quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Neoudenistas no Leblon...como sempre...

Consagrado no país como reduto da classe média descolada, do movimento cansei, das passeatas da "paz", etc e tal, o Leblon, no Rio de Janeiro, firmou sua hegemonia popular graças, em boa parte, as novelas do Manoel Carlos, suas Helenas e os dilemas de um pessoal que se acha corretíssimo, clama pela truculência policial contra os pobres, mas declara ser de boa índole, que detesta "dividir" seu pequeno universo urbano com os "outros", mas impõem a todos seus cachorros e carros em cima da calçada...Enfim, um retrato do autoritarismo polido e chique brasileiro...

Eis que nesse final de semana, com repercussão aqui, por alguns nomes do partido verde, aconteceu uma passeata(mais uma)do movimento "clima Brasil", capitaneado pelos verdes...E onde foi essa passeata...? No Leblon, é claro...
Afinal, quem se importa com o clima nas favelas, nas valas negras, nas habitações de papelão e zinco, onde o bicho-homem rasteja junto com ratos e outros animais nem tão populares da causa ambientalista...?

Não, não, não senhor...Lugar de passeata é no Leblon...Mesmo que aquele ambiente nunca esteja ameaçado, a não ser pelos "invasores farofeiros indesejáveis"...

Sabemos todos que os dramas climáticos, as tragédias e catástrofes naturais, que provocam enchentes e deslizamentos atingem primeiro, e quase sempre os mais pobres...Aqui, e em qualquer lugar do mundo...Mas quem se importa com isso...?
Passeata é no Leblon, ali é que é bom...

11 comentários:

Anônimo disse...

O post me fez recordar uma cena do filme Tropa de Elite, onde o Capitão Nascimento critica as passeatas pela paz, promovidas pelos abastados contra a violência urbana, só que, segundo o personagem, a violência é provocada pelos próprios abastados, que abastecem os morros com o dinheiro que compra suas drogas.
Eles estavam combatendo o efeito e ignorando a causa.
Isso tem que ser muito bem estudado, pois acho que é inerente à pessoa humana.

Anônimo disse...

porra este post seus tao um saco xacal

rufus disse...

Tá bom Xacal.

Prometo não te convidar quando tiver o prazer de um chopp no Jobi ou no Bracarense, ou de uma pizza na Guanabara, rs,rs,rs,rs...

Agora sério, até entendo e concordo com seus argumentos...
Mas, apesar dos "verdes" e da burguesia que lá habita, o Leblon - INCLUINDO A CRUZADA DE SÃO SEBASTIÃO - é um recanto muito agradável do Rio!

Xacal disse...

bom, todos nosso treze leitores(as) já conhecem o "refrão":

não gosta, leia menos ou não leia...

pelo mesmo caminho que "entrou", pode "sair"...

Anônimo disse...

..rs....Qualquer semelhança com os revolucionários petistas campista que só fazem campanhas e protestos no Calçadão do Boulevard é mera coincidência...rs...


Renato.

Anônimo disse...

Xacal, o esse post que transcrevo está no blog de Brizola Neto, mostra a cara da nossa direita escrota. Aliás, o PSDB e o Demo são tão ridículos quanto eu imaginava.
O endereço do blog é: http://tijolaco.com/

Jereissati não é nacionalista, mas é provinciano.
quarta-feira, 30 setembro, 2009 às 12:12.
Inacreditável o comportamento do empresário e senador Tasso Jereissati. Como tucano de alto coturno, cansa de afirmar que o mundo é globalizado, que as empresas não devem ser discriminadas por serem nacionais ou estrangeiras, que a presença no Estado na economia é um retrocesso, etc, etc…Mas está encaminhando hoje um relatório à Comissão de Relações Exteriores do Senado dando parecer contrário à entrada da Venezuela, a terceira maior economia do nosso continente, no Mercosul!

O seu argumento é o “processo acelerado de desmonte das liberdades democráticas” que estaria em curso hoje na Venezuela, com objetivo de garantir “a perpetuação do presidente Hugo Chávez no poder”. Engraçado, lá a reeleição teve de ser aprovada em plebiscito; aqui, com o apoio de Jereissati, a reeleição de FHC foi aprovada apenas no Congresso e sabe lá Deus com que “incentivos” a parlamentares.

Mas, independentemente destas questões, o que isso tem a ver com relações comerciais? O Brasil tem uma balança comercial fortemente superavitária com a Venezuela. Nosso saldo comercial com aquele país chega, dependendo do mês, a repesentar um terço do saldo total obtido no nosso comércio exterior. Melhor, exportamos para lá não produtos primários, mas industrializados, de alto valor agregado. Nossas exportações para lá, em 10 anos, cresceram 859% e o saldo, em 2008, foi de US$ 4,6 bilhões, o dobro do obtido com os EUA!

Senhor Jereissati, não deixe os seus preconceitos ideológicos cometerem este crime contra os interesses nacionais. Se não pode respeitar um Governo eleito, que atravessou, em geral vitorioso, 14 processos eleitorais em 10 anos, respeite ao menos os interesses comerciais do Brasil. O senhor mesmo admite que o empresariado pediu a aprovação do acordo comercial. Se isso não é discriminação ideológica, o que é?

Daqui a pouco vou postar aqui a prova de que o empresariado do mundo inteiro, principalmente dos países desenvolvidos, não é provinciano como os tucanos globalizantes brasileiros.

Anônimo disse...

Em Campos o digníssimo presidente dos verdes é contratado para defender uma empresa que pratica queimadas e que nos últimos dias acabou vitimando uma trabalhadora.
Isto é o que podemos chamar de verdadeira identidade ideológica político partidária.

Anônimo disse...

Mais e melhor!

Você está escrevendo cada vez melhor. Parabéns!

OBS.: considero absurda a sua saída. 2010, ano de eleição...

Esse blog é leitura obrigatória.

Xacal disse...

caro Renato,

permita-me discordar: seria o caso de passeatas na Pelinca, que é o mais próximo que temos do Leblon, inclusive, ideologicamente falando...

nosso calçadão é como se fosse a Cinelândia...talvez local tradicional para protestos...

é certo que sua crítica se dirige ao afastamento do pt local dos locais menos favorecidos, e nisso, tens razão...

mas o calçadão nada tem a ver com o Leblon...

Anônimo disse...

é certo que sua crítica se dirige ao afastamento do pt local dos locais menos favorecidos, e nisso, tens razão...

mas o calçadão nada tem a ver com o Leblon...


CONFORME PARTE DO TEXTO ACIMA ENTÃO;
VC , O SEU PT E SEUS 13 LEITORES SÃO APENAS MAIS DO MESMO
abs

Xacal disse...

voilá, meu caro...

esse é o ponto: com seus erros, e acertos, o PT não é meu, nem de ninguém...

essa é a diferença crucial que nos permite dizer que podemos reorientar seus rumos sempre, para onde a democracia interna nos aponte...

o que não pode ser dito de outras agremiações políticas e grupos, como os neoudenistas...

lembre-se: o pt não é do xacal, nem de ninguém...