domingo, 18 de outubro de 2009

Malabarismos fiscais do governo...

Dinheiro não brota do chão, nem nasce em árvores...Essa máxima, talvez, tenha nascido com a própria idéia de unificar os valores em um símbolo de troca: a moeda...

Ontem, pela manhã, folheava alguns jornais, lia algumas revistas antigas da Carta Capital, e o número dessa semana, enfim, dava uma "panorâmica" nos humores dos analistas, por entre as notícias de política-econômica...

Dos colunistas que, nos dias atuais, estão com a "bola cheia", o que mais parece avesso a patacoadas, embora também faça mediação de sua fala com suas "crenças"(pois ninguém é imparcial, nem tampouco a ciência econômica e seu discurso)é Nouriel Roubini, o Dr Doom(Doutor Catástrofe)...Ele já avisara, com certa antecedência, da crise gigantesca que se aproximava, e com a confirmação de seus prognósticos, foi alçado a condição de novo oráculo da economia...

Me referi a ele, porque em uma de suas colunas na Carta Capital, Dr Doom avisa para o perigo do enorme desequilíbrio fiscal que se instalará nos países, aí considerados os centrais e periféricos, se as medidas anti-cíclicas não forem ministradas na dose exata...

Bom, vou tentar "explicar" o pouco que entendi...A imperiosa necessidade de que os governos e Estados Nacionais passem a condição de indutores e fiadores exclusivos da economia real(parque produtivo, investimentos, infra-estrutura, etc)e garantidor da confiabilidade dos sistemas financeiros(leia-se: tornar-se sócio, e ou credor de bancos)vai ter reflexos dramáticos, que podem repercutir em trajetórias inflacionárias com estagnação de atividade...Em outras palavras: sem dinheiro para atender a todas as demandas anti-cíclicas, governos emitem dinheiro e títulos(mais dívida)=inflação...Para conter esse surto, aumentam juros, e estancam a atividade produtiva, enxugando a liquidez da economia, ainda frágil e sem condições de andar com as próprias pernas=recessão...Inflação + recessão= estagflação...

Uma parte do problema se revelou esta semana...Como sempre, nosso PIG, ávido por desinformar e fazer o papel de partido de oposição, não trouxe os fatos para que pudéssemos compreender a realidade com mais clareza e profundidade, inclusive que o momento exige...

Os constantes benefícios e incentivos fiscais(isenção de IPI, aporte de liquidez no sistema financeiro, etc, etc)patrocinados pelo governo, que, de forma bem sucedida, garantiram a nossa passagem pela crise sem maiores estragos começou a cobrar a "conta"...O aperto foi sentido nas restituições de IRPF...
Nada demais, afinal, como dissemos, dinheiro não nasce em árvores, e o dinheiro que se auto-reproduz nós já conhecemos: chama-se inflação...Portanto, sem emitir moeda, se o governo cobre um lado, descobre outro...

Se as informações fossem prestadas nesse país com seriedade, na busca pela conscientização do eleitor/contribuinte/cidadão da situação, a fim de que esse pudesse cobrar/escolher os rumos, e apresentar críticas e, ou apoios, nossa Democracia estaria bem mais agradecida...

O problema é que, por aqui, é, justamente, o contrário o que acontece: a classe média quer comprar carro novo, sem IPI, com juro baixo, em 2143736 vezes, quer trocar sua linha branca, e quem sabe comprar ou reformar o imóvel da família, com material de construção subvencionado, sem nenhuma contrapartida...Quer sua restituição de IRPF ontem...

Com essa postura, empurram o governo para um "populismo fiscal" perigoso...

Não há almoço grátis(there's no free lunch)...Um Estado indutor da economia, um ambiente regulatório do mercado financeiro, mais restritivo, redução de juros e equilíbrio fiscal e inflação sob controle só com mais imposto...Não tem como fugir...

Ahhh, só para lembrar: em breve enfrentaremos os problemas com a Previdência, onde toda a sorte de mistificação substitui o debate necessário: se as pessoas envelhecem mais e demoram a morrer, mais gasto...Se o crescimento do número de idosos supera o crescimento econômico(aumento da contribuição dos trabalhadores ativos), a Previdência quebra...

2 comentários:

Anônimo disse...

Fala de LULA

- Se vocês acompanharem a imprensa internacional (...) e vocês lerem o que eles pensam do Brasil – pensam, não –, o que eles afirmam da economia brasileira, e você pegar a imprensa brasileira, você pensa que está em outro país, porque aqui é um jogar para baixo. Aqui, eu vou contar uma coisa, vá ser azedo assim em outro lugar.

Xacal disse...

Caro comentarista,

O fato de existir uma imprensa golpista, que de porta como um partido, e que ataca o governo de forma sistemática e covarde, não dá a esse mesmo governo, o qual, nós aqui da TrOLha,apoiamos a isenção das críticas, e o salvo conduto para fazer o que bem entender...

dito isso, preste atenção no texto: eu citei que a mídia esconde, e provoca a histeria da classe média, ao não divulgar que o atraso da restituição do IRPF é conseqüências das dificuldades que o governo tem para equilibrar seu caixa, ou seja, se põe dinheiro para aumentar a produção e baratear carros, material de construção, geladeiras, etc, falta para outras coisas...
o que dissemos é que se a informação fosse clara, a sociedade teria condições de escolher melhor seu rumos, ou seja: se quer a restituição já, ou prefere o subsídio a economia e as indústrias e aos consumidores...

isso é óbvio...

um abraço...
um abraço