quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Da série: onde você estava quando a luz apagou...?

Essa é a trOLhA de fora de hoje...

11 comentários:

Gervásio Neto disse...

Em casa com a minha namorada...

Anônimo disse...

Minha filha perguntou.....
Pai...foi só aqui em casa?
Fui até a janela e disse não, foi a rua toda.
Saí para rua.....foi o bairro todo.
Liguei o rádio, não.....foi o país, voltou aquele tal de apagão minha filha.

Sérgio Provisano disse...

Eu estava saindo de uma aula de Filosofia da Educação, no ISEPAM, onde estou cursando Pedagogia. As luzes, repentinamente, apagaram-se. Aí, fui informado por um amigo que acontecera um apagão que deixou vários estados às escuras e, imediatamente, lembrei-me das "proféticas" palavras do presidente Lula, de que um outro apagão, igual ao que já ocorrera, jamais aconteceria: ele realmente acertou, esse não foi igual, foi pior e, outros piores virão, enquanto não houver investimentos sérios na modernização e melhoria na matriz energética do nosso país, espscialmente no que tange às linhas de transmissão. O resto é pura conversa fiada.

George Gomes Coutinho disse...

Estava em casa tentando trabalhar na minha exposição de hoje na UENF sobre "teoria social e movimentos sociais"... Agora tento fechar, tal qual zumbi, o assunto....

Xacal disse...

Caro Sérgio...


Nos ensina a prudência que conversa fiada advém, quase sempre, da falta de informação...

Que se responsabilize a quem de direito pelas falhas...Mas, antes, é preciso saber o que houve...Eu não sei, e você, sabe...?

Bom, com um pouquinho de leitura que tenho sobre o assunto, posso lhe afirmar, mas imagino que você já saiba:

1.ciclos energéticos, que definem as matizes de nossa produção de energia(a forma)são de médio e longo prazo, ou seja, as escolhas de hoje, refletem em dez ou quinza anos.
2.portanto, não é leviano supor que as péssimas escolhas do governo ffhhcc, com um modelo de privatização canibalizante, e que entregou a gestão da oferta e demanda da produção e distribuição de energia ao "mercado", nos chamados leilões dos atacadistas, que engessou o nosso sistema elétrico.
3.assim, ainda que o atual governo esteja promovendo as mudanças necessárias, lembre-se que há diversos(e poderosos) interesses em jogo, que são os grandes clienets, os grupos privados estrangeiros que exploram a atividade, etc, etc, etc...portanto, as manobras são demoradas e delicadas...
4.mas uma coisa é certa: no governp ffhhcc a economia cresceu em números médios pífios(entre 1 e 2% na média dos oito anos)e ainda assm enfrentamos racionamento.
5.foi a intervenção desse governo que garantiu um cresimento médio de 5 e 6%)com aumento da oferta de energia e com o afastamento de "apagões", e o que você parece ter esquecido: racionamento com aumento da conta com o "seguro-apagão"...O governo atual enfrenta s fornecedoras, e inclusive exige a devolução de dinheiro auferido com as tarifas implementadas pela privatização de ffhhcc, e seu modelo de agências reguladoras...
6.é claro que acidentes como o de ontem têm que ser evitados e planos de contingência têm que ser montados para garantir a continuidade do serviço...
mas não ceda, meu caro futuro pedagogo, ao senso comum...você é bem mais que isso...

um abraço,

observe, se informe e evite as conversas fiadas...

Xacal disse...

Fala aí George...vou em esforçar para assistir...e me esforçar para entender também, porque afinal, o xacal é um parvo, como bem sabes...

um abraço...

Anônimo disse...

É estarrecedor assistir à Globo News e ver os entrevistadores tentarem fazer com que os entrevistados confessem que há falha do governo.
O problema é que os entrevistados foram unânimes em afirmar que há sobra de energia no Brasil e que o problema ocorreu nas linhas de transmissão, causado pela própria opção do país por uso de usinas hidrelétricas.
A Globo News não fala de outra coisa, só fala de apagão. Até para falar de previsão do tempo o centro das informações é a regição onde houve falta de energia elétrica.
Não consigo esquecer do apagão do FHC, acho que foi em 2001, todos foram obrigados a economizar energia e depois disso o Governo FHC concedeu um aumento de tarifas para compensar os empresários pelos lucros que deixaram de auferir com o racionamento compulsório. Resumindo:
1- faltou energia no Brasil,
2- o Governo chamou a população a ajudar economizando energia,
3- a população ajudou e o país conseguiu atravessar aquele momento difícil, provocado pela falta de investimentos do próprio Governo.
4- os empresários entenderam que o sacrifício deveria ser feito somente pela população e pediram ao Governo um aumento de tarifas, para que seus lucros não ficassem menores, pois a quantidade de energia vendida foi menor.
5- o mais inacreditável foi que o governo concordou com os empresários e concedeu um reajuste nas tarifas para restabelecer os patamares de lucros dos empresários,
6- Resultado: a população, que atendeu ao clamor do governo e economizou energia, foi punida com um reajuste nas tarifas.
E AINDA TEM GENTE QUE QUER VER O PSDB DE JOSÉ SERRA, AÉCIO NEVES E FERNANDO HENRIQUE CARDOSO GOVERNANDO O BRASIL.

°•~ ∂ąnnι °•~ disse...

Em casa, na minha caminha assistindo TV... e batendo papo no MSN...hohoho...

E vc Xacal? Seus 13 leitores querem saber...

Bjs!


=)

Xacal disse...

Ê, Danni, o xacal estava na cidade de Quissamã...

abraços...

Gustavo Landim Soffiati disse...

Estava em casa, depois de vir de uma lan house que tinha acabado de fechar, tomando uma taça de vinho, para ir dormir e acordar cedo hoje para vir a uma audiência da ALERJ e a uma reunião do Sindpefaetec em Quintino, onde estou agora. Só que, com o apagão, que pensei ser apenas uma falta de energia no bairro, demorei a dormir e acordei por várias vezes durante a madrugada.

Provisano:

Gostei de saber que está cursando Pedagogia no Isepam. Já estive lá algumas vezes à noite, para dar avisos sobre nossa atividade sindical, mas nunca o vi. Vamos estreitar a camaradagem...

Abraços.

Anônimo disse...

Estava em Grussaí, e confesso que comecei a reclamar:
Que idéia ficar aqui na praia, imagina se está faltando energia agora, no verão então... blá, blá, blá, pior que nem o celular foncionava...
bjos Xacal

Mariana Arêas