segunda-feira, 26 de outubro de 2009

O bom e velho paroquianismo político...

O deputado wilson cabral fez papel ridículo, ao posar com "garbo" para entrega de simples ambulâncias...

A prefeita da cidade tem repetido esse ridículo toda a semana, com a sua "corrida de ambulâncias"...

Mas eis que a febre eleitoral não poupa ninguém...

O deputado chico d'ângelo se prestará ao mesmo papel...Hoje, fará entrega de ônibus, comprado com dinheiro alocado no orçamento federal através de uma de suas emendas...O veículo servirá a UFF, que assim, servirá de palanque ao deputado...

Igualzinho ao feijó, quando servia de "despachante" dos hospitais e de sanguessuga das emendas...

É por isso que os parlamentares não têm tempo para exercer suas funções: legislar e fiscalizar o executivo...Andam ocupados brincando de "poder executivo"...

Como sempre, lastimável...

4 comentários:

Anônimo disse...

PERFEITO, SÃO TODOS IGUAIS, NÃO TEM POLÍTICO ALGUM QUE SEJA "DIFERENTE".

Toma Ferro disse...

Xacal boa noite,sabe oq n entendo?Como q uma prefeita q dizia ser a prefeita da mudança,deixa a nossa cidade abandonada como está?E essa história d terceirização n engana nem analfabeto mais...Mas o maior absurdo foi no dia q as mesmas chegaram e os motoristas foram obrigados a fazer uma carreata pela ruas da cidade...Uma tremenda palhaçada isso...Se fosse a prefeita terceirizava:Lindamara,Garotinho,Pudim,Feijó,Ferrugem e Roberto Henriques...Nem os próprios integrantes do governo estão aguentendo essas malas...I fora,I fora!!!

Anônimo disse...

É,vc deve estar certo e eles devem estar errados. Os diretores das instituições filantrópicas e a população humilde provavelmente estão satisfeitos. Egocentrismo não combina com compromisso social e ninguém é dono da verdade!

Xacal disse...

Caro comentaristas das 21:32,

os políticos são IGUAIS...iguais a sociedade que representam, ou seja, iguais a nós...

Caro comentarista das 01:43,

não creio que as necessidades da população, e das instituições possam ser resolvidas com esses paliativos...
ao contrário, a leniência dessas autoridades em criar mecanismos de superação dessas "crônicas e endêmicas" necessidades, nos parece a plataforma ideal para fazer essa política paroquial que denunciamos...

em outras palavras: deixa tudo como está, e quem sabe, lhe conseguimos um ônibus ou uma ambulanciazinha, e é claro, com uma parte para a "comissão", que ajuda nos "fundos de campanha"...

um abraço...