segunda-feira, 16 de novembro de 2009

O oráculo...

Os oráculos são cultuados em todas as culturas, como entidades capazes de prever o futuro, ou responder com sabedoria proporcionada pela vivência, aos problemas que afligem a quem a eles recorrem...

Em Campos dos G., nosso secretário de cultura é o "oráculo", e ao mesmo tempo, ocupa a liderança da entidade de classe dos jornalistas, a AIC...

No caso do Monitor Campista, o "oráculo" fingiu que não é com ele, e quando instado a falar, saiu com mais uma de suas "enigmáticas sentenças": "Os blogueiros são intrigueiros, desocupados e fofoqueiros...Não leio e não gosto..."

Mas como...?!?! ó,"oráculo"...!!!

Que ele não goste de uns e de outros, principalmente àqueles que não cedem ao "consenso da Lapa", tudo bem, é seu direito...Mas como um "oráculo", secretário de cultura, presidente de associação de imprensa, e suposto cientista das culturas e comunicações, proferir tão preconceituoso, generalizante e autoritário brocado...???

Será que o "oráculo" nos quer dizer algo...??? Mas o que seria...???

Algo como aqueles que rejeitam o que não conhecem, e embasam seus conceitos em PRÉ-conceitos...???

Algo como uma rejeição a possibilidade de ampliação do debate e do acesso de informação, ainda que diante dos erros e exageros inerentes a atividade humana da expressão e comunicação, que aliás, incidem mais nos meios tradicionais(como manipulação), como reclamam os próprios correligionários de governo do "oráculo"...???

Ou seria algo como um "compromisso" de governo para tramar um desfecho nem tão surpreendente assim para o jornal, objeto de desejo daqueles para os quais o "oráculo" serve...???

Não sei, me escapam os desígnios insondáveis do "oráculo"...

Mas o que poderíamos esperar de alguém que fez "fama" por aprisionar em "seqüestros-resgate", manifestações culturais extintas, como forma de excitar e divertir a classe média com o chacoalhar de quadris da negrada, que ele insiste em chamar de jongo, ou seja lá o que o valha...???

Os shows para "bwana" ver...

Qualquer "mequetrefe" como o xacal sabe que o dirigismo arbitrário, no qual se resume esses "resgates", na verdade não tem outro objetivo, senão o esteticismo das manifestações, enquanto a sua verdadeira memória e registros se perdem, sem que originem a tradição(entrega)dos valores nela contidos...

Como me disse uma vez, Silvinha Paes: "todo resgate de uma tradição cultural é farsesco"...

É anacrônico, como pretender "resgatar" o antrapofagismo dos goytacá...

Nesse caso, o "oráculo" pode ficar tranqüilo...Além de ser "carne passada pelo ostracismo", sua coragem inexistente de nada serviria aos espíritos de seus vencedores/devoradores...

4 comentários:

Fantasma disse...

Gostei Xacal
Abs
Fantasma

Ainda bem quando o oraculo morrer niguem vai guardar lembranças dele...

Anônimo disse...

De professor de Garotinho/Rosinha, nunca aproveitado em seus mandatos,estranhamente, sem que ninguém saiba porque,nos áureos tempos de exercício na Folha da Manhã, se posicionava como opositor.
Defenestrado do emprego e abrigado na FAFIC, aderiu aos antigos alunos.
Hoje, come na mão, com um desempenho medíocre, para surpresa de quem dele esperava tanto.

Anônimo disse...

xacal, voltando ao debate no blog do andré diz aí: para você, se o monitor houvesse feito maior "pegada" no jornalismo ele teria sobrevivido?? É isso???

Xacal disse...

caro comentarista,

veja que o figurino de "oráculo" não me cai bem...

eu não saberia dizer com certeza, mas posso afirmar por outro lado que o estilo "neutro" não deu certo...

ainda mais porque essa neutralidade era bancada pelo poder público...

minha opinião(rasa e rala)que nenhum jornalismo sobreviverá a tentativa de parecer "imparcial" aos olhos do leitor...

mas, pelo que parece, há outros ingredientes mais picantes nessa "receita"...

fica, assim, difícil analisar sem todas as informações, ou pelo menos, as mais importantes...

um abraço...