terça-feira, 20 de outubro de 2009

Tolinhos...

Já foram pegos uma vez, e agora, ao invés de tentarem, ao menos, reescreverem as matérias, os jornalistas diplomados do jornal paraoficial da pmcg, alternam os dias, para evitar que se descubra o "truque"...

Eu pergunto, novamente: copiar a matéria e não citar a fonte não é violação do direito autoral, nesse caso, lesando a todos nós munícipes, uma vez que são os recursos públicos que produziram o material "pirateado"...?

Leia aí embaixo, primeiro o texto da secretaria de propaganda, depois a "matéria" do seu órgão-franquia, o jornal o diário...Não vamos nem questionar o "mérito" da"informação", uma vez que repousam, como todos sabe,, muitas sombras sobre esses valores destinados a "privatização" dos serviços públicos...

Da secretaria de propaganda:

Por: Regina de Oliveira

Com a aplicação de recursos em diferentes áreas, a prefeitura injetou R$ 390 milhões na economia do município com a realização de 400 licitações no período de janeiro a setembro deste ano, conforme informou o secretário de Controle e Orçamento, Suledil Bernardino. Segundo ele, no total, não estão contabilizados os R$ 357 milhões que serão aplicados na construção das 5,1 mil casas populares do Programa Morar Feliz.

- A Prefeita Rosinha Garotinho está reformando escolas e creches, postos de saúde, recuperando estradas vicinais e realizando reparos em ruas asfaltadas, reduzindo o deficit estrutural que encontramos em janeiro - lembrou Suledil.

De acordo com o secretário, os processos, efetuados para a compra de bens, contratações de serviços e obras pela administração, incrementaram a economia, sobretudo, nos setores de comércio e serviços em que os recursos foram injetados diretamente. "A lei dá condições de competição a pequena e média empresas, permitindo que sejam vencedoras em alguns dos pregões e que recorram às empresas locais para investir parte do recurso a elas destinadas para o cumprimento do objeto da licitação", assinalou o secretário.

De acordo com dados levantados, dentre as 400 licitações, 120 foram realizadas para os serviços de engenharia e obras, totalizando R$ 55 milhões. Para atender a área da Saúde, foram disponibilizados R$ 93 milhões para a realização de 130 procedimentos licitados, cerca de 32% do total de licitações feitas nos nove meses. Para aquisição de material de consumo foram realizadas 100 licitações, sob um valor total de R$ 31 milhões.


................................................

Do jornal-franquia:

A Prefeitura de Campos injetou R$ 390 milhões na economia do município com a aplicação de recursos em diferentes áreas com a realização de 400 licitações entre os meses de janeiro e setembro deste ano, de acordo com informações do secretário de Controle e Orçamento, Suledil Bernardino. E neste total, não estão contabilizados os R$ 357 milhões que serão aplicados na construção das 5,1 mil casas populares do Programa Morar Feliz.
“A prefeita Rosinha Garotinho está reformando escolas e creches, postos de saúde, recuperando estradas vicinais e realizando reparos em ruas asfaltadas, reduzindo o deficit estrutural que encontramos em janeiro”, lembrou Suledil.

Ainda de acordo com o secretário, os processos - efetuados para a compra de bens, contratações de serviços e obras pela administração - , incrementaram a economia, sobretudo, nos setores de comércio e serviços em que os recursos foram injetados diretamente. “A lei dá condições de competição a pequena e média empresas, permitindo que sejam vencedoras em alguns dos pregões e que recorram às empresas locais para investir parte do recurso a elas destinadas para o cumprimento do objeto da licitação”, assinalou o secretário.

De acordo com dados levantados, dentre as 400 licitações, 120 foram realizadas para os serviços de engenharia e obras, totalizando R$ 55 milhões. Para atender a área da Saúde, foram disponibilizados R$ 93 milhões para a realização de 130 procedimentos licitados, cerca de 32% do total de licitações feitas nos nove meses. Para aquisição de material de consumo foram realizadas 100 licitações, sob um valor total de R$ 31 milhões.



10 comentários:

Bicho Possuído disse...

É a farra do dinheiro público. Injetou aonde? Melhor não responder.
Este é o primeiro governo que vi se gabando de ter realizado tantas licitações com valores tão vultosos. Os empreiteiros e licitantes agradecem. Aliás, não deve sair barato para eles. A contraprestação certamente deverá vir nas próximas eleições.

Bicho Possuído

Anônimo disse...

É verdade mesmo... copiam mesmo. Mas parece que o pessoal da secretaria mesmo liga pra lá para informar que vai colocar no site matéria para publicar no jornal. Será que fazem isso com a Folha? Depois de Sérgio Cunha (anti-Garotinho enrustido) for exonerado, muita coisa pode melhorar ou funcionar. Aliás, nunca vi um rato guardião de queijo!

Anônimo disse...

Só pra ficar claro para você, "piratear" matérias é a coisa mais normal do mundo, aliás, mandar material para os jornais é obrigação da Prefeitura. Os releases existem para isso, os repórteres da Prefeitura existem para enviar material para os jornais, rádios, TVs e etc. Se os órgãos de imprensa não modificam os releases, aí é problema deles.
A repórter citada no seu post não faz mais parte dos quadros do Jornal O Diário, e digo isso or que a conheço. Ela só trabalha na Prefeitura.
Acompanho seu blog, e até gosto do que escreve, mas antes de procurar "chifre em cabeça de cavalo" procure se informar melhor. Essas suas "denúncias" não vão levar a nada, por que não tem fundamento algum. Desculpe, mas é quase ridículo, o material produzido pela PMCG é público e está ali para ser utilizado mesmo. É produzido para isso, nasceu para isso. Seja ele utilizado na íntegra ou não.

Anônimo disse...

É muita cara de pau... O Jornal mostra que é imprestável até para produzir uma matéria simples, lamentável!
Nascimento Jr
nascimento.jr@bol.com.br

Anônimo disse...

xacal,

Nós gostariamos é de saber quantas empresas da nossa região foram vencedoras de licitações.
Com certeza foram poucas ou quase nenhuma.
Como exemplo podemos citar uma licitação onde uma empresa do sul do país ganhou uma ao custo de 4milhoes e setecentos mil para implantar um sistema informatizado para "aumentar" a arrecadação da secretaria de finanças.(!!!)
Lembrando que o software é licenciado por um tempo de uso.
Enquanto isso, algumas micro empresas da região na área de informatica estão fechando as portas !
Não são só sombras sobre valores destinados a "privatização dos serviços públicos "...
...é a treva !!!

Anônimo disse...

O assunto não é este, mas gostaria de usar este espaço para lançar a campanha: "Crie um blog Soffiati".
Justificativa: é lamentável que o Prof. Soffiati permita que a folha "verdinha" de Campos use o seu nome, sua credibilidade, para consecução de seus fins, nada inocentes. Que Soffiati diga que o governo municipal é incompetente, tudo bem, que afirme que o sec. de defesa civil também é, tudo bem, mas servir-se de massa de manobra para a defesa dos interesses dos barbosas é demais. Além disso, não é preciso ser um "expert" no tema para vaticinar que se chover a cidade, a baixada se tornarão um caos. Qualquer cidadão de compreensão mediana sabe da probabilidade deste evento. Acorda Soffiati. A folha "verdinha" não está nem aí para a defesa dos interesses da sociedade. Não está nem aí para o homem simples da baixada, de ururaí que porventura tiverem suas casas abandonadas e seus filhos ao relento por causa das chuvas. O que ela quer todos nós sabemos. É usar a sua credibilidade para conferir-lhe uma credibilidade que ela e eles não têm e nunca tiveram.
Crie um blog, Soffiati, para que a gente possa ler você sem causar repugnancia.

Xacal disse...

Comentarista das 11:45,

primeiro obrigado pelos elogios generosos, agora vamos ao debate(que é bom, e todo mundo gosta):

O problema é que para utilizar material alheio(mesmo que público, o que não significa "sem dono"), é preciso citar a fonte, sob pena de lesar direito autoral, que nesse caso não é da jornalista, e sim do órgão para qual ela trabalha, nesse caso a PMCG...Como dissemos, lesar a PMCG é lesar todos nós...

Bom, esse nem seria o pior problema...A questão é etica, de quallidade(nesse caso a "falta de")de copiar, descaradamente, funcionando como sucursal da secretaria de propaganda...

Se você, como jornalista, acha isso normal, tudo bem...mas, como leitor e contribuinte, eu não acho...

Eu, como leitor, quero um jornalismo que vá até o local e apure(e não funcione como mero plagiador de "releases"), ou nesse caso, investigue os números apresentados, o mérito das terceirizações e licitações, enfim, INFORME a população e não DEFORME a opinião pública, tranformando-a em opinião publicada...

Bom, mas pelo jeito, não é no jornal em questão que acharei isso...

Um abraço...

Daime disse...

Xacal, pare de ficar se respondendo como "anônimo" só pra dar Ibope nessa sua Trolha murcha!

Você anda precisando de um psicólogo bonito pra resolver esse seu problema de auto-estima!

Anônimo disse...

Xacal,

Sei que estou fugindo do assunto em tela, mas quero corroborar com o anônimo que faz observações sobre a postura do Professor Aristides Soffiati. È lamentável assistir o professor depois de alguma experiência acumulada ao longo da sua vida profissional, aceitar ser objeto de manobra do Jornal Folha da Manhã. Jornal que sempre se calou diante dos fatos mais agressivos contra a sociedade de Campos e o meio ambiente. Jornal que sempre esteve ao lado dos Usineiros e Latifundiários da nossa cidade, que são os maiores agressores do meio ambiente. Hoje este Jornal faz oposição porque nós sabemos qual é o seu interesse. Talvez o Professor Aristides, não esteja próprimente preocupado com o meio ambiente, mas sim indignado com o atual governo devido o desligamento do seu filho caçula, formado em Veterinário pela UENF, ter perdido o emprego no CCZ, na época do governo Mocaiber. Acredito nisso, afinal de contas por seu filho o professor aceite até ser entrevistado, por um Aluizinho. Haja estômago!!!

Anônimo disse...

Qualé?
Jornal que copia matéria oferecida pela divulgação da parte interessada?
O que esperamos do bom profissional da área é isenção e investigação.
Onde está a credibilidade?
Por isso mesmo não compro mais "essas porcarias".
Leio porque na internet é de graça.