uma medida do atual governador que não aprofunde as políticas catastróficas do ex-governador...

Terceirização: aos montes por lá e por aqui...
Manipulação e domesticação da mídia: coleiras por lá e por aqui...e por aí vamos...
Paulada e violência com professores, fracasso na segurança pública("política do confronto"), desmonte da UENF, etc, etc, etc...Um é outro, ontem, hoje e amanhã...

Agora, saiu publicado em um ex-jornal, que já serviu ao ex-governador, lá atrás, e hoje, serve ao atual governador(que retribui, generosamente, com anúncios como o da página 02, de hoje), que a prefeita de Campos dos G. vai implantar por aqui, sua versão do "choque de ordem"...Tal e qual o pupilo do atual governador, o prefeito da capital, que foi, inclusive, duramente criticado pelo ex-governador...

Claro, ninguém em sã consciência pensa em defender a desordem urbana, ou o aviltamento do espaço público...
O problema, tanto na capital, como aqui, na terra de Benta Pereira, é que as medidas "organizadoras" têm sempre um alvo certo: os desordeiros mais pobres, enquanto os desordeiros ricos são protegidos...

Foi assim com os reboques na Pelinca, e vai ser assim com os camelôs...O alvo da vez...!

Engraçado é que corremos o risco de limparmos as calçadas dos "mulambentos" camelôs(como diz, enojada, nossa elite), para darmos lugar a mesas e cadeiras dos bares chiques, das placas e bancas dos comerciantes "legalizados e estabelecidos", ou ainda, encararmos os cavaletes e correntes com a "reserva de vagas" em frente às suas lojas...
Isso, quando o próprio governo não "privatizar" essas vagas, e doá-las como favor a empresas privadas, em detrimento do cidadão, que também é "dono" da cidade...As indefectíveis plaquinhas(inconstitucionais, é verdade)da EMUT, em frente a jornais, sindicatos, etc, etc...Ora, quem deve suportar o ônus dessas atividades(o pagamento de vagas em estacionamento)não é a população...

Aí fica a impressão que a "ordem" é só para alguns...

Vejam vocês que um dos envolvidos na audiência com o MPE, um dos líderes dos "comerciantes ordeiros e cumpridores da Lei", ocupa o passeio PÚBLICO em frente aos seus supermercados com carros destinados que serão sorteados para atrair fregueses...É só dar uma passadinha na 28 de março...
Isso não é uma afronta ao direito de ir e vir do cidadão, tal e qual o infortúnio das bancas dos "camelôs"...???

Justiça e fiscalização "seletivas" nada mais são que a "elitização" da desordem e dos privilégios...

5 comentários:

Anônimo disse...

quem sabe chamando o caudinho andrade não teremos ordem para todos? rs.

Gustavo Landim Soffiati disse...

Irmãos Roskoff.

Anônimo disse...

O que é mais impressionante são as insistentes críticas do ex-governador ao atual por gasto com publicidade. Porém, os gastos de Garotinho com publicidade e propaganda foram totalmente desmedidos.
Certa vez ele, pelo blog que mantém, criticou o excesso de verba gasto por Sérgio Cabral com publicidade, fiz um comentário, que foi publicado, mostrando que proporcionalmente o município de Campos gasta muito mais do que o Estado. Ele deve ter lido, publicou, mas mantém as críticas. Age como se a irregularidade da conduta estivesse ligada à pessoa e não ao fato.
Resumindo: usa a cara de pau que lhe é tão peculiar, fala da sujeira do rabo dos outros e ignora a podridão do próprio.
Quanto à ocupação irregular de passeio público podemos citar o que talvez seja o mais escandaloso: fica no início da Av. Alberto Torres, ao lado do estacionamento da Santa Casa. Nesse local o passeio, que já é estreito é totalmente ocupado, juntamente com boa parte da rua.
E a irregularidade acontece na cara de qualquer autoridade de Campos, sob os olhos cegos de nossos administradores municipais.
Ao que parece a prefeitura, diga-se: desde a administração anterior, preza muito pouco pela segurança de sua população. Estamos entregues à própria sorte, tendo que enfrentar os carros em busca de espaço para trafegar.
Deve-se registrar ainda a ocupação de nossas praças por inúmeros quiosques, que alí estão em claríssimo desrespeito à legislação vigente. O que eles oferecem que seja de interesse público? Cerveja? cachaça? O mínimo que deveria ser exigido desses quiosques é que não comercializassem bebidas alcoólicas e jogos, mas nada é exigido. Eles ocupam a praça, não pagam nada por isso, não se submetem a exigência de licitação e ainda embriagam pessoas que poderão ser nocivas à segurança das crianças que brincam nas praças.
Por que o dono do quiosque tem o direito de explorar comercialmente aquele espaço da praça e nós não temos?
Nascimento Jr
nascimento.jr@bol.com.br

Praça Santo Amaro disse...

Já que tocou no assunto de quiosques, vou vomitar minhas considerações.
Se quer comprovar realmente irregularidades de quiosque, basta ir lá na pracinha do Santo Amaro. O Quiosque do General, está expandindo seus negócios na praça. Daqui a pouco a praça vai se chamar praça do General, pela quantidade de obras que ele faz para aumentar o quiosque. Fora que aquilo lá fica uma baderna dia e noite.
O bairro que era calmo, residencial, virou ponto de cachaceiros e usuários de drogas, com seus carros possantes ouvindo pagode e funk da pior categoria, na maior altura.
Para aquele bairro, vale a premissa: "Os incomodados que se mudem".

Praça do Santo Amaro

Anônimo disse...

Ouvi por aí que o executivo deseja reformar o tal "Camelódromo" proximo ao Mercado Municipal. Nunca concordei com aquilo, por isso mesmo nunca comprei nem um "alfinete de cabeça" (até eles as tem)naquele que acredito ser um monumento ao populismo. Sugiro que se tome o elefante branco que se tornou a Usina São Joao, monte um terminal de onibus e toda infra possível e faça daquilo lá um paraíso dos "importados". Vai melhorar (sic) aquele bairro e desafogar o velho e belo mercado. Ah, sim: faça o mesmo com estes feirantes insolentes que tem medo de ser itinerante. Paz a todos.

Marcio Pereira.